A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
Apostila FDDJ - DS9 - 1 semestre 2013

Pré-visualização | Página 3 de 12

para concessão ou revisão de benefício requerido.
REGIMES DE PREVIDÊNCIA SOCIAL: REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA 
SOCIAL, REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL E REGIME FACULTATIVO 
COMPLEMENTAR DE PREVIDÊNCIA SOCIAL.
Regimes de Previdência Social – é todo aquele que ofereça aos segurados os 
benefícios de aposentadoria e pensão por morte. No Brasil existem três tipos de 
regimes previdenciários:
8
1. Regimes Próprios de Previdência Social – RPPS - fazem parte os servidores 
públicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios que 
preferiram organizar o seu pessoal segundo um estatuto próprio, com 
contribuições e benefícios específicos, sempre regidos por lei. A base de 
contribuição dos servidores públicos ainda não tem limite máximo.
2. Regime Geral de Previdência Social – RGPS - é regime de previdência social 
de organização estatal, contributivo e compulsório, administrado pelo Instituto 
Nacional do Seguro Social – INSS e pela Secretaria da Receita Federal do 
Brasil – SRFB. É o regime obrigatório para todos aqueles que exercem 
atividades remuneradas por ele descritas. 
3. Regimes de Previdência Complementar – é facultativo e de natureza privada. É 
organizado de forma autônoma em relação ao RGPS e baseia-se na 
constituição de reservas que garantam o benefício contratado.
Os Regimes Próprios e o Regime Geral de Previdência Social são administrados pelo 
Poder Público. O regime de previdência complementar é de natureza privada.
O Regime Geral de Previdência Social se estrutura na Lei nº 8.212, de 24.07.1991, 
que dispõe sobre o Custeio da Seguridade Social, e Lei nº 8.213, de 24.07.1991, 
ambas regulamentadas pelo Decreto 3.048, de 06.05.1999.
A PREVIDÊNCIA SOCIAL DO RGPS
Finalidade da Previdência Social – objetiva a cobertura dos riscos sociais, 
garantindo meios indispensáveis de manutenção em razão de incapacidade laboral, de 
idade avançada, de tempo de serviço, de encargos familiares, de prisão ou morte 
daqueles de quem dependiam economicamente e do desemprego involuntário. 
Beneficiários da Previdência Social – é todo aquele que pode ser contemplado com 
um benefício previdenciário. São os segurados e os dependentes. 
• Segurados - são pessoas físicas que contribuem para o RGPS.
Os segurados se dividem em dois grupos:
9
1. obrigatórios – são todos aqueles que exercem atividade remunerada. Nos 
termos do artigo 11 da Lei 8.213/91 e artigo 9º do Decreto 3.048/99, 
distribuem-se em:
a. empregado – aquele que presta serviço de natureza urbana ou rural a 
empresa, em caráter não eventual, sob sua subordinação e mediante 
remuneração, inclusive como diretor empregado; e outros...
b. empregado doméstico – aquele que presta serviço de natureza 
contínua, mediante remuneração, a pessoa ou família, no âmbito 
residencial desta, em atividade sem fins lucrativos;
existem três diferenças entre o empregado e o empregado doméstico:
- quanto ao empregador – o empregado presta serviço à empresa ou à pessoa 
física equiparada à empresa; o empregado doméstico presta serviço à pessoa ou 
família.
- quanto ao local de trabalho – a atividade do empregado é exercida em âmbito 
empresarial (indústria, comércio) e a do empregado doméstico em âmbito 
residencial.
- quanto aos fins – a atividade do empregado pode ou não gerar lucro para o 
empregador, mas a atividade do empregado doméstico é sempre sem fins 
lucrativos.
 
c. contribuinte individual – aquele que desenvolve atividade por conta 
própria de natureza eventual; e outros...
d. trabalhador avulso – aquele que, sindicalizado ou não, presta serviço de 
natureza urbana ou rural, a diversas empresas, sem vínculo 
empregatício, com a intermediação obrigatória do órgão gestor de mão-
de-obra;
e. segurado especial - a pessoa física residente no imóvel rural ou em 
aglomerado urbano ou rural próximo a ele que, individualmente ou em 
regime de economia familiar, ainda que com o auxílio eventual de 
terceiros, na condição de: a) produtor, seja proprietário, usufrutuário, 
possuidor, assentado, parceiro ou meeiro outorgados, comodatário ou 
arrendatário rurais, que explore atividade: 1. agropecuária em área de 
até 4 (quatro) módulos fiscais 2. de seringueiro ou extrativista vegetal 
10
que exerça suas atividades nos termos do inciso XII do caput do art. 2o 
da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, e faça dessas atividades o 
principal meio de vida; b) pescador artesanal ou a este assemelhado 
que faça da pesca profissão habitual ou principal meio de vida; e c) 
cônjuge ou companheiro, bem como filho maior de 16 (dezesseis) anos 
de idade ou a este equiparado, do segurado de que tratam as alíneas a 
e b deste inciso, que, comprovadamente, trabalhem com o grupo 
familiar respectivo. Para serem considerados segurados especiais, o 
cônjuge ou companheiro e os filhos maiores de 16 (dezesseis) anos ou 
os a estes equiparados deverão ter participação ativa nas atividades 
rurais do grupo familiar. 
2. facultativos – são todos aqueles que não se enquadram como segurados 
obrigatórios, como por exemplo, a dona-de-casa, o estudante, o desempregado 
etc, desde que tenham a idade mínima de 16 anos. Em nenhuma hipótese será 
permitida a filiação como segurado facultativo daquele que já estiver protegido 
por um sistema securitário obrigatório (RGPS ou RPPS). Artigo 13 da Lei 
8.213/91 e artigo 11 do Decreto 3.048/99.
Servidor público vinculado a RPPS – é excluído do RGPS em razão de já existir um 
sistema securitário de proteção. Porém, caso venha a exercer, concomitante, uma ou 
mais atividades abrangidas pelo RGPS, tornar-se-á segurado obrigatório em relação a 
essas atividades. É vedada a filiação ao RGPS, na qualidade de segurado facultativo, 
de pessoa participante de regime próprio de previdência (§ 5º do art. 201, CF). O 
Regulamento da Previdência Social – RPS, Decreto nº 3.048/99, permite uma exceção 
a essa regra na hipótese de afastamento sem vencimento e desde que não permitida, 
nesta condição, contribuição ao respectivo regime próprio (§ 2º do art. 11 do RPS). 
Artigo 12 da Lei 8.213/91 e artigo 9º do RPS.
• Dependentes – são aqueles que dependem economicamente do segurado, na 
forma da lei. Não cabe ao segurado a livre indicação de seus dependentes. 
Artigo 16 da Lei 8.213/91 e artigo 16 do Decreto 3.048/99.
Os dependentes agrupam-se em três classes:
1ª classe - cônjuge e ex-cônjuge com pensão alimentícia, filhos e equiparados de 
qualquer condição, menor de 21 anos, não emancipado ou maior de 21anos 
inválido.
11
2ª classe - pais.
3ª classe - irmãos de qualquer condição, menor de 21 anos, não emancipado ou 
maior de 21 anos inválido.
É preciso atentar para três regras básicas: 
1. havendo dependentes na primeira classe, os dependentes das demais classes 
ficam automaticamente excluídos.
2. os dependentes de uma mesma classe concorrem entre si em igualdade de 
condições. O benefício é rateado em cotas iguais e havendo perda da 
qualidade de dependente, a cota é revertida em favor dos demais.
3. a dependência econômica das pessoas da primeira classe é presumida e a das 
demais classes deve ser comprovada. 
Prestações da Previdência Social – o RGPS compreende as prestações divididas 
em benefícios e serviços. Os benefícios são personalíssimos, portanto, seus titulares 
são os segurados ou os dependentes. São prestações pagas em pecúnia. Os serviços 
são prestados indistintamente aos segurados e aos dependentes e são prestações 
sem valor econômico. Artigo 18 da