A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
66 pág.
AP v2 Administração de Terminais e Armazéns 09022017

Pré-visualização | Página 3 de 8

imóvel;
• Poder utilizar no futuro o espaço para outras finalidades produtivas; e
• Ter um espaço adequado para servir como base do departamento de vendas, da 
frota, do departamento de tráfego ou do departamento de compras.
 g
Há também o caso de empresas que fazem negócios com a 
provisão de serviços de armazenagem a outras organizações, 
utilizando armazéns próprios. É o caso dos armazéns gerais, de 
fornecedores de serviços logísticos, os chamados operadores 
logísticos. 
Assim, os tipos de armazéns privados podem ser pertencentes a diversos agentes 
econômicos:
• Do transportador: pertencente à administração da empresa de transporte, 
embora possa atender a outras empresas do setor e até a outras modalidades de 
transporte.
• Do usuário: pertence a uma empresa usuária, em geral uma fábrica ou indústria, 
que normalmente reserva o uso exclusivamente a seus produtos e/ou insumos, 
ainda que transportados por diferentes modalidades.
• De empresas de armazenagem: visam captar a armazenagem de usuários que 
não têm instalações próprias e podem ser servidos por uma ou mais modalidades, 
cobrando por seus serviços.
21
• De empresas ou cooperativas produtoras: para embarque de seus produtos ou 
descarga de seus insumos em um ou mais modos de transporte.
• De empresas consumidoras ou distribuidoras comerciais: para recepção e 
posterior consumo ou distribuição dos produtos desembarcados.
Públicos 
 
Os armazéns e terminais públicos procuram, em geral, 
especializar-se para servir a uma gama bem maior de 
necessidades das empresas. São muito mais padronizados na 
configuração do espaço e na utilização de equipamentos 
multiusos. 
 
Esse tipo de armazém procura oferecer uma série de serviços a 
fim de atrair e fidelizar os clientes. Oferecem serviços como 
recepção, estocagem, remessa, consolidação de lotes e 
combinação de cargas, entre diversos outros serviços ligados à 
estocagem e à movimentação dos produtos. 
A armazenagem pública traz algumas vantagens às empresas em oposição aos 
armazéns privados. Eis algumas delas:
• A empresa de transporte não imobiliza nenhum capital em instalações físicas de 
armazenagem;
• Os custos de armazenagem são menos elevados;
• A localização dos estoques de mercadorias é mais flexível; e 
• A empresa pode utilizar instalações situadas em diferentes locais.
22
 b Os armazéns públicos pertencem a órgãos e empresas ligados aos governos em todas as esferas da administração pública. São administrados pelo Poder Público. Um exemplo dos mais 
marcantes são os armazéns da Companhia Nacional de 
Abastecimento (Conab). Outros exemplos são os terminais 
aeroportuários administrados pela Infraero e os terminais 
portuários administrados pelas companhias Docas. Entre no site 
da Conab para conhecer melhor um tipo de armazém público, no 
link disponível e a seguir. 
 
 www.conab.gov.br
23
Armazéns arrendados 
 
O arrendamento de espaços em armazéns públicos e privados 
representa para muitas empresas uma opção intermediária. A 
vantagem de arrendar espaço de armazenagem é a possibilidade 
de conseguir uma tarifa mais favorável. A desvantagem é que os 
contratos de arrendamento em geral são realizados por um 
período um pouco longo. Nesse caso, o transportador ou a 
empresa perde alguma flexibilidade na questão da localização 
dos estoques de mercadorias. 
1.2 Em Relação ao Tipo de Carga
A segunda classificação refere-se ao tipo de carga movimentada no terminal ou 
armazém. Essa classificação é a mais usual no meio transportador para qualificar o 
terminal ou armazém, o qual pode ser enquadrado em uma das seguintes categorias 
(MOURA, 1998):
• Armazéns de commodities: seus serviços são limitados à estocagem e ao 
manuseio de commodities, tais como madeiras, algodão, fumo, produtos 
agrícolas etc.
• Armazéns de volumes de granéis: estocam e manuseiam granéis químicos, 
líquidos, petróleo e ácidos que podem evaporar.
• Armazéns frigoríficos: são armazéns com temperatura controlada e podem 
também regular a umidade do ambiente. Servem para estocar e manusear 
produtos perecíveis, como frutas e vegetais, alimentos congelados, produtos 
químicos e medicamentos.
• Armazéns de produtos residenciais: estocam e manuseiam utensílios 
domésticos e móveis. Embora sejam utilizados por muitos fabricantes de móveis, 
servem, sobretudo, às empresas de transporte de mudanças.
24
• Armazéns gerais de mercadorias: são o tipo mais comum de armazéns, 
manuseando e estocando uma grande variedade de produtos. Essas construções 
não necessitam, em geral, de instalações e equipamentos de manuseio 
diferenciados. 
 a Nesses armazéns, é frequente a prática de unitização das mercadorias, ou seja, a colocação dos produtos em paletes. 
• Mini-armazéns: são armazéns pequenos, com espaços reduzidos de estocagem. 
Seu objetivo é oferecer espaço extra e poucos serviços. Em geral, é sua localização 
próxima dos centros urbanos que os torna atrativos para os clientes.
1.3 Em Relação à Função do Terminal ou Armazém
A terceira classificação diz respeito à função que o terminal ou armazém desempenha 
na cadeia logística. Nesse sentido, as instalações de armazenagem podem ser 
classificadas nas seguintes categorias:
• Concentradores de produção: situam-se em regiões produtoras ou geradoras 
de carga, concentrando-as para carregamento e, assim, facilitando transporte de 
longa distância a partir de um único ponto de embarque.
• Beneficiadores: além de concentrar cargas, em particular as agrícolas, 
transformam os produtos antes do embarque, melhorando sua qualidade, a fim 
de alcançarem as especificações exigidas pelo mercado. Exemplo: secagem da 
soja antes de distribuí-la.
• Reguladores/estocadores: armazenam quantidades significativas de um ou 
mais produtos, particularmente os sazonais, de forma a atenuar os picos de 
transporte e homogeneizar a distribuição ao longo de maior período de tempo.
25
• Distribuidores: concentram produtos para a distribuição em determinada 
área, facilitando a comercialização. Exemplo: distribuidores de bebidas, de 
medicamentos, de alimentos.
Resumindo 
 
Existem várias formas de classificação dos armazéns e terminais de 
mercadorias. Não obstante essa grande variedade, os armazéns têm a 
função de servir como pontos de armazenagem de mercadorias que 
esperam o momento de serem consumidas pelos usuários finais ou de 
serem inseridas em um processo de produção de um novo produto. 
 
Os armazéns e terminais podem ser classificados quanto à propriedade em 
próprios, públicos e contratados. 
 
Os armazéns e terminais são classificados de acordo com a propriedade, 
tipo de carga e objetivo funcional.
Glossário
Arrendar: ceder o uso de um bem por tempo e preço previamente determinado.
Insumo: elemento ou fator envolvido na produção de mercadorias ou serviços.
Sazonal: de determinada época ou estação.
26
 a
1) Assinale a alternativa que contém os tipos de armazéns 
em função da propriedade da instalação. 
 
a. ( ) Misto e leasing. 
 
b. ( ) Público, privado e arrendado. 
 
c. ( ) Terceirizado e leasing. 
 
d. ( ) Nenhuma das alternativas. 
 
2) Marque Falso (F) ou Verdadeiro (V). 
 
a. ( ) Os armazéns e terminais podem ser classificados em: 
propriedade, função e tipo de carga. 
 
b. ( ) Os armazéns públicos são utilizados somente para 
armazenar produtos do governo. 
 
c. ( ) A vantagem do armazém público é seu baixo custo para o 
usuário. 
 
d. ( ) Armazém de commodities armazena produtos de 
limpeza. 
 
3) Os armazéns beneficiadores transformam o produto que 
é, em geral, uma matéria-prima. 
 
( ) Verdadeiro ( ) Falso 
 
4) O armazém público procura oferecer uma ampla gama de 
serviços a fim de atrair e fidelizar os clientes. Oferecem 
serviços como recepção, estocagem,