A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
As doenças decorrentes de imunodeficiência envolvem o mau funcionamento do sistema imunológico

Pré-visualização | Página 3 de 3

: Tratamento).
Câncer: O tratamento bem-sucedido restabelece, geralmente, o funcionamento do sistema imunológico, a não ser que as pessoas precisem continuar tomando os imunossupressores.
Diabetes: O bom controle dos níveis de glicose no sangue pode contribuir para o melhor funcionamento dos glóbulos brancos e assim evitar as infecções.
As estratégias para prevenir e tratar infecções dependem do tipo de doença decorrente da imunodeficiência. Por exemplo, as pessoas que têm uma doença decorrente da imunodeficiência devido a uma deficiência de anticorpos estão sob risco de contrair infecções bacterianas. Os riscos podem ser reduzidos com o seguinte:
Ser tratado periodicamente com imunoglobulina (anticorpos obtidos do sangue de pessoas com um sistema imunológico normal) administrada por via intravenosa ou sob a pele
Praticar boa higiene pessoal (incluindo um cuidado dental minucioso)
Não consumir alimentos mal cozidos
Não beber água que possa estar contaminada
Evitar o contato com pessoas com infecções
Os antibióticos são administrados assim que surgir febre ou outro sinal de infecção e antes de procedimentos cirúrgicos e odontológicos, capazes de introduzir bactérias na corrente sanguínea. Se uma doença (como a imunodeficiência combinada grave) aumentar o risco de desenvolver infecções graves ou infecções específicas, as pessoas podem receber antibióticos para prevenir essas infecções.
Os fármacos antivirais são administrados ao primeiro sinal de infeção se as pessoas tiverem uma doença decorrente da imunodeficiência que aumente o risco de infecções virais (como imunodeficiência devido a uma anormalidade das células T). Esses medicamentos incluem amantadina para influenza e aciclovir para herpes ou varicela.
As vacinas são administradas se a doença específica decorrente de imunodeficiência não afetar a produção de anticorpos. As vacinas são administradas para estimular o corpo a produzir anticorpos que reconheçam e ataquem bactérias ou vírus específicos. Se o sistema imunológico não for capaz de produzir anticorpos, a administração de uma vacina não resulta na produção de anticorpos e pode até causar uma doença. Por exemplo, se um distúrbio não afetar a produção de anticorpos, pessoas com esse distúrbio recebem vacina para influenza uma vez ao ano. Os médicos também podem administrar esta vacina aos familiares imediatos da pessoa e a pessoas com contato próximo com a pessoa. Em geral, as vacinas com vírus vivo não são aplicadas em pessoas com uma anormalidade nas células B ou T, porque essas vacinas podem causar uma infecção nessas pessoas. As vacinas com vírus vivo incluem a vacina contra o rotavírus, a vacina contra o sarampo, a parotidite e a rubéola, a vacina contra a varicela (catapora), a vacina contra herpes zoster (cobreiro), a vacina contra o Bacilo Calmette-Guérin (BCG) e a vacina contra influenza aplicada na forma de spray nasal. A vacina oral contra o poliovírus com vírus vivo não está mais disponível nos Estados Unidos, mas é usada em outras partes do mundo.
O transplante de células-tronco ( Transplante de células-tronco) pode corrigir algumas doenças decorrentes de imunodeficiência, sobretudo a imunodeficiência combinada grave. Geralmente, são obtidas células-tronco a partir da medula óssea, embora possam ser obtidas a partir do sangue (incluindo o sangue do cordão umbilical). O transplante de células-tronco, disponível em alguns dos maiores centros médicos, está, no entanto, geralmente reservado para as doenças graves.
Por vezes, o transplante de tecido do timo é útil. A terapia genética para algumas doenças decorrentes de imunodeficiência tem sido bem-sucedida.
Com o tratamento adequado, muitas pessoas com uma doença decorrente da imunodeficiência têm uma expectativa de vida normal. Contudo, algumas pessoas exigem tratamento intensivo e frequente durante toda a vida. Outras, como aquelas com imunodeficiência combinada grave, morrem durante a infância a menos que recebam um transplante de medula óssea ou de células-tronco.
www.msdmanuals.com/pt-br/casa/doenças-imunológicas/doenças-decorrentes-de-imunodeficiência/visão-geral-de-imunodeficiências