A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Literatura Comparada Revisão AV1 (1)

Pré-visualização | Página 1 de 2

LITERATURA COMPARADA
Aula - Revisão para AV1
 Primeiros Passos
O que é Literatura Comparada? 
 
“A Literatura Comparada é a forma de pesquisa que se serve do método comparativo”. 
 
Literatura Comparada é um campo de estudo.
Método de pesquisa (simples) x Campo de Estudo (bem mais que uma simples disciplina)
Forma de investigação literária que confronta duas ou mais literaturas.
LITERATURA COMPARADA
Literatura Comparada traz como característica fundamental, desde o seu surgimento como disciplina acadêmica, a noção de transversalidade.
 Abarca também as relações entre a literatura e as diferentes formas de manifestação estética ou a literatura e distintas áreas do conhecimento, principalmente as que fazem parte das Ciências Humanas.
 É o estudo da literatura além das fronteiras de um determinado país; é o estudo das relações entre a literatura e diferentes áreas do conhecimento: a pintura, a escultura, a arquitetura, a música , a história, a filosofia, as ciências sociais, a política, a economia, a sociologia -, as religiões, etc..
LITERATURA COMPARADA
 Aspectos sobre o estudo de Literatura Comparada
 Complexidade x Complicação
Complexidade: está presente nas minúcias (riqueza de detalhes), na variedade e no entrelaçamento de informações que teremos de coletar e absorver para produzir o resultado de nossa investigação.
Complicação: dificuldade de se fazer entender.
LITERATURA COMPARADA
 O conceito de Literatura Comparada evoluiu com o passar dos anos, acompanhando os rumos do processo histórico, como os conceitos elaborados pelo homem para compreender o mundo à sua volta. 
No contato com os trabalhos qualificados como “estudos literários comparados”, podemos observar investigações variadas que envolvem diferentes metodologias, dando à literatura comparada vasto campo de atuação, em consequência da pluralização dos objetos de análise (Em função da diversidade de estudos, a sua complexidade é acentuada).
LITERATURA COMPARADA
A comparação é um processo mental que beneficia a generalização ou a diferenciação, ou seja, indução e dedução. Não pode ser entendida como uma sinonímia de “comparação”. 
Literatura comparada compara, pois como recurso analítico e interpretativo, a comparação possibilita a este estudo literário a exploração adequada de seus campos de trabalho e o alcance dos objetivos a que se propõe. E é o seu emprego sistemático que distinguirá a sua atuação. Ela é um meio, não um fim. 
LITERATURA COMPARADA
O nascimento da Literatura Comparada
A visão cosmopolita gerou o encontro de intelectuais europeus que buscaram o contato com literaturas estrangeiras. 
Literatura comparada surge como disciplina no século XIX e está vinculada à corrente de pensamento cosmopolita que caracterizou o pensamento daquele século; época em que se comparar estruturas ou fenômenos equivalentes com o intento de extrair leis gerais era o mote nas ciências naturais. 
Amplo desenvolvimento da ciência, no  século XIX, e todas as áreas do conhecimento registraram avanços. A ciência tornou-se mais popular.
LITERATURA COMPARADA
Está ligada diretamente aos rumos da História do Pensamento, de um modo geral. Nela se refletem sempre tendências importantes das Ciências Humanas, em cada época. Logo, podemos afirmar que a história da Literatura Comparada vem acompanhando os rumos da história social, política e cultural do Ocidente ao longo do tempo. 
Os estudiosos da Europa realizavam estudos comparativos que tendiam a uma avaliação hierarquizante: superioridade de uma cultura sobre a outra. Hoje foi abolido. 
LITERATURA COMPARADA
A revolução industrial trouxe o triunfo da mentalidade capitalista, com um olhar mais voltado para o agora e o futuro;
O classicismo perdia força, dando espaço ao surgimento do período romântico, no qual o conceito de evolução terá um papel decisivo; 
Um olhar voltado para frente, para o potencial humano de construir um novo destino passou a dominar as almas a partir de então;
Os burgueses, com sua habilidade de empreendimento e sua busca por ampliar seus negócios e fundando um novo modo de enxergar o mundo, segundo o qual haveria mais liberdade para a criação e a imaginação;
LITERATURA COMPARADA
Poetas e pensadores percebem que a lógica burguesa atrelava este liberalismo a seus propósitos de enriquecimento. Daí a visão romântica se articular em torno de uma visão de repulsa à racionalidade do capitalista;
Outro atributo do romantismo que é de extrema importância para a consolidação da Literatura Comparada: o gosto pelo exótico, que levará estudiosos a se interessarem pelo estudo da produção literária de povos distantes, para além das fronteiras das nações mais ricas da Europa;
LITERATURA COMPARADA
Literatura Comparada iria estudar os fatos literários além das fronteiras políticas ou culturais (Transnacional). No entanto, as limitações ideológicas da época impediam que os estudiosos enxergassem os fatos para além da Europa (França e Inglaterra).
Limitações do comparatismo - XIX - a tendência a hierarquizar as literaturas, tendo como ponto de honra a superioridade das literaturas europeias sobre as demais e da francesa, em particular, sobre as outras do continente. 
LITERATURA COMPARADA
 Críticas e dúvidas no século XX
Os conflitos, contradições e mudanças trazidas pelo advento do novo século marcaram profundamente os estudos comparatistas. Avanços tecnológicos proporcionados por descobertas científicas que já estavam em curso desde o século XIX. 
Cinema
Fotografia
Internet
O confronto entre a produção literária e as outras artes passa, cada vez mais, a ser incorporado como um campo de pesquisas para a Literatura Comparada, que avança além do cotejo entre diferentes literaturas nacionais.
LITERATURA COMPARADA - 
Fundamentos Teóricos
Teoria bem aplicada é um importante instrumento para enriquecer nossa prática de ler as obras e compará-las entre si. 
Teoria nos instrumentaliza, aumentando nossa capacidade de compreender os fatos da realidade. 
LITERATURA COMPARADA - 
Literatura Comparada é composta de três grandes linhas teóricas, divididas em “escolas”: 
Francesa – relações “causais” entre obras ou entre autores e historiografia literária;
Norte-Americana – eclética e absorve o New Criticism e os estudos comparados na fronteira de uma única literatura.
Soviética- apoiada nos princípios do estruturalismo de Praga - formalistas russos ou leste europeu. 
LITERATURA COMPARADA - 
Francesa
Paul Van Tieghem (precursor); 
História literária;
História Geral; 
Duas ou mais literaturas distintas;
As ligações que existentes entre: forma, conteúdo e estilo;
Metodologia: emissor, receptor e transmissor;
O foco é o autor e o que lhe diz respeito; 
Literatura Geral x Literatura Comparada
LITERATURA COMPARADA - 
Norte- Americana
René Wellek colocou em xeque a hegemonia francesa nos estudos comparatistas;
Cisão entre o princípio francês e norte-americano; 
Eclética, aceita a análise de obras literárias dentro de uma única literatura e também se pauta nos estudos do new criticism;
Condena o afastamento dos movimentos críticos e acadêmicos;
Condena a separação entre Literatura comparada e Literatura geral;
Estudar qualquer literatura internacional sem limitar a um único método.
LITERATURA COMPARADA - 
Soviética 
A Renovação dos estudos da literatura comparada – 1950/60;
Quebra da supremacia francesa e norte-americana;
Investigação literária marxista se coloca contra a orientação francesa – Vitor Zhirmunsky;
Compreensão da literatura como produto da sociedade;
Distinguir entre analogias tipológicas e importações culturais – influências;
Relevância dos estudos literários será a questão social;
Comparação será a base da