A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
A CRIAÇÃO DO ESCRITÓRIO ARQUITETURA PLANO DE NEGÓCIOS

Pré-visualização | Página 1 de 7

A CRIAÇÃO DO ESCRITÓRIO (EMPRESA) DE ARQUITETURA OU DE ENGENHARIA (O Plano de Negócio)
Antes de iniciar o processo de abertura do escritório é importante definir o Modelo do Negócio que é a decisão sobre como a empresa será constituída: escritório de autônomo, associação de profissionais, sociedade com outros profissionais ou outras formas de organização que atendam os interesses e as condições materiais dos interessados (veja detalhes na página 39 do livro ADMINISTRAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA)
Uma vez que o modelo de negócio já esteja definido, que os sócios (se for o caso) já estejam bem entendidos sobre as questões de princípios (derivados de crenças e valores) e que (isso é importante) já se tenha decidido sobre quem irá assumir as tarefas de administração do escritório... pode-se seguir em frente e buscar os passos seguintes:
• Contratar um Contador para orientar a confecção do Contrato Social;
• Providenciar os documentos necessários;
• Relacionar os custos de instalação do escritório, considerando os primeiros meses de atividade;
• Elaborar um PLANO DE NEGÓCIO simples e exequível;
• Incluir no Plano de Negócio o Plano de Marketing, privilegiando um plano agressivo de comunicação e vendas para os primeiros meses.
O PLANO DO NEGÓCIO
O Plano do Negócio é o projeto da sua empresa. Abrir uma empresa sem fazer um Plano de Negócio é como construir uma casa sem fazer um projeto. É possível, mas, com certeza irá ficar mal feito e os custos serão mais elevados (sem contar uma série de outros problemas que poderão surgir pela falta do planejamento).
O Plano de Negócio é um documento (que pode ter de 10 a 100 páginas, dependendo do nível de detalhamento) que descreve o planejamento global da empresa, incluindo motivações, instalações, equipamentos, conhecimentos, tecnologias, custos, além de um esboço do Manual de Operações.
O Plano de Negócio é composto dos seguintes itens (ou partes):
SUMÁRIO EXECUTIVO
O sumário executivo é um pequeno resumo do seu plano de negócios (cerca de uma página). Geralmente ele é a última seção do plano que você vai fazer, pois precisará de todos os dados para tal. Aqui aparece em primeiro, pois estou considerando a ordem na qual as seções devem ser apresentadas.
Deverá conter : Descrição da empresa, Missão, Perfil dos empreendedores, Produtos e serviços, Mercado de atuação, Localização, Investimento inicial, Forma Jurídica e Enquadramento tributário.
Para pensar no sumário executivo, você deve entender seu plano de negócios (possíveis investidores, sócios, parceiros). Eles não possuem tempo, portanto o que fará eles lerem o plano todo será a qualidade dos indicadores mostrados no sumário executivo.
Sobre a empresa
Se você conseguiu conquistar o seu público com o sumário executivo, ele vai querer ver mais! E a primeira coisa que temos que mostrar é como a empresa está hoje e a trajetória dela até aqui.
A Equipe
O primeiro passo e um dos mais sensíveis, principalmente para investidores, é saber quem vai gerenciar o dinheiro aplicado por ele. Eles estarão interessados, pelo menos, em saber qual é o nível mais alto de gestores da nova empresa. Ressalte os bons atributos do time.
Estrutura organizacional e plano estratégico
Mostre no seu plano de negócios que a sua empresa ou ideia de negócio possui características intrínsecas e visão de longo prazo que fazem com que ela seja única.
Missão, visão e valores
O objetivo aqui não é montar um planejamento estratégico completo, mas sim, mostrar que você está embasado em uma visão estratégica maior do que “faturar mais e ter lucro”. Um investidor não apostaria em você sabendo que sua empresa é igual a uma concorrente já existente.
Estrutura atual da empresa
A imagem que melhor define a estrutura atual da empresa é o organograma. Serve para mostrar como a empresa está organizada hoje. No caso de uma ideia de negócio, pode ser mostrada a projeção do organograma esperado após a aplicação de investimentos.
É bastante comum mostrar no plano do negócio a evolução esperada do organograma em fases ou anos.
INTRODUÇÃO, onde é descrito o mercado para o produto típico da sua empresa e as razões pelas quais, de uma maneira geral, pode-se acreditar que uma empresa que atenda a este mercado tem chances de sucesso.
• Breve discussão sobre o NOME DA EMPRESA. Esta discussão deve dar uma explicação para a escolha.
• Definição dos ATRIBUTOS DA MARCA. (as promessas). Características dos produtos que serão disponibilizados ao mercado.
CUSTOS
(1) Custo de Instalação;
(2) Custo de Manutenção e
(3) Custo de produção de cada unidade (considerando o número provável de unidades vendidas por mês)
REMUNERAÇÃO (dos sócios e dos operadores).
Deve-se atribuir um valor ao trabalho de cada um dos agentes operadores da empresa.
• Administrador (Administração Financeira, Administração de Pessoal)
• Técnico (o trabalho de produção em si)
• Administração de Mercado (Marketing) - o que inclui a elaboração de orçamentos, as negociações e o fechamento dos negócios;
EQUIPE DE TRABALHO (Descrição detalhada)
Quantos empregados são necessários? para que funções? e quais as características e atribuições de cada empregado?)
Também é interessante que o Plano de Negócio já faça menção à forma como os empregados deverão ser selecionados e treinados
ANEXOS:
(1) Minuta do Contrato Social;
(2) Estudos Econômicos que serviram de referência para o Plano de Negócio;
(3) Leis que regem o negócio;
MODELO ASSSISTIR COMO EXEMPLO DO SUMÁRIO EXECUTIVO.
https://prezi.com/6etz_6r30qs8/r2-arquitetura-e-paisagismo-plano-de-negocios/
ESTUDO DE ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA
1. Apresentação
Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?
O negócio “Escritório de Arquitetura” está baseado na prestação de serviços diretamente às pessoas físicas, empresas ou governo, que buscam os serviços de arquiteto para suas demandas de projeto e obra civil. Neste sentido, os serviços prestados por um Escritório de Arquitetura vão desde a consultoria e desenvolvimento de projetos arquitetônicos e de arquitetura de interiores, podendo chegar à coordenação de obras, paisagismo e planejamento urbano, dentre outros serviços relacionados ao exercício profissional. A unidade empresarial pode ser o escritório de um profissional arquiteto trabalhando sozinho ou com equipe de arquitetos. 
Para atuar como Arquiteto em um Escritório de Arquitetura é necessário o registro junto ao CAU do Estado ou Distrito Federal para habilitar a atuação em todo o território nacional. O primeiro sistema de regulamentação profissional foi oficializado em 1933, através da fundação do primeiro Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA) no Rio de Janeiro. A primeira legislação brasileira a regular a profissão foi a Lei Federal nº 5.194/1966. Esta lei além de regular a profissão de Arquiteto, também diz respeito às profissões de Engenheiro e Engenheiro-Agrônomo. Até 2010, as atribuições e especificações dos serviços que competem ao profissional de arquitetura e urbanismo eram identificáveis através desta lei e da Resolução 218/1973 do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA, 1973).
Em dezembro de 2010, foi aprovada a Lei Federal nº 12.378, lei específica à profissão de arquiteto, que regula o exercício da profissão, suas atividades e atribuições, além de, também, criar o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), no âmbito do Brasil e das unidades federativas.
Montar um Escritório de Arquitetura é uma opção de negócio para quem

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.