Manual de Biossegurança
34 pág.

Manual de Biossegurança


DisciplinaBiossegurança2.138 materiais8.592 seguidores
Pré-visualização10 páginas
Objetivo
Este manual tem como objetivo orientar os colaboradores do Hospital Humanitária garantindo que tenham segurança na realização dos procedimentos existentes, esclarecendo os princípios básicos de biossegurança, bem como as medidas que evitem os acidentes de trabalho. 
Descrição das responsabilidades;
Os supervisores dos setores, em conjunto com o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar são responsáveis pela segurança no ambiente hospitalar, cabendo a cada funcionário executar os procedimentos de acordo com as normas descritas, entendendo que a segurança é responsabilidade de cada colaborador nas atribuições de suas funções. 
2.1 Serviço de Controle de Infecção Hospitalar e Segurança do Trabalho
- Elaborar e desenvolver o manual de biossegurança, dentro da legislação vigente e suas revisões quando necessário.
- Distribuir a todos os setores do Hospital.
- Garantir o treinamento dos colaboradores em biossegurança.
2.2 Supervisor do Setor
- Verificar e relatar ao Serviço de Infecção Hospitalar (risco biológico) e a Segurança do Trabalho (demais riscos) os riscos decorrentes das atividades do seu setor.
- Assegurar a realização das atividades de forma segura.
- Treinar os colaboradores do seu setor em biossegurança.
2.3 Segurança do Trabalho
- Cooperar com o Serviço de Infecção Hospitalar no que diz respeito as ações de biossegurança.
- Acompanhar atividades recomendadas no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
- Acompanhar e desenvolver o Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional.
- Treinar os colaboradores em biossegurança.
Mapa de Riscos
Consiste em um mapa dos diferentes setores do Hospital, onde está sinalizado e potencializado o risco existente no Hospital Humanitária.
Riscos Ambientais são representados de acordo com o grau existente no ambiente. Sua representação gráfica no mapa é apresentada em cores e a dimensão em círculo.
Abaixo legenda de cores do mapa de risco:
Físico: Verde
Químico: Vermelho
Biológico: Marrom
Mecânico: Azul
Ergonômico: Amarelo
Riscos Físicos
São representados no ambiente de trabalho através de ruídos, vibrações, temperaturas anormais, radiações ionizantes, radiações não ionizantes, calor, iluminação, eletricidade e umidade. 
Ruído:
O ruído excessivo causa diversos danos à saúde do trabalhador, entre elas destacamos:
Danos auditivos: redução ou surdez parcial.
Surdez permanente: Quando ocorre, o tratamento é de difícil consecução, causando danos irreversíveis ao trabalhador da saúde.
Danos extra auditivos: Os principais danos extra auditivos estão relacionados com as alterações do sistema cardiovascular, alterações endócrinas, desordens físicas como cefaléias, náuseas além das dificuldades mentais e emocionais
Trauma acústico: decorrente de exposição repentina a ruído com intensidade na faixa de 140 ou mais decibéis, o que provoca uma lesão do tímpano. 
Avaliação Quantitativa de Ruído nas dependências do Hospital Humanitária
Setores abaixo do limite permissível
Administração
Posto de Enfermagem
Centro Cirúrgico
UTI
Recepção - Pronto Atendimento
Internação
Serviço Social
Setores Críticos
 
Central de Material de Esterilização
Departamento de Engenharia e Manutenção
Posto de Enfermagem \u2013 Pronto Atendimento
Medidas de Controle Existente
Abafador de Ruído com atenuação NRRsf 14db (A) 
Obs: Os protetores auriculares deverá ser utilizados durante o tempo em que estiver em exposição ao ruído, não sendo eficaz o uso descontínuo . 
Calor:
Todo o processo que necessita de calor pode causar danos e problemas relacionados com a sobrecarga térmica, causando ao trabalhador uma sensação de desconforto, sendo que durante a variação de temperatura corporal, constata-se que o trabalhador perde rendimento na execução de suas tarefas, tem diminuída sua produtividade com conseqüente aumento da tendência de sofrer acidentes. 
Danos causados pelo calor excessivo;
Dores de cabeça
Tonturas
Torpor
Sede intensa
Vermelhidão
Transpiração abundante
Pulso rápido e inconsciência
Pode ocorrer cãimbra muscular
Avaliação Quantitativa de Calor
Os setores avaliados no Hospital Humanitária, estão dentro dos limites estabelecido pelas Normas Técnicas de Segurança e Medicina do Trabalho.
Setores críticos
Central de Material de Esterilização
Serviço de Nutrição Dietética
Medidas de Controle Existente
Climatização
Limitação do tempo de exposição
Exaustão
Radiação:
Radiação é a energia emitida por partículas e ondas eletromagnéticas liberadas durante o processo de desintegração atômica.
A radiação ionizante é utilizada na medicina para fins de Diagnóstico, Terapêutica e na Medicina Nuclear, sendo que a área de Medicina Nuclear, nos dias de hoje, trabalha também com a área de Diagnóstico e Tratamento. 
Devido a sua capacidade de atravessar tecidos humanos e imprimir chapas radiográficas, os Raios X têm ampla utilização em diagnóstico permitindo a visualização de órgãos e estruturas internas.
A gravidade dos efeitos das radiações depende de uma série de fatores: o tipo de exposição \u2013 ( se todo o corpo ou apenas parte dele; se interna ou externamente ) e a intensidade que pode ser aguda \u2013 ( dose excessiva ) ou crônica ( doses repetidas e prolongadas). 
Como conseqüência dos efeitos das radiações podem ocorrer mutações genéticas, inclusive quebras cromossômicas, sendo que também a inibição da divisão celular pode levar ao aparecimento do câncer. Além disso, podemos afirmar que os efeitos mais importantes nocivos do uso da radiação em processo controlado são: 
Os que incidem nas glândulas reprodutoras, por serem essas as mais sensíveis 
Os tecidos apresentam diferentes graus de sensibilidade sendo os mais sensíveis os da medula óssea, tireóide e do cristalino.
As transformações cancerosas não ocorrem repentinamente, havendo um período de latência entre a exposição e o aparecimento dos tumores.
As mutações genéticas só se farão presentes nas gerações posteriores.
Pode-se afirmar que a característica mais grave da radiação é o fato da mesma ser cumulativa, sendo que exposições constantes e contínuas têm seus efeitos nocivos através dos anos.
Medidas de precaução e prevenção:
Distância: os efeitos da radiação diminuem com o quadrado da distância na radiação primária, sendo que chamamos de radiação primária a transmissão ocorrida na linha reta do feixe. A radiação secundária, que é aquela que provém do reflexo do raio nas áreas ao redor da incidência do feixe tem menor intensidade, e, portanto pouca penetrabilidade, mas isto não significa que não tenha efeito cumulativo e nocivo à saúde do trabalhador. A radiação secundária é a mais importante para os profissionais da saúde, que poderá ser atingido por ela, no desenvolvimento de sua prática diária. 
Barreiras: Utilizamos como barreiras o uso de anteparos, como biombos, paredes aventais e colares, feitos com material que não deixem passar a radiação, sendo o mais indicado, o chumbo.
Embora os Raios X consigam atravessar vários tipos de matéria, grande parte deles é absorvido. Essa perda é diretamente proporcional à espessura da camada e ao número atômico da substância. O chumbo é praticamente impenetrável e por isso constitui uma eficiente barreira de proteção do Raio X.
O uso das radiações em medicina sejam elas ionizantes ou não ionizantes é extremamente comum e está presente em nosso dia-a-dia. Por esse motivo devemos sempre nos lembrar que o risco existe, embora controlável e seguir as orientações e precauções recomendadas pelos organismos legais. 
Dosimetria: Processo de monitoração individual externa de dose absorvida durante a jornada de trabalho por indivíduos ocupacionalmente expostos a radiação ionizante.
Frio:
A exposição do ser humano a ambientes de baixa temperatura