Psicologia da Percepcao   Revisao para Av1   Aula 01 a Aula 07 grupo
5 pág.

Psicologia da Percepcao Revisao para Av1 Aula 01 a Aula 07 grupo

Disciplina:Psi da Percepção4 materiais15 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Psicologia da Percepção
Professora: Gisela Chicralla
Data: Terça-feira, 01 de Maio de 2018 (Revisão para Av1 – Aulas 01 a 07)
Aula 02 (28/02/2018) – Sensação e Percepção:
Observação: Na aula 01 (21/02/2018), não houve matéria, apenas a apresentação da disciplina, ementa e orientações para as avaliações (Av1, Av2 e Av3).
A Sensação é o fruto de um estímulo que é recebido e descodificado pelo sistema nervoso central. Por outro lado, a Percepção é a interpretação dessa Sensação. A mesma Sensação (ou sensações muito semelhantes) pode levar a percepções diferentes, em pessoas diferentes.

Aula 03 (07/03/2018) – O que é Percepção:
A Percepção refere-se ao produto dos processos psicológicos, nos quais, significados, relações, contexto, julgamento, experiências passadas e memória desempenha um papel.
A Percepção está ligada aos nossos cinco sentidos (visão, olfato, paladar, audição e o tato) e ainda temos a percepção temporal, espacial e propriocepção.
Percepção Visual – É caracterizada pela recepção de raios luminosos pelo sistema visual. Compreende a percepção de formas, relações espaciais (profundidade), cores, movimentos, intensidade luminosa.

Percepção Olfativa – É a percepção dos odores pelo nariz, sendo importante na afetividade (memória afetiva) e também na nossa alimentação. O alcance olfativo, nos seres humano é limitado.

Percepção Gustativa – O paladar é o sentido dos sabores pela língua e discrimina sabores doce, amargo, azedo e salgado.

Percepção Auditiva – É a percepção de sons pelos ouvidos. Intensidade sonora, ritmo e localização auditiva (neste último caso, associada à percepção espacial que permite distinguir o local de origem do som).

Percepção Tátil – É sentido pela pele de todo o corpo. Os dedos da mão possuem uma discriminação muito maior do que as demais partes do corpo. Através do tato, podemos reconhecer presença, forma e o tamanho dos objetos em contato com o corpo, bem como a temperatura. Importante na percepção da dor.

Percepção Temporal – Essa percepção é desenvolvida com as próprias experiências (experiências subjetivas) e é adquirida com o passar das idades.
Percepção Espacial – Envolve a percepção de distância e do tamanho relativo dos objetos. Utiliza-se de outras percepções como a auditiva e visual.

Percepção Propriocepção – É específica dos seres humanos e permite reconhecer localização espacial do nosso corpo, sua posição e a orientação, sem utilizar a visão. Está ligado ao sistema vestibular do nosso ouvido interno, permitido a manutenção do equilíbrio e a realização de diversas atividades práticas.

Aula 04 (14/03/2018) – Raízes Históricas e Científicas da Sensação e Percepção
Aristóteles (384 – 322 a. C.) foi o primeiro dos antigos filósofos gregos a postular o cuidado na observação e na descrição da natureza.
Acreditava-se que todo o conhecimento do mundo exterior é ganho através da experiência fornecida pelos sentidos, estabelecendo assim, a divisão básica dos cinco sentidos em visão, audição, paladar, olfato e tato.
O Empirismo (Escola Filosófica) é a doutrina pela qual a única fonte do verdadeiro conhecimento do mundo é a experiência sensorial, ou seja, aquilo que é visto, ouvido, degustado, cheirado e tocado.
Para o empirista John Locke (1632 – 1704), a mente é vazia, uma tábua rasa, ou folha em branco, sobre a qual são escritas as experiências proporcionadas pelos sentidos.
Para o empirista George Berkeley (1685 – 1753), o mundo dos objetos não existe quando não é sentido, salientando que, o mundo existe apenas como uma percepção.
Segundo o psicólogo Edwin Boring (1886 – 1968), após a sua observação a respeito da luz, concluiu que a luz é um conceito inventado para explicar a visão, já que foi a percepção que ofereceu os primeiros problemas da física.
Em 1879, em Leipzing, Wundt conduziu uma série muito importante de estudos laboratoriais sobre a visão, audição, atenção e tempo de reação (que imaginou como sendo um meio para medir a velocidade do pensamento), que colocaram os problemas e assuntos da sensação e da percepção em posição similar aos de qualquer ciência.
Os problemas de outras ciências estão intimamente interligados aos da sensação e da percepção. Do mesmo modo, o estudo da sensação e da percepção requer conhecimentos de áreas cientificas alheia à psicologia.

Aula 05 (21/03/2018) – Aprendendo a se Conhecer e conhecer o Outro
A percepção é dentro deste contexto a forma como os dados do ambiente e do corpo são coletados, processados, associados a outras funções cognitivas para produzir planos de ação e mudanças fisiológicas adaptativas. Portanto, para entender a percepção demos entender a natureza das informações ambientais e como elas são captadas.
O Sistema Nervoso é uma estrutura altamente conectada com a capacidade de processar informações coletadas no organismo e no ambiente, analisando as características destas informações, associando de maneira a constituir um mapa do ambiente e um mapa do estado fisiológico e metabólico do organismo, permitindo planejar ações no ambiente e produzir modificações no organismo. Estes processos ocorrem a todo o momento e em muitos casos ao mesmo tempo.
O córtex cerebral desempenha um papel central em funções complexas do cérebro, na memória, como atenção e consciência.
Lobo Frontal – Responsável pela elaboração do pensamento, planejamento, programação de necessidades individuais e emoção.

Lobo Parietal – Responsável pela sensação da dor, tato, gustação, temperatura e pressão.

Lobo Temporal – É relacionado primariamente com o sentido da audição, possibilitando o reconhecimento de sons específicos, bem como, a sua intensidade.

Lobo Occipital – Responsável pelo processamento da informação visual.

Cerebelo – responsável pela manutenção do equilíbrio, pelo controle do tônus muscular, dos movimentos voluntários e aprendizagem motora.

Predisposição perceptiva é a capacidade de entender e interpretar a percepção.
Exemplo: Formar a imagem é diferente de entender o que está vendo.
Sensações e as vias sensoriais

A somestesia é as sensações do corpo e depende de uma diversidade de receptores espalhados pelos tecidos corporais. Esses receptores têm adaptações morfofuncionais (engloba as áreas do conhecimento de anatomia, fisiologia, histologia e embriologia) para os estímulos.
Consideramos a somestesia como a reunião de todos os sentidos relativos ao corpo, tais como:
Sentido Cutâneo
Sentido Orgânico
Dor
Cinestesia
Sentido Vestibular
Olfato
Paladar
Visão
Audição

Os receptores recebem nomes específicos;

Quimioceptores – Estímulos químicos (olfativo e gustativo)
Mecanoceptores – Estímulos mecânicos (audição e tátil)
Fotoceptores – Respondem a intervalo de frequências da onda eletromagnética, recepção da luz (visão)
Nocirreceptores – Protege os tecidos de lesões (tátil)

Os receptores sensoriais vão se conectar com outros neurônios formando vias exclusivas de processamento para cada modalidade sensorial.
Outros conceitos básicos:

Autoconsciência – está consciente das suas emoções, do seu estado interior de espirito.
Autogerenciamento (controle emocional) – A amigdala guarda os registros das nossas emoções desde o dia do nascimento. Ou seja, gerenciar esse registro de emoções.
Automotivação – é a capacidade de manter-se motivado
Empatia – é se colocar no lugar do outro
Habilidade social – é a capacidade de lidar com as emoções dos outros

Aula 06 (28/03/2018) – A sensação auditiva e o equilíbrio
A Audição depende de vibrações do ar. Essas vibrações são chamadas de ondas sonoras e são deformações nas camadas de ar.
São separadas em três partes;
Ouvido externo
Ouvido médio
Ouvido interno
Na região chamada, “ouvido médio”, encontramos uma membrana chamada de Tímpano. O tímpano não é responsável pela tradução do som, quem vai traduzir o estimulo sonoro são os Mecanoceptores que ficam no interior de uma estrutura conhecida como cóclea.
O tímpano