A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
REVISÃO DA LITERATURA

Pré-visualização | Página 1 de 1

DISCIPLINA: PRODUÇÃO DE TEXTOS 
PROFA. DRA. SILVANA SILVA 
 
 
REVISÃO DA LITERATURA 
DENTRO DO ARTIGO CIENTÍFICO 
Referências: 
 
CHARAUDEAU, Patrick. Linguagem e Discurso. São 
Paulo: Contexto, 2008. 
KOCH, Ingedore. Argumentação e Linguagem. Rio de 
Janeiro: Cortez, 2001. 
 
MOTTA-ROTH, Desirée. Redação acadêmica. Santa 
Maria: UFSM, 2001. 
 
 
 
CONCEITO 
 A revisão da Literatura é o momento em que você 
situa seu trabalho em relação a uma série de 
trabalhos anteriores. 
 
 Não há uma padronização sobre um número 
considerado ‘ideal’ de referências. Em geral, 
observamos três (3) autores, no mínimo, citados 
em torno do tópico/objetivo da pesquisa. 
FUNÇÕES 
 1. Reconhecer e dar crédito à criação intelectual 
de uma determinada cultura disciplinar; 
 
 2. Indicar que se qualifica como membro de uma 
cultura disciplinar através da familiaridade com 
a produção do conhecimento da área; 
 
 3. Abrir espaço para estabelecer novas pesquisas; 
 
 4. Emprestar a um texto uma voz de autoridade 
intelectual 
ESTRUTURA RETÓRICA 
Movimentos: 
 
 1. Estabelecer interesse profissional no tópico 
 2. Fazer generalizações sobre o tópico 
 3. Citar o objetivo do estudo 
 4. Citar pesquisas prévias 
 5. Estender pesquisas prévias 
 6. Contra-argumentar pesquisas prévias 
 7. Indicar lacunas em pesquisas prévias 
 8. Resumir ou situar ao leitor a pesquisa prévia 
mais relevante para o objetivo da pesquisa 
PROCEDIMENTOS DISCURSIVOS 
 Definição (de conceitos, de comportamentos, de 
pesquisas) 
 
 Comparação 
 
 Questionamento 
 
 Citação 
 
 Acumulação (de argumentos) 
 
DESCRIÇÃO LINGUÍSTICA DA REVISÃO DA 
LITERATURA 
 Construção da polifonia linguística para atingir a 
autoridade intelectual, pelo: 
 
a) Uso das vozes dos discursos direto, indireto e 
indireto livre) 
 
b) Debate interno entre vozes 
 
c) Confirmação ou refutação (parcial ou total) de 
pressupostos de alguns autores 
TIPOS DE CITAÇÃO 
 Citação direta: Dodson (1985, p. 14) afirma que 
“.....” 
 
 Citação indireta: Há várias teorias sobre 
Administração (Crane, 1997). 
 
 Citação condicional: Segundo indicado por 
Stuart (1999), é necessário observar que... 
VERBOS DE ATITUDE DO INVESTIGADOR 
 1. Verbos de procedimento: categorizar, conduzir, 
comparr, investigar, analisar, discutir. 
 
 2. Verbos de objetividade: obter resultado, 
mostrar, encontrar 
 
 3. Verbos de efeito: mostrar, demonstrar, revelar 
 
 4. Verbos de qualificação: chamar atenção, 
levantar a questão; 
 
 5. Verbos de incerteza: estimar, hipotetizar, 
predizer, propor 
 
 
VERBOS E ATITUDE DO INVESTIGADOR 
 Verbos de argumentação: apresenta suporte, 
oferece evidência, fornece dados, conclui 
 
 Verbos de informação: refere, nota, reporta, 
documenta 
 
 Verbos de atitude cognitiva: acredita, pensa, 
focaliza, interpreta 
ENCADEAMENTO FRASAL E 
ARGUMENTAÇÃO 
 “todo enunciado faz alusão à sua enunciação: 
desde que se fala, fala-se de sua fala. (...) Essa 
hipótese pode desempenhar um grande papel na 
descrição dos encadeamentos de enunciados que 
constituem o discurso. É interessante, para 
compreender que dois enunciados sucessivos são 
ligados um com o outro, admitir que sua relação 
semântica concerne não às informações que eles 
comunicam relativamente aos eventos do mundo, 
mas a este evento particular que constitui sua 
enunciação, vista através da imagem que dela dá 
o sentido do enunciado” (Ducrot, 1980, sobre a 
polifonia) 
OPERADORES ARGUMENTATIVOS 
Na passagem de uma frase a outra, é 
possível ver elementos de transição, 
pequenas ‘pistas’ ou instruções 
gramaticais que nos possibilitam ver o 
discurso por baixo do discurso, o ponto 
de vista do locutor ou escritor, sua 
orientação discursiva. Essas instruções 
são dadas por operadores 
argumentativos. 
 
CONECTORES COMO OPERADORES 
ARGUMENTATIVOS 
 1. Existem operadores que encaminham a 
argumentação do argumento mais forte para o 
mais fraco, deixando subentendido a existência 
de outros, mais fortes: ao menos, no mínimo. 
 
 Existem operadores que encaminham a 
argumentação do argumento mais fraco para o 
mais forte, deixando subentendido o argumento 
fraco já seria suficiente para enunciar: mesmo, 
até, inclusive 
OPERADORES 
 Alguns operadores que introduzem de maneira, 
subreptícia, um argumento decisivo, 
apresentando-o a título de ‘lambuja’, como se 
fosse desnecessário: aliás, além do mais. 
 
 Alguns operadores marcam oposição de 
elementos semânticos de forma explícita ou 
implícita: mas, porém, contudo, embora, etc. 
 
Exemplos de relação implícita: Ele é bom jogador 
de futebol mas inteligente. 
 Ela é bonita mas inteligente. 
 
OPERADORES 
 Alguns operadores esclarecem, modalizam a 
afirmação anterior, tendo função de ajustamento 
enunciativo. Algumas vezes tem também um 
argumento mais forte no sentido de uma 
determinada conclusão: isto é, quer dizer, de fato 
 
 Alguns operadores encaminham para uma 
afirmação plena (tudo, todos) ou de negação plena 
(nada, nenhum). 
ATIVIDADE: ANÁLISE DE REVISÃO DA 
LITERATURA 
1. Escolha 3 artigos de um mesmo tema; 
 
2. Responda às questões: 1) Dentro de cada revisão de 
cada artigo, os autores têm a seguinte atitude em 
relação aos autores citados: a) confronto; b) 
complementação; c) repetição?; 2) Quais as etapas da 
estrutura retórica de cada artigo (slide 5); 3) Quais os 
recursos de cada artigo (discurso direto e/ou discurso 
indireto)? 4) Como é o uso dos operadores 
argumentativos (exagerado, moderado, sutil)? 
 
3. Responda e justifique: qual o melhor artigo? Utilize 
as três perguntas acima para tomar a sua decisão. 
Se necessário, faça uma tabela para que você ajudá-
lo a tomar a decisão.