EDS PUP 6 semestre
2 pág.

EDS PUP 6 semestre


DisciplinaPup289 materiais1.203 seguidores
Pré-visualização1 página
https://www.passeidireto.com/arquivo/28904559/eds-6-semestre
PUP
1- D, justificativa: A ação de Paulo Nogueira Neto, e não do trabalho de D. Thoreau, que foi fundamental no estabelecimento de uma legislação ambiental desde 1986, cuja base é pertinente à ideologia de Desenvolvimento Sustentável;
2- B, justificativa: A noção de desenvolvimento urbano sustentável traz consigo conflitos teóricos de difícil, porém não impossível reconciliação. Entre as trajetórias da análise ambiental e da análise urbana que, originando-se em áreas do conhecimento diferentes, confluíram na proposta de desenvolvimento sustentável; e por sua vez nas formulações teóricas e propostas de intervenção, traduzindo-se no distanciamento entre análise social/urbana crítica e planejamento urbano.
3- E, justificativa: O macrozoneamento é quem vai nos ajudar a organizar as muitas áreas de interesse comum. Ele irá estabelecer diretrizes para o uso/ocupação das áreas, em concordância com a politica urbana.
4- A, justificativa: De acordo com o texto o mesmo aponta que em meados de 1990 há início de projetos justamente para que não haja abandono/esvaziamento dessas áreas assim não contendo relação com os ideais modernos na política urbana anterior a década de 1990.
5A - Pois a concentração central provém do seu histórico, assim como na maioria dos centros tradicionais brasileiros há uma concentração também de serviços, habitações, instituições públicas e privadas muito maior do que nos extremos da cidade.
6C- Pois visa garantir a função social da propriedade
7D- Estatuto da cidade tenta resolver o problema da falta do arranjo entre a execução e o plano, mesmo que ele surja apenas em 2001 e não em 1970. 
8E - Porque o paisagismo Inglês se difere muito do paisagismo do Renascimento Italiano, principalmente em questões formais 
9C - Todos os fatores apresentados convergem com os dados históricos do processo de urbanização e crescimento do Brasil 
10 - E
Todas as alternativas influenciam na mudança da morfologia.
11 - E
Pela importância e funcionalidade, os dois mantém os perímetros originais até hoje.
12 - C
Essa é a alternativo que melhor se encaixa nos conceitos de Fernando Chacel, que priorizava a restauração de ecossistemas degradados.
13 - C
É a alternativa que condiz com o enunciado.
14 - C
Preservação ambiental, como predito, são áreas sem intervenções humanas.
19 \u2013 C - Essas são ferramentas que de certa forma forçam a ocupação do solo ou a incentivam de modo a garantir o melhor uso da cidade.
20 \u2013 D - O plano diretor, previsto no estatuto da cidade, torna-se instrumento vital para o planejamento da cidade. A importância do planejamento é trazida ao primeiro plano, assim como questões de manutenção e qualificação do solo urbano. A população é incluída no debate, e a cidade ganha instrumentos para seu desenvolvimento.
21 \u2013 E - Se o proprietário pode usufruir de um C.A. de 4 e seu terreno possui 500m2, logo, ele construirá 1500m2 a mais do que inicialmente com o C.A. de 1.
22 \u2013 A - O município possui autonomia para decidir o uso e ocupação do solo, já que cada região possui necessidades específicas, desde que respeite parâmetros mínimos impostos pelas leis federais, que visam justamente fazer cumprir o mínimo necessário para a melhor ocupação do território nacional.
27 - B : A urbanização no Brasil começou em meados do século XX devido ao processo de industrialização e, por ocorrer de forma rápida e desordenado gerou diversas ocupações irregulares ( Favelização).
28 - A: Taxa de ocupação do solo é o percentual que em edificação ocupa em relação a área do lote, sem considerar o número de pavimentos.
29 - A:  Conforme a Lei 6766, que diz:"Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão estabelecer normas complementares relativas ao parcelamento do solo municipal para adequar o previsto nesta Lei às peculiaridades regionais e locais", conclui-se que os municípios podem atuar em seu território desde que respeitem os parâmetros federais.
30 - C: Trata-se de lugares vazios na cidade, que podiam voltar a ser como antes, fosse um riacho ou bosque; é um híbrido entre o urbano e o natural.