A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Exercício de literatura

Pré-visualização | Página 6 de 8

estão corretas
	
	I, III e IV estão correstas
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201308252567)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Sobre o conceito de Literatura Brasileira, é possível afirmar:
		
	
	A possibilidade de determinar as suas origens em torno da história cultural europeia, tão somente.
	
	A existência de uma literatura sistematizada, ao redor de um grupo de intelectuais cientes de uma tradição literária brasileira, já desde o período colonial.
	
	A existência de uma produção literária brasileira totalmente independente das matrizes culturais europeia, durante o Brasil Colônia.
	 
	As origens da literatura brasileira devem ser pensadas a partir dos processos de formação cultural das demais colônias, em um contexto determinado de pensamento e vivência.
	
	A partir do descobrimento do Brasil, já podemos afirmar a presença de uma literatura brasileira consciente de seu caráter nacional.
		
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201308275030)
	Pontos: 0,0  / 1,0
	Suponha que a história da literatura quinhentista estivesse contada assim: "Em qualquer hipótese, foi Anchieta quem introduziu o teatro no Brasil, quando os colonos que frequentavam as igrejas, à moda portuguesa, compunham os seus autos, arranjados ali mesmo. Os portugueses, portanto, não representavam autos no Brasil, quando os jesuítas começaram os seus. Mas é igualmente certo que os padres escreveram no Brasil as primeiras peças, de caráter litúrgico, e deram à arte dramática, na colônia nascente, maior desenvolvimento." Assinale a alternativa que apresenta a correção das afirmações do texto que não correspondem à verdade.
		
	
	Anchieta é considerado o introdutor do teatro na colônia e suas peças tinham a influência do teatro português.
	
	Toda a literatura quinhentista, no Brasil, foi produzida pelos jesuítas sem a participação dos colonos.
	
	Os padres jesuítas não contribuíram para o desenvolvimento do teatro colonial, pois este já tinha atingido seu pleno desenvolvimento.
	 
	O teatro colonial já havia sido iniciado pelos colonos, quando os jesuítas aqui chegaram. Os autos representados nas igrejas eram trazidos de Portugal.
	 
	Os autos, representados, nas igrejas, eram de caráter informativo e narravam os feitos dos colonizadores.
		 Gabarito Comentado.
	
	
	 7a Questão (Ref.: 201308270800)
	Pontos: 0,0  / 1,0
	A literatura de informação, também chamada de literatura dos cronistas e viajantes só NÃO pode ser reconhecida em um dos fragmentos abaixo, assinale-o.
		
	 
	"A feição deles é serem pardos, maneira de avermelhados, de bons rostos e bons narizes bem-feitos. Andam nus, sem cobertura alguma..."
	 
	"Bernardino é libertado e expatriado. O governador é destituído do cargo e o Marquês de Minas é nomeado para substituí-lo, restituir o cargo de secretário a Bernardo Ravasco e se apresentar imediatamente ao Rei de Portugal. Mesmo assim sai do Brasil com muitas riquezas..."
	
	"É esta província mui abastada de mantimentos de muita substância e menos trabalhosos que os de Espanha. Dão-se nela muitas carnes, assim naturais dela, como das de Portugal, e maravilhosos pescados; onde se dão melhores algodões que em outra parte sabida, e muitos açúcares tão bons como na ilha da Madeira..."
	
	"Preparam também a farinha de peixe e carne, do seguinte modo: assam a carne, ou o peixe, na fumaça sobre o fogo, deixam -na secar de todo; desfiam -na , torram -na de novo depois, ao fogo, em vasilhas queimadas para tal fim e que chamam inhêpoã; esmagam -na..."
	
	"Alguns vocábulos há nela de que não usam senão as fêmeas, e outros que não servem senão para os machos: carece de três letras, convém saber, não se acha nela F, nem I, nem R, coisa digna de espanto porque assim não têm Fé, nem Lei, nem Rei..."
		
	
	
	 8a Questão (Ref.: 201308274642)
	Pontos: 0,0  / 1,0
	No que tange aos primeiros escritos feitos no Brasil, NÃO é correto afirmar:
		
	
	Documentam precisamentea instauração do processo de colonização.
	
	Esses textos nos interessam como reflexo da visão do mundo e da linguagem que nos legaram os primeiros observadores do país.
	 
	São escritos que até hoje só serviram como testemunhos de um tempo.
	
	Tratam-se de informações que viajantes e missionários europeus colheram sobre a natureza e o homem brasileiro.
	 
	Enquanto informação, esses textos não pertencem à categoria do literário, mas à pura crônica histórica.
		
	
	
	 9a Questão (Ref.: 201308252649)
	
	Leia o trecho abaixo retirado do poema "À Santa Inês", de José de Anchieta: ¿À Santa Inês¿ (José de Anchieta) Cordeirinha linda, Como folga o povo, Porque vossa vinda Lhe dá lume novo. Cordeirinha santa, De Jesus querida, Vossa santa vida O Diabo espanta. Por isso vos canta Com prazer o povo, Porque vossa vinda Lhe dá lume novo. Nossa culpa escura Fugirá depressa, Pois vossa cabeça Vem com luz tão pura. Vossa formosura Honra é do povo, Porque vossa vinda Lhe dá lume novo. A partir do trecho acima, discorra sobre a poética de José de Anchieta.
		
	
Sua Resposta: HHHHHH
	
Compare com a sua resposta: A questão não é restrita, mas podemos apontar como elementos esperados na reflexão do aluno:a recuperação da estrutura lírica medieval, na poética voltada para a catequese de Anchieta; o emprego do lirismo, bem como do drama, como instrumentos de conversão; a tentativa de traduzir para o imaginário indígena categorias específicas da visão cristã europeia, como diabo e culpa através da associação de elementos relacionados ao medo no imaginário indígena, como o escuro; a falência desse projeto de transferência, uma vez que é impossível transferir imaginários e a produção de uma mitologia paralela, fruto do choque entre os dois mundos, como aludido por Akfredo Bosi, em Dialética da Colonização.
		
	
	
	 10a Questão (Ref.: 201308252645)
	
	Leia o fragmento abaixo, da Carta de Pero Vaz de Caminha: "Esta terra, Senhor, me parece que da ponta que mais contra o sul vimos até outra ponta que contra o norte vem, de que nós deste porto houvemos vista1, será tamanha que haverá nela bem vinte ou vinte cinco léguas por costa. Tem, ao longo do mar, nalgumas partes, grandes barreiras, delas vermelhas, delas2 brancas; e a terra por cima toda chã3 e muito cheia de grandes arvoredos. De ponta a ponta, é tudo praia-palma4, muito chã e muito formosa. Pelo sertão nos pareceu, vista do mar, muito grande, porque, a estender olhos, não podíamos ver senão terra com arvoredos, que nos parecia muito longa. Nela, até agora, não pudemos saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou ferro; nem lho vimos. Porém a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados, como os de Entre-Douro e Minho, porque neste tempo de agora os achávamos como os de lá. Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que tem. Porém o melhor fruto, que dela se pode tirar me parece que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar". A partir da leitura e do comentário do trecho acima. discuta: 1- A função da literatura de informação no contexto colonial; 2- A fundação de imagens acerca da Natureza na carta e a sua recuperação pelo Romantismo brasileiro.
		
	
Sua Resposta: PPPPP
	
Compare com a sua resposta: O aluno deverá discorrer sobre a literatura de informação e perceber como a carta tem a função de mostrar à metrópole o potencial para a colonização da nova terra. Sobre as relaçoes entre a carta e o Romantismo, deve compreender essa recuperação como a tentativa de fundar uma tradição e de reelaborar elementos de identificação da terra.
		
	Simulado: CEL0637_SM_201308193131 V.3 
	 Fechar
	Aluno(a): ALCIENE APARECIDA DOMINGOS
	Matrícula: 201308193131