Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
73 pág.
Apostila Bio Cel 2018

Pré-visualização | Página 1 de 18

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS 
INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 
DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA, EMBRIOLOGIA E 
BIOLOGIA CELULAR 
 
 
 
Práticas de Biologia Celular 
 
 
 
www.thermofisher.com 
 
 
 
 
Aluno:___________________________________________________________Matrícula:____________ 
 
2018 
 
 2 
APRESENTAÇÃO 
Este material foi elaborado pelos professores da disciplina de Biologia Celular com 
o objetivo de auxiliar os estudos dos alunos e também de servir como um roteiro para as 
aulas práticas. Este volume é composto de duas partes. Inicialmente encontram-se 
capítulos com breves resumos sobre os assuntos abordados nas aulas teóricas e que 
devem ser utilizados como um guia durante os estudos. No entanto, esses capítulos não 
são suficientes como única fonte de estudo, sendo indispensável a consulta e leitura dos 
livros texto indicados pelos professores. 
 Na segunda parte dessa apostila encontram-se um conjunto de atividades práticas 
organizadas de acordo com o assunto. O conjunto dessas atividades visa complementar 
os temas trabalhados durante as aulas teóricas, fornecendo assim um conjunto de 
habilidades necessárias para o estudo da Biologia Celular. 
 As atividades propostas devem ser desenvolvidas de acordo com a orientação dos 
professores em sala de aula. Aproveite as oportunidades oferecidas para discutir suas 
dúvidas com os colegas em sala de aula e principalmente com o professor. Não deixe de 
completar todas as atividades propostas. 
 
 Bons Estudos! 
 
 3 
ÍNDICE 
Sumário 
1. DIFERENTES TIPOS DE MICROSCOPIA PARA O ESTUDO DA CÉLULA .................................. 4 
2. MICROSCÓPIO DE LUZ .............................................................................................................................. 5 
3. ORGANISMOS PROCARIONTES E EUCARIONTES .......................................................................... 7 
4. BIOENERGÉTICA ...................................................................................................................................... 11 
5. BIOMEMBRANAS ..................................................................................................................................... 13 
6. CITOESQUELETO ..................................................................................................................................... 16 
7. NÚCLEO ....................................................................................................................................................... 20 
8. TRANSCRIÇÃO E TRADUÇÃO .............................................................................................................. 24 
9. RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO .......................................................................................................... 28 
10. COMPLEXO DE GOLGI.......................................................................................................................... 30 
11. MITOCÔNDRIA ....................................................................................................................................... 33 
12. CLOROPLASTO ....................................................................................................................................... 38 
13 CICLO CELULAR E APOPTOSE........................................................................................................... 42 
14 MITOSE ....................................................................................................................................................... 45 
15. MEIOSE ...................................................................................................................................................... 46 
PRÁTICAS ........................................................................................................................................................ 49 
PRÁTICA 1 .................................................................................................................................................. 49 
PRÁTICA 2 .................................................................................................................................................. 50 
PRÁTICA 3 .................................................................................................................................................. 53 
PRÁTICA 4 .................................................................................................................................................. 56 
PRÁTICA 5 .................................................................................................................................................. 58 
Prática 6 ....................................................................................................................................................... 61 
Prática 7 ....................................................................................................................................................... 63 
Prática 8 ....................................................................................................................................................... 66 
PRÁTICA 9 .................................................................................................................................................. 68 
PRÁTICA 10 ................................................................................................................................................ 70 
PRÁTICA 11 ................................................................................................................................................ 72 
 
 
 4 
1. DIFERENTES TIPOS DE MICROSCOPIA PARA O ESTUDO DA CÉLULA 
1.1 Microscópio de luz 
A primeira ferramenta criada para o estudo das células foi o Microscópio de Luz que 
têm seu funcionamento baseado na análise de amostras biológicas finas o bastante para permitir 
que a luz passe através delas. No Microscópio de Luz encontramos um conjunto de lentes 
objetivas e oculares capazes de fornecer aumentos que variam normalmente entre 20 e 1000x. 
1.2 Microscópio de fluorescência 
A microscopia de fluorescência é um tipo especial de microscopia de luz baseada na 
propriedade física de algumas substâncias absorverem luz em um comprimento de onda 
específico e emitirem luz em um comprimento de onda diferente (fluorescência). Micrografias 
de material observado sob microscopia de fluorescência são caracterizadas pelo fundo escuro 
nas fotografias. Isso se deve ao sistema de filtros especiais presentes nos microscópios de 
fluorescência. 
Muitos materiais biológicos são naturalmente fluorescentes, como a clorofila e o 
colágeno. Além disso, existe um grande número de compostos (fluorocromos), que quando 
ligados a compostos biológicos tornam-se fluorescentes. Outra aplicação muito utilizada para 
a microscopia de fluorescência é a conjugação de fluorocromos a anticorpos contra 
componentes específicos da célula, ou mesmo com sondas que localizam trechos específicos 
no genoma celular. 
1.3 Microscopia eletrônica 
O desenvolvimento dos microscópios eletrônicos originou-se da observação de que um 
feixe de elétrons no vácuo se comporta da mesma forma que um feixe de luz. Os princípios 
gerais da microscopia eletrônica são os mesmos da microscopia de luz. A diferença, como o 
próprio nome sugere, é a utilização um feixe de elétrons no lugar da fonte luminosa e são 
utilizadas, lentes eletromagnéticas que modulam o comportamento do feixe de elétrons ao longo 
do trajeto para a formação da imagem. A diferença básica entre as microscopias de luz e a 
microscopia eletrônica é que, devido às propriedades ondulatórias dos elétrons, conseguimos 
obter aumentos
Página123456789...18