RESPONSABILIDADE CIVIL - AVALIANDOS PARA A  AV E AVS
64 pág.

RESPONSABILIDADE CIVIL - AVALIANDOS PARA A AV E AVS


DisciplinaResponsabilidade Civil5.006 materiais23.509 seguidores
Pré-visualização22 páginas
Um paciente internado em hospital público de determinado estado da Federação cometeu 
suicídio, atirando-se de uma janela próxima a seu leito, localizado no quinto andar do hospital. 
Com base nessa situação hipotética, assinale a opção correta acerca da responsabilidade civil 
do Estado. 
Exclui-se a responsabilidade do Estado, por ter sido a culpa exclusiva da 
vítima, sem possibilidade de interferência do referido ente público. 
 
Ref.: 201604164816 
 
 1a Questão 
 
 
(Ano: 2015; Banca: FCC; Órgão: TRE-RR; Prova: Analista Judiciário - Área Judiciária). Durante 
as eleições para Governador do Estado realizadas no ano de 2014, Simone, de 16 anos de 
idade, pegou escondido da família o carro de seu pai, João, para fazer propaganda com seus 
amigos de seu candidato preferido. Durante o percurso, Simone atropelou uma família matando 
um homem de cinquenta anos de idade ao invadir uma loja de alimentos. Neste caso, de acordo 
com o Código Civil brasileiro, João: 
 
 
responderá civilmente pelos atos praticados por sua filha e poderá reaver de Simone 
somente 50% do valor total que pagar pelo ressarcimento do dano causado. 
 
só responderá civilmente pelos atos praticados por sua filha se esta não possuir 
patrimônio pessoal 
 responderá civilmente pelos atos praticados por sua filha mas não poderá reaver de 
Simone o que pagar pelo ressarcimento do dano causado. 
 
responderá civilmente pelos atos praticados por sua filha e poderá reaver de Simone o 
valor total que pagar pelo ressarcimento do dano causado. 
 
não responderá civilmente pelos atos praticados por sua filha uma vez que ela é 
relativamente incapaz. 
 
 
Explicação: 
Como regra geral, os pais são responsáveis pela reparação civil decorrente de atos ilícitos 
praticados pelos filhos menores que estiverem sob seu poder e em sua companhia. O atual 
Código Civil menciona os filhos que estiverem sob a ¿autoridade¿ dos pais, o que não muda o 
sentido da legislação anterior, dando-lhe melhor compreensão. 
A responsabilidade dos pais deriva, em princípio, da guarda do menor e não exatamente do 
poder familiar. Trata-se de aspecto complementar do dever de educar os filhos e sobre eles 
manter vigilância. Essa responsabilidade sustenta-se em uma presunção relativa, ou numa 
modalidade de responsabilidade objetiva, no vigente Código, o que vem a dar quase no mesmo. 
Há dois fatores que se conjugam nessa modalidade de responsabilidade: a menoridade e o fato 
de os filhos estarem sob o poder ou autoridade e companhia dos pais. 
A responsabilidade dos pais não pode ser afastada porque o menor ainda não tem capacidade 
de discernimento. Mais rigorosa deve ser a vigilância dos pais, quando os filhos não possuem 
ainda o mínimo discernimento. 
Portanto, nessa relação de responsabilidade envolvendo pais e filhos, prepondera a teoria do 
risco, que atende melhor aos interesses de Justiça e de proteção à dignidade da pessoa. 
Aponte-se que existe solidariedade entre o filho menor e o pai ou mãe pela reparação do ato 
ilícito. 
 
 
 
 
Ref.: 201604341029 
 
 2a Questão 
 
 
(XII Exame Unificado/2013/adaptada) - Pedro, dezessete anos de idade, mora com seus pais no 
edifício Clareira do Bosque e, certa manhã, se desentendeu com seu vizinho Manoel, dezoito 
anos. O desentendimento ocorreu logo após Manoel, por equívoco do porteiro, ter recebido e lido 
o jornal pertencente aos pais do adolescente. Manoel, percebido o equívoco, promoveu a imediata 
devolução do periódico, momento no qual foi surpreendido com atitude inesperada de Pedro que, 
revoltado com o desalinho das páginas, o agrediu com um soco no rosto, provocando a quebra de 
três dentes. Como Manoel é modelo profissional, pretende ser indenizado pelos custos com 
implantes dentários, bem como pelo cancelamento de sua participação em um comercial de 
televisão. Tendo em conta o regramento da responsabilidade civil por fato de outrem, assinale a 
afirmativa correta. 
 
 
Não há que se falar em responsabilidade civil pois o caso é de um fortuito externo. 
 
Os pais de Pedro terão responsabilidade subjetiva pelos danos causados pelo filho a 
Manoel, devendo, para tanto, ser comprovada a culpa in vigilando dos genitores. 
 Se os pais de Pedro não dispuserem de recursos suficientes para pagar a indenização, e 
Pedro tiver recursos, este responderá subsidiária e equitativamente pelos danos causados 
a Manoel. 
 
Somente os pais de Pedro terão responsabilidade objetiva pelos danos causados pelo filho, 
mas detêm o direito de reaver de Pedro, posteriormente, os danos indenizáveis a Manoel. 
 
Pedro responderá solidariamente com seus pais pelos danos causados a Manoel, inclusive 
com indenização pela perda de uma chance, decorrente do cancelamento da participação 
da vítima no comercial de televisão. 
 
 
Explicação: 
Como regra geral, os pais são responsáveis pela reparação civil decorrente de atos ilícitos praticados 
pelos filhos menores que estiverem sob seu poder e em sua companhia. O atual Código Civil 
menciona os filhos que estiverem sob a ¿autoridade¿ dos pais, o que não muda o sentido da 
legislação anterior, dando-lhe melhor compreensão. 
Essa responsabilidade tem como base o exercício do poder familiar que impõe aos pais um feixe 
enorme de deveres. Não se trata, destarte, exata-mente de um poder. Trata-se de aspecto 
complementar do dever de educar os filhos e sobre eles manter vigilância. Essa responsabilidade 
sustenta-se em uma presunção relativa, ou numa modalidade de responsabilidade objetiva, no 
vigente Código, o que vem a dar quase no mesmo. Há dois fatores que se conjugam nessa 
modalidade de responsabilidade: a menoridade e o fato de os filhos estarem sob o poder ou 
autoridade e companhia dos pais. 
Portanto, nessa relação de responsabilidade envolvendo pais e filhos, prepondera a teoria do risco, 
que atende melhor aos interesses de Justiça e de proteção à dignidade da pessoa. Aponte-se que 
existe solidariedade entre o filho menor e o pai ou mãe pela reparação do ato ilícito. Desse modo, 
o patrimônio do menor também responde pela reparação. 
 
 
 3a Questão 
 
 
Envolvendo-se o empregado em acidente de veículo, no qual ficou comprovada sua culpa, a 
responsabilidade do patrão é 
 
 
b) excluída, se, no contrato de trabalho, o empregado houver se responsabilizado pelos 
danos que ocasionar a terceiros. 
 
d) solidária, podendo, porém, escusar-se, provando que não teve culpa no evento porque 
bem selecionado o empregado entre os postulantes ao emprego e que o vigiou 
adequadamente. 
 
a) conjunta, ainda que não haja culpa de sua parte na escolha ou na vigilância de seu 
empregado. 
 
c) conjunta, dividindo-se a responsabilidade pelo valor da indenização em parte iguais. 
 e) solidária, não podendo escusar-se sob o fundamento de que inexiste culpa de sua 
parte na escolha ou na vigilância de seu empregado. 
 
 
Explicação: Art. 932 CC. São também responsáveis pela reparação civil: III - o empregador ou 
comitente, por seus empregados, serviçais e prepostos, no exercício do trabalho que lhes 
competir, ou em razão dele; Além disso, a Súmula nº 341 do STF prevê que: É presumida a culpa 
do patrão ou comitente pelo ato culposo do empregado ou preposto. 
 
 
 
 4a Questão 
 
 
XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO A responsabilidade civil dos fornecedores de serviços e 
produtos, estabelecida pelo Código do Consumidor, reconheceu a relação jurídica qualificada 
pela presença de uma parte vulnerável, devendo ser observados os princípios da boa-fé, 
lealdade contratual, dignidade da pessoa humana e equidade. A respeito da temática, assinale a 
afirmativa correta. 
 
 A inversão do ônus da prova nas relações de consumo é questão de ordem pública e de 
imputação imediata, cabendo ao fabricante