A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
Apostila Agrobusiness

Pré-visualização | Página 2 de 12

evitar a falta e que fique prejudicada à produção da empresa. Os serviços 
dos trabalhadores devem ser controlados permanentemente, para impedir que práticas mal 
executadas causem graves prejuízos à empresa rural. 
2.3 – Adventos que causam interferência no agronegócio 
Como já foi mencionado, costumam-se associar uma série de atributos aos produtos 
agrícolas, alguns dos quais não mais justificáveis frente às novas tecnologias disponíveis. 
Será estudado algumas destas características, fazendo as ressalvas necessárias ao contexto 
atual. 
 
Perecibilidade: Os produtos agrícolas, em geral, não podem ser estocados por muito 
tempo. Em alguns casos, o consumo deve ser feito imediatamente após a produção. É o 
caso de algumas frutas cuja preferência é que ainda estejam frescos. No caso da produção 
de grãos o prazo de validade dos estoques é bem maior, embora não seja tão longo quanto 
dos produtos industrializados. 
Homogeneidade: Os produtos agrícolas são geralmente bastante homogêneos. Mesmo que 
os produtores fiquem tentados a experimentar novos padrões, esbarram em legislações 
normatizantes, até por motivos de saúde alimentar. 
 Contabilidade Agribusiness 
_________________________________________________________________________ 
5
Sazonalidade de oferta: A oferta de agrícolas é sazonal porque depende fortemente do 
clima e das condições naturais do ambiente onde estão sendo produzidos. Algumas culturas 
permitem duas ou quatro safras por ano. Outras só permitem uma única colheita anual. 
Susceptibilidade climática (riscos climáticos): Não é raro ver nos noticiários televisivos 
que alguma safra encontra-se perdida ou prejudicada por causa de excesso de chuvas, frio, 
calor, estiagem prolongada, secas etc., mesmo admitindo-se o uso intensivo de tecnologias 
como estufas, irrigação, espécies resistentes etc. 
Baixa elasticidade da demanda: Tanto a oferta quanto à demanda por agrícolas são 
relativamente inelástica a preços. Isto porque mesmo grandes variações de preços induzem 
a alterações relativamente pequenas na procura pelo produto, haja vista o caráter prioritário 
conferido aos alimentos. 
Rigidez de oferta: A oferta é relativamente inelástica e rígida (no curto prazo) por dois 
motivos principais: Primeiro, porque, em empresas familiares, quando o preço cai, o 
produtor tende a aumentar a oferta para conseguir manter a sua renda estabilizada. 
Segundo, porque muitos dos custos de produção são fixos, isto é, independem da 
quantidade ofertada. 
Variabilidade de preços: Por tudo o que foi visto, os agrícolas estão sujeitos a fortes 
flutuações nos preços de equilíbrio. Por isto, justifica-se uma atenção redobrada do governo 
sobre estes mercados, assim como políticas específicas para o setor. 
Neste final de século algumas mudanças nos hábitos dos públicos consumidores em todo o 
mundo podem ser verificadas, apontando para tendências de novos comportamentos, os 
quais irão ter um profundo reflexo na produção agrícola, tais como: 
Declínio do consumo per capita nos países mais afluentes (dietas); 
Demanda crescente por produtos étnicos; 
Demanda crescente por produtos que proporcionam nutrição e saúde, e que sejam 
ambientalmente benignos; 
Entrada de grandes aglomerados populacionais na economia de mercado; 
Mais consumo de alimentos fora do lar. 
 
3- ANO AGRíCOLA X EXERCÍCIO SOCIAL 
3.1- Regra Geral 
Uma pergunta constante na atividade agropecuária é quanto ao término do 
_______________________: deveria ser encerrado normalmente em 31/12, como ocorre 
com a maioria das empresas comerciais, industriais e de serviços, coincidindo-se com o 
ano civil? A resposta é NÃO. 
Observe-se que as empresas, de maneira geral, têm receita e despesa constantes durante os 
meses do ano, não havendo dificuldade quanto à fixação do mês de encerramento do 
exercício social para a apuração de resultado. Qualquer mês escolhido refletirá o resultado 
distribuído de maneira quase eqüitativa ao longo dos 12 últimos meses. 
Daí a opção para o mês de dezembro, não só pelo fato de ser o último mês do ano, mas 
também pela redução ou até interrupção da atividade operacional, propiciando férias 
coletivas, conseqüentemente, condições mais adequadas para o inventário das mercadorias. 
 
3.2 Atividade Agrícola 
Na atividade agrícola, porém, a receita concentra-se, normalmente, durante ou logo após a 
colheita. Ao contrário de outras atividades cuja comercialização se distribui ao longo dos 
 Contabilidade Agribusiness 
_________________________________________________________________________ 
6
12 meses, a produção agrícola, essencialmente sazonal, concentra-se em determinado 
período que pode traduzir-se em alguns dias de um mês do ano. 
Ao término da colheita e, quase sempre, da comercialização dessa colheita, temos o 
encerramento do _____________________. Ano agrícola é o período em que se planta, 
colhe e, normalmente, comercializa a safra agrícola. 
Não existe melhor momento para medir o resultado do período, senão logo após a colheita e 
as respectiva comercialização. Não há lógica para se esperar 6, 8 ... meses até o final do ano 
( se a colheita for no início do ano) para mensurar o resultado ( lucro ou prejuízo) da safra 
agrícola. 
Se o ano agrícola terminar em março, o exercício social poderá ser encerrado em 31/03 ou 
30/04, e assim sucessivamente. 
Dessa forma, evita-se a cultura em formação, por ocasião da apuração do resultado. Se o 
exercício social fosse encerrado antes da colheita (defasagem em relação ao ano agrícola), 
teríamos plantas em crescimento, o que seria difícil de avaliar, o mesmo inadequado. 
Imagina-se uma cultura de milho em formação, com 1m de altura, a dois meses da colheita. 
Encerrando o exercício social antes da colheita, não se poderia apurar o resultado (não 
houve ainda venda) e dificilmente haveria condições de determinar o valor econômico 
dessa cultura em formação. Dessa forma, se realizada, a contabilidade seria de pouca 
utilidade. Por isso, recomenda-se fixar para após a colheita e a comercialização (término do 
ano agrícola) o encerramento do ano social. 
 
3.3 Produtos agrícolas com colheitas em períodos diferentes 
Há empresas que diversificam suas culturas e apresentam colheitas em períodos diferentes 
no ano. 
Nesse caso, recomenda-se que o ano agrícola seja fixado em função da cultura que 
prevaleça economicamente. 
Assim, se a empresa, em cultura conjugada, planta feijão entre os pés de café, ou milho 
entre as ruas de uva, certamente o período de colheita do café e da uva é que determinará o 
ano agrícola, mesmo que no seu encerramento haja uma cultura secundária em formação ( o 
que é inevitável). Assim sendo, seria feita a avaliação da cultura em formação, e a 
avaliação, ainda que não perfeita, não traria grandes distorções à contabilidade, pois o valor 
apurado não seria relevante em relação à cultura principal. 
O mesmo raciocínio é válido para diversas culturas, mesmo que não conjugadas. Assim, se 
uma atividade tivesse culturas de milho, soja e cana-de-açúcar. Simultaneamente, por 
exemplo, o ano agrícola (conseqüentemente, o exercício social) seria fixado com base na 
cultura de maior representatividade econômica. 
 
3.4 Atividade Pecuária 
O período adequado para o encerramento do exercício social, assim como da atividade 
agrícola, não é o ano civil. O ideal é realizá-lo logo após o nascimento dos bezerros ou do 
desmame. 
Da maneira geral, o nascimento de bezerros concentra-se em determinado período do ano. 
Havendo a ocorrência do nascimento de bezerros, a contabilidade, por intermédio de 
relatórios contábeis, informará imediatamente os usuários sobre tal fato. Para tanto há 
necessidade do encerramento do exercício social