A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
bwzerros 2

Pré-visualização | Página 1 de 2

Instituto Babcock para Pesquisa 
e Desenvolvimento da Pecuária 
Leiteira Internacional
University of Wisconsin-Madison
Essenciais em 
Gado de Leite
121
CRIAÇÃO DE NOVILHAS—DO NASCIMENTO À DESMAMA
31) DIARRÉIA NEONATAL
Michel A. Wattiaux
Babcock Institute
INTRODUCTION
Diarréia é uma doença que pode ser
evitada ao se adotar boas práticas de
manejo, apesar de ser a causa mais comum
de morte de bezerros novos. A maioria dos
casos de diarréias fatais ocorre nas
primeiras 2 semanas de vida. Com o
crecimento dos bezerros, diminui-se a
susceptibilidade dos bezerros a doenças
infecciosas, porém esta ainda persiste até 3
a 4 meses de idade.
Tipos de diarréia
Diarréias muitas vezes podem ser
classificadas como nutricionais (por excesso
de fornecimento de leite, sucedâneos de
leite ou por mudança brusca na composição
de leite) or infecciosa (Tabela 1). Porém,
esta distinção pode ser um pouco arbitrária,
já que um desbalanço nutricional pode
predispor o bezerro a infecções. E. coli é o
principal organismo envolvido na diarréia
que ocorre durante os primeiros dias após o
nascimento (diarréia neonatal).
Sinais clínicos
Diarréia é a excreção de fezes que contém
quantidades excessivas de água. As fezes
de bezerros com diarréia podem conter de 5
a 10 vezes mais água que o normal. Além
de líquida, vários tipos de diarréia podem
resultar na produção de fezes com odor
fétido, sem cor normal de fezes (amarelada
ou esbranquiçada) ou que contém muco e
sangue. Com a progressão da doença,
outros sinais vão se tornando mais evidente
como os ilustrados na Figura 1. Os sinais
clínicos seguintes estão listados em ordem
de severidade. O bezerro:
• Apresenta perda de interesse por
alimento (baixo apetite);
• Produz fezes líquidas;
• Apresenta sinais de desidratação
(olhos fundos, pelo eriçado, turgor
cutâneo retardado, etc.);
• Extremidades frias (hipotermia);
• Se levanta lentamente e com
dificuldade;
• É incapaz de se levantar (prostração).
Fatores predisponentes
A ocorrência de diarréia nas primeiras
semanas de vida aumenta quando um ou
mais das seguintes situações acontecem:
• Status imunológico debilitado do
bezerro:
— pouco colostro fornecido
tardiamente;
— colostro de baixa qualidade;
• Acúmulo de agentes infecciosos no
ambiente:
— pouca ventilação;
— ausência de período de
quarentena;
— baixa higiene do ambiente em
geral;
• Fatores Nutricionais:
Tabela 1: Principais microorganismos que
causam diarréia.
Bactéria Vírus Parasitas
Escherichia coli
Salmonella
Clostr. perf. 1
Rotavírus
Coronavírus
Adenovírus
Cryptosporídium
Coccídio
1 Clostr. perf. = Clostridium perfringens
Essenciais em Gado de Leite—Criação de Novilhas
122
— sobrealimentação de leite ou
sucedâneo de leite de baixa
qualidade;
— mudanças abruptas na composição
do leite;
• Estresse:
— dificuldades no parto;
— transporte de longa distância.
Diagnóstico precoce
Chamar a atenção para fatores de risco
ajuda na detecção precoce da diarréia. A
chance de desenvolvimento de doença
clínica e morte diminuem muito quando o
diagnóstico vem acompanhado por
medidas adequadas para minimizar o
impacto da diarréia.
Normalmente, animais jovens e em
particular bezerros novos apresentam bom
apetite. O primeiro sinal de que o bezerro
está adoecendo pode ser percebido no
momento do fornecimento do alimento.
Um bezerro que não está com fome,
possivelmente tem algo de errado
acontecendo com ele. Observação criteriosa
de certos sinais permite que o produtor
perceba o aparecimento da diarréia um dia
antes que ela realmente ocorra. Os
seguintes sinais indicam um possível
aparecimento de diarréia:
• Focinho seco;
• Muco grosso excretado pelas narinas;
• Fezes muito secas;
• Falta de apetite (recusa beber leite);
• Prostração e temperatura retal alta
(>39.3°C).
Quando um bezerro mostra algum desses
sinais, parte de seu leite pode ser retirado
como medida preventiva. A diarréia pode
não ser totalmente evitada mas, o bezerro
pode se recuperar mais rapidamente.
PREVENÇÃO
Práticas de manejo
Assim como a maioria das doenças de
bezerros, imunidade passiva adequada e
remoção de fatores predisponentes são as
duas medidas principais para se evitar a
diarréia. Verificar se as práticas
recomendadas de manejo estão entrando
em vigor, além de dar atenção aos detalhes
da criação, são atitudes que eliminam os
fa tores de r i s co e reduzem
consideravelmente a incidência de diarréia
e morte de bezerros (veja quadrante cinza).
Vacinas
Vacinas para linhagens específicas de E.
coli estão disponivies no mercado. A
Práticas de manejo adequadas eliminam
os fatores de risco e ajudam a reduzir a
incidência de diarréias:
Nutrição
1) Fornecimento da quantidade adequada
de colostro de alta qualidade.
2) Colostro e leite devem ser fornecidos à
temperatura corporal (36–38°C).
3) Alimentação deve ocorrer duas vezes ao
dia em horários regulares e com
utensílios, limpos, sanitizados e secos
após cada uso.
4) Sucedâneos de leite devem ter alta
qualidade nutricional. Um sucedâneo
rico em gordura (15–20%) provavelmente
apresentará melhores resultados do que
um sucedâneo com baixo teor de gordura
(10–15%), já da gordura é altamente
digerível.
5) Sobrealimentação e mudanças bruscas
na composição do leite (tipo de leite)
devem ser evitados.
Alojamento e manejo
6) Bezerros devem ser mantidos em
bezerreiros individuais, protegidos
contra correntes de ar. O agrupamento
de bezerros deve ser feito apenas após
a desmama.
7) Bezerreiros devem ser desinfectados
regularmente e devem permanecer
vazios por 3 semanas. O sistema
“todos dentro, todos fora” deve ser
recomendado em fazendas com histórico
de diarréia.
8) Bezerros saudáveis não devem ser
introduzidos em um alojamento onde
outros bezerros estão passando pelo
problema de diarréia.
9) Bezerros abaixo de 3 semanas de vida
não devem ser trazidos de outras
propriedades.
Do Nascimento à Desmama—31) Diarréia Neonatal
University of Wisconsin-Madison 123
maneira mais efetiva de usar estas vacinas é
pela inoculação de vacas prenhes, para que
a resistência à bactéria possa ser transferida
através de imunoglobulinas pelo colostro.
O sistema imune de um bezerro, não
responde bem a vacinação até 6 a 8 semanas
de idade. A vacinação de vacas em lactação
tem sido amplamente adotada em rebanhos
leiteiros. Existem numerosas linhagens de
E. coli que causam diarréia, assim, a
introdução de uma linhagem nova ou
diferente de E. coli (por exemplo, com a
compra de um bezerro infectado) pode
resultar em novos episódios da doença.
Reidratação é a medida-chave para salvar a vida de um bezerro com diarréia severa.
Figura 1: Desidratação é a principal causa de morte nas diarréias.
* SRO = Solução de Reidratação Oral; quantidade necessária para restabelecer o balanço de fluidos a uma bezerra
que de 45 Kg, em acréscimo à parcela de leite diária.
Tabela 2: Soluções eletrolíticas usadas para reidratação oral de bezerros com diarréia.
Solução
Ingredientes químicos Fórmula 1 2 3 4 5 EGG1
gramas / litro de água
Cloreto de sódio (sal de
cozinha)
NaCl 9.0 — 4.0 2.5 4.8 143.4
Bicarbonato de sódio NaHCO3 — 12.0 — 7.5 4.8 —
Cloreto de potássio KCl — — 2.7 1.0 — —
Fosfato de Potássio KH2PO4 — — — — — 68.0
Lactato de sódio — — 5.8 — — —
Citrato de sódio — — — — — 2.1
Glicina — — — — 10.1 103.0
Glicose — — — 12.5 20.2 675.3
Àcido cítrico — — — — — 8.1
pH da solução2 Ac Al Ac Ac Ac
1 EGG: Solução eletrolítica de Glicose-Glicina; 64 gramas desta msitura deve ser dissolvida em dois litros
de água morna e fornecida de uma só vez.
2 Ac = ácido; Al = alcalino.
Essenciais em Gado de Leite—Criação de Novilhas
124 The Babcock Institute
TRATAMENTO DA DIARRÉIA
Solução oral de reidratação
Assim que diarréia for detectada (o
quanto mais cedo melhor),