Inércia - Resumo
2 pág.

Inércia - Resumo


DisciplinaDireito Processual Civil I43.827 materiais765.688 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1
Processo Civil - Resumo
CARACTERÍSTICAS DA JURISDIÇÃO:
INÉRCIA
Uma das principais ca racterísticas do Princíp io da Inércia é a de q ue o processo
somente se inicia por iniciativa das partes , logo, o Estado-Juiz só age quando
provocado.
“Art. 2o O processo começa por iniciativa da parte e se desenvol ve por impulso
oficial, sal vo as exceçõe s previstas e m lei.”
E, portanto, salvo exce ções previst as na legis lação, é ved ado ao Est ado-Juiz
prestar tut ela jurisdicio nal de ofício ( ex officio) e sem iniciat iva (pedido) p révia da
parte interessada. Algumas dessas exceções são:
- Decretação de falênci a, pelo juiz, de empresa em recuperação ju dicial;
- Execução trabalhista qu e se inicia por ato do juiz;
- Execução penal que s e inicia por ato do juiz;
- Concessão de hab eas corpus de ofício, e m caso de c oação ilegal.
Após a inic iativa da part e e iniciada a l ide, é formad a a já mencionad a
triangulaçã o processual ( autor, réu, juiz). Nessa relaç ão process ual, embora o
magistrado não deva mais agir com inércia, salvo q uestões de o rdem públ ica ou
2
exceções previstas na legislação, a sua ju risdição de verá se li mitar às pa rtes e pedi dos
que constam do processo.
Paralelament e ao Princ ípio da Inérc ia, o Artig o 2º do CPC traz aind a o Princí pio
do Impulso O ficial, segu ndo o qual, após ini ciado o proces so, é dever d o magistrad o
contribuir p ara que oc orram as suas . Assim, s e as partes não contribu írem para o
regular dese nvolvimento do p rocesso, cab erá ao magis trado tomar as aç ões
necessárias para permit ir o seu avanç o.