A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
O papel do trabalho na transformação do símio em homem Resenha

Pré-visualização | Página 1 de 1

RESENHA
Thamires Silva Borges*
ENGELS, Friedrich. O papel do trabalho na transformação do símio em homem. BSB: Kiron, 2012.
 
 	“O papel do trabalho na transformação do símio em homem” de Friedrich Engels,filósofo social e político alemão que produziu  livros de profunda análise social e teve um papel fundamental do desenvolvimento do marxismo juntamente com Karl Marx,publicando suas obras "O Capital" volumes II e III.Nessa obra, Engels trata da formação desde os primórdios do homem ,inicialmente sendo macaco, e como o trabalho o modificou levando ao que temos atualmente concluindo com uma reflexão sobre a sociedade e o modo de produção.
Engels começa o texto introduzindo a ideia do macaco do modo mais primitivo que conhecemos com suas mãos rudimentares e com o passar do tempo sua posição ereta que foi necessária, devido a muitas novas funções que a mão realizava se diferenciando dos pés, e, portanto peremptória na mudança do macaco em homem. Com o avanço do trabalho e visto as vantagens dessas atividades feitas conjuntamente e com a carência da fala criou-se a laringe que foi desenvolvendo-se lentamente e aos poucos se foi tendo um som cada vez mais articulado.
O trabalho juntamente com a palavra articulada foram os primórdios principais para a transformação pouco a pouco do cérebro, e com ele foi-se aperfeiçoando os órgãos sensoriais. Já com a exploração predatória os animais tinham que buscar novos jeitos para se alimentar, assim com a alimentação mais variada criaram-se mais condições químicas para a mudança do símio em homem. Dentro dessa alimentação mais variada a carne foi de muito significado para a historia, pois foi a partir dela que veio o uso do fogo e a domesticação dos animais.
O homem que já comia variadas coisas amplificou sua área de vivencia e espalhou-se por toda a superfície terrestre aprendendo assim a viver com qualquer clima. E como Engels fala no texto “Nada ocorre na natureza de forma isolada. Cada fenômeno afeta a outro, e é por seu turno influenciado por este” assim devido à mão, a linguagem e ao cérebro o macaco foi-se transformando em homem ao aprender a execução de coisas cada vez mais complicadas. E com essa base no trabalho, cada vez mais aperfeiçoado e diversificado, que aos poucos a manada foi transformando-se em sociedade.Com essa sociedade mais complexa veio a exploração da natureza sendo isso uma diferença básica entre o homem e o resto dos animais,o animal faz parte da natureza portanto se moldando a ela já o homem quer domina-la.O texto termina falando sobre a ciência social da burguesia onde aqueles que são capitalistas só visam os resultados imediatistas não vendo,portanto,as consequências naturais de seus atos.
Com tudo isso vemos que o autor vai desde os primórdios da humanidade, onde mostrou o corpo do macaco sendo adaptado e evoluído, ate o que estamos fazendo com a natureza.Esse texto escrito em 1876 que faz referencia ate os dias atuais no sentido que queremos dominar a natureza e não fazer parte dela onde visamos sempre os resultados mais imediatos e visíveis, levando a uma reflexão que não podemos domina-la e sim temos que aprender a conviver com ela pois nada somos sem ela.
 
*Estudante do 1º semestre de Bacharelado Interdisciplinar em Saúde da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia-UFRB.