Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Análise de viabilidade tijolo ecológico

Pré-visualização | Página 1 de 3

EDITAL 03/2017
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA
PAPq / UEMG 
ANÁLISE DE VIABILIDADE DA UTILIZAÇÃO DO TIJOLO ECOLÓGICO NA
CONSTRUÇÃO CIVIL
Orientador: Prof. Jônatas Franco Campos da Mata
Bolsista: Bruno Garcia de Pula 
Voluntário: Daniel de Abreu Milagre
João Monlevade - MG
Março de 2017
Projeto de Pesquisa do Curso de Engenharia Civil / Minas da Universidade do Estado de Minas Gerais, Campus de João Monlevade, como requisito para bolsa de Iniciação Científica do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PAPq/UEMG.
RESUMO
O presente trabalho abordará a utilização do tijolo solo/cimento, também chamado de tijolo ecológico na construção civil. Este trabalho busca salientar a necessidade da utilização de materiais de baixo impacto ambiental, analisando sua viabilidade técnica, ambiental e econômica dentro da construção civil. Foi feita uma breve revisão da literatura sobre o tema, assim como as suas principais utilizações e importância como material de contrução civil diante do cenário brasileiro atual. Além de não utilizar a queima e emissão de CO2 na atmosfera o tijolo ecológico apresenta viável tecnicamente por sua grande durabilidade e manutenção em obras de pequeno porte como por exemplo casas populares. 
Palavras Chave: Tijolo-ecológico, Construção Civil, Sustentabilidade.
SUMÁRIO
41.	INTRODUÇÃO	�
2.	JUSTIFICATIVA	6
73.	OBJETIVO	�
84.	METODOLOGIA	�
5.	CRONOGRAMADE EXECUÇÃO DO PROJETO	10
6.	DURAÇÃO TOTAL PREVISTA	10
7.	CONTRAPARTIDA DA INSTITUIÇÃO	10
8.	EQUIPE EXECUTORA	11
9.	PLANO DE TRABALHO (anexo plano de trabalho detalhado):	11
10.	RECURSOS NECESSÁRIOS	12
11.	REFERÊNCIAS	12
�
	
LISTA DE FIGURAS
Figura 1: Construção civil com tijolo solo-cimento. Ao lado o aluno do curso de Engenharia da FaEnge com tijolo solo-cimento fabricado no laboratório da faculdade...........................06
Figura 2: Construção civil com tijolo solo-cimento………………………………………09
�
1. INTRODUÇÃO
 Preocupados com os recursos naturais finitos, engenheiros buscam a cada dia novos produtos e técnicas construtivas que causem menos impactos ambientais, visando também minimizar os problemas causados pela extração descontrolada de matéria-prima e emissão de gases poluentes na fabricação de determinados materiais para a construção civil.
	Diante desse cenário, o tijolo de solo-cimento ganhou uma grande participação no mercado, principalmente pelo seu método de fabricação ecologicamente correto.
	Sistemas de construção de solo-cimento podem minimizar danos ambientais, baratear a fabricação e dar mais agilidade às obras. A técnica é o resultado da mistura homogênea de solo, cimento e água em proporções previamente determinadas, depois compactadas na forma de tijolos, blocos ou paredes monolíticas. Desde que bem executado, o componente apresenta boa durabilidade e resistência à compressão, (FIQUEROLA, 2004).
 Segundo pesquisa internacional realizada pela Civil EngineeringResearch Foundation (CERF), entidade ligada ao American Societyof Civil Engineers (ASCE) dos Estados Unidos, revela-se que a questão ambiental é uma das maiores preocupações dos líderes do setor. Há uma presente necessidade de se implementar novos métodos mais sustentáveis no âmbito da Construção Civil, para que a mesma possa diminuir todo esse impacto no meio ambiente causado por ela.
 Tendo em vista essa necessidade urgente de novos métodos construtivos que causem menos impacto ao meio ambiente, o tijolo ecológico, que é feito de solo, água e cimento poderia ser uma opção para suprir essas necessidades, uma vez que possui fácil processo de fabricação, favorecendo a redução de custos e prazo de construção, (MOTTAet al.,2014). Tais tijolos podem configurar-se em maciços, furados, com ou sem canaleta. Tendo em vista que durante o processo de execução deve-se atender a muitos detalhes para que a qualidade desejada dos tijolos seja alcançada, objetivando o resultado final em um componente para alvenarias com menor impacto ambiental que os tradicionais, (PISANI, 2005). 
 Segundo Paiva e Ribeiro (2011), para se ter um desenvolvimento sustentável, têm que adotar em seus meios de produção medidas de eficiência e de melhor aproveitamento de todos os recursos usados em sua produção. Dentro de uma obra da construção civil, há muito desperdício, como sobra e quebra de materiais, que podem ter um melhor reaproveitamento com a adoção de novas tecnologias para reutilização das sobras como a reciclagem destes materiais. Os benefícios para as empresas que adotassem tal iniciativa poderiam ser os retornos referentes à aplicação na reciclagem, que podem ser economia de custos e o produto da venda de materiais reciclados. A economia de custos existe quando conseguimos diminuir os gastos com os materiais que compõe a construção de uma obra, a partir do melhor aproveitamento das matérias-primas e da eliminação das perdas, (PAIVA, 2011).
 No momento, procura-se com vigor, materiais e técnicas construtivas que minimizem os impactos ambientais ocasionados pela construção. É indiscutível o estudo de arquiteturas mais sustentáveis, pois os recursos do planeta são finitos, e o crescimento da população e suas atividades têm gerado, há séculos, grande violência contra o meio ambiente. Não existe construção que não gere impacto, a busca é por intervenções que o ocasionem em menor escala (PISANI, 2005). Com base nos estudos, se propõe pesquisar a viabilidade ecológica, econômica e técnica de utilização do tijolo ecológico na Construção Civil como nova alternativa para amenizar tais impactos por ela causados, buscando analisar a produção de materiais de construção que ofereçam melhores escolhas ecológicas sem prejudicar o custo de materiais e mão-de-obra. Há necessidade de se compreender o mercado e as possíveis barreiras ao uso de tijolos ecológico, tanto como considerar os custos e benefícios técnicos, ecológicos e econômicos para desenvolver campanhas de incentivar o uso de uma nova matéria e estar pronta para responder as perguntas dos possíveis consumidores com respostas baseados nos melhores conhecimentos científicos no momento atual.
2. JUSTIFICATIVA
 A preocupação com a possível escassez dos recursos naturais é a principal justificativa para o aumento da busca por novas tecnológias e práticas sustentáveis dentro da construção civil. Desta forma, a cada dia, procuram-se materiais e técnicas que minimizem os impactos ambientais. Na construção civil, setor que consome diariamente inúmeros materiais não renováveis como areia, cal, água potável, por exemplo, além do entulho e rejeitos de materiais usados, buscam-se constantemente tecnologias que possam substituir essas fontes. Uma dessas tecnologias é a utilização do solo para confecção de tijolos. O processo baseia-se em uma mistura de solo, cimento e umidade, prensado e curada à sombra, conforme ilustrado na figura 1.
 Figura 1: Construção civil com tijolo solo-cimento. Ao lado o aluno do curso de Engenharia da FaEnge com tijolo solo-cimento fabricado no laboratório da faculdade. 
 Fonte: Proprio autor (2015) Fonte: http://www.recriarcomvoce.com.br 
 Um dos benefícios da adoção desse método é a redução de custos, do consumo de água, da energia, além de propulsar o desenvolvimento de novos produtos que contribuam para o mercado e para a diminuição da poluição. O tijolo de solo cimento proporciona outras vantagens, como a melhoria da imagem institucional; aumento da produtividade; melhoria das relações com órgãos governamentais, comunidades e grupos ambientalistas; e melhor adequação aos padrões ambientais.
 Neste
Página123