ARTIGO PSICOPEDAGOGIA
16 pág.

ARTIGO PSICOPEDAGOGIA


DisciplinaPsicopedagoci8 materiais76 seguidores
Pré-visualização4 páginas
1 
 
 
ATUAÇÃO DO PSICOPEDAGOGO: UMA QUESTÃO DE INCLUSÃO, OS 
DESAFIOS DA SALA DE AULA E O ENSINO DA HISTÓRIA DA ÁFRICA. 
Alan Broedel Gaspar 
 
 
 
RESUMO 
Este artigo tem como finalizade falar sobre inclusão na escola e mostrar algumas 
situações correqueiras do cotidiano escolar e as dificuldades encontradas no 
processo de ensino e aprendisagem em sala de aula. O mesmo apresentará as 
ações do psicopedagogo quanto um profissional da educação e algumas possiveis 
atuações do mesmo na escola. Este artigo também mostrará sobre a História da 
África e como esse assunto se tornou indispensável na sala de aula. 
 
PALAVRAS- CHAVE: INCLUSÃO \u2013 DESAFIOS- CULTURA AFRO-BRASILEIRA. 
 
ABSTRACT 
This article ends up talking about inclusion in school and showing some real 
situations of everyday school life and the difficulties encountered in the process of 
teaching and learning in the classroom. The same will present the actions of the 
psychopedagogue as a professional education and some possible actions of the 
same in school. This article will also show you about the History of Africa and how 
this subject became indispensable in the classroom. 
 
 
KEYWORDS: INCLUSION - CHALLENGES - AFRO-BRAZILIAN CULTURE. 
 
 
 
 
2 
 
 
1 INTRODUÇÃO 
Ao passar dos anos, podemos perceber que a educação vem passando por várias 
mudanças, principalmente na questão de inclusão. Hoje um aluno com 
necessidades especiais consegue se sentir acolhido no seu espaço escolar. Isso se 
da pela forma que ele é tratado e visto na escola. Mas ainda enfrentemos alguns 
desafios quanto a isso, e não é apenas a escola que deve saber acolher estes 
alunos, a família em primeiro lugar deve estar junto desse aluno para que em 
parceria com a escola ambas consigam um resultado satisfatório. Mas sabemos que 
na escola não só temos alunos com necessidades especiais. Também temos 
aqueles que não possuem laudo mas precisam ser tratados de maneira individual. 
Este artigo tem como finalizade mostrar ao corpo docente que cada aluno é único e 
a partir dessa individualidade deve-se olhar para sala de aula de maneira diferente e 
saber para quem estar planejando uma aula. A ponto de se perguntar quem são 
meus alunos? O que estou fazendo para tornar a aula mais dinâmica e interativa? 
Como meu aluno aprende? Será que todos estão acompanhando a matéria que 
estou dando? Outra observação que faremos aqui é sobre o ensino da História da 
África na sala de aula, será que temos preconceito quando é ensinado a história 
desse continente? Será que o aluno de hoje sabe que muita coisa que vemos hoje n 
Brasil veio da África. 
2 O QUE É PSICOPEDAGODIA? 
Muitos ainda têm suas dúvidas quando ouvem falar no psicopedagogo. No que este 
profissional pode contribuir para o desempenho e desenvolvimento de ensino 
aprendizagem, discliplinar, etc\u2026 de um aluno? 
\u201cA psicopedagogia surgiu como uma necessidade de compeender os problemas de 
aprendizagem \u2026(Fagali e Do Vale, 1993:7) \u201c. \u201c\u2026O campo a que chamamos 
psicopedagogia ou estudo do comportamento humano e seus reflexos na educação\u201d 
(Deldine e Demoulin, 1977:XII). \u201cEsta é a proposta da psicopedagogia: compreender 
o indivíduo enquanto aprendiz. Como alguém cheio de dúvidas, fazendo escolhas e 
tomando decisões\u2026\u201d(Rubinstein, in Scoz, 1987:15). 
 
3 
 
 
 
2.1 A ESCOLA 
 
Podemos notar que a inclusão escolar e o atendimento educacional aos alunos com 
necessidades especiais vêm promovendo grandes avanços ao longo dos anos, além 
de que se faz necessário que a sociedade esteja envolvida no processo de inclusão, 
e para que possa acontecer verdadeiramente é preciso respeitar, reconhecer e 
valorizar a diversidade existente. A diversidade humana é uma característica que 
acompanha qualquer sociedade, a qual todos estão inseridos e que necessita de 
respeitos e da compreensão de toda esta parcela, desta maneira a escola 
representa um papel fundamental nesse processo. 
 
 
 
 
 
 
Diante desses avanços, percebemos que não foi nem está sendo fácil a introdução 
dessas novas práticas pedagógicas, já que para elas acontecerem não depende 
somente da comunidade escolar. São necessários avanços no sistema e a 
participação de todos para que assim possam criar e desenvolver novas práticas 
pedagógicas, de forma que os alunos possam estar incluídos numa perspectiva 
educacional que seja ideal para o desempenho e o desenvolvimento na sua vida 
escolar. O papel escolar no desenvolver das suas atividades para todos, precisam 
do envolvimento de toda a comunidade escolar, incluindo os pais, alunos, gestores e 
todos os profissionais que compõem o sistema educacional, pois a escola que faz a 
inclusão, ela consegue melhorar a sua qualidade de ensino, já que estará 
procurando atingir as suas metas, seus objetivos, e desenvolver um papel ao qual 
procurará valorizar as diferenças existentes sendo positiva no que faz, no papel que 
desenvolve com respeito e qualidade ao seu público. 
A escola comum se torna inclusiva quando reconhece as 
diferenças dos alunos diante do processo educativo e busca 
a participação e o progresso de todos, adotando novas 
práticas pedagógicas. (ROPOLI, 2010. p. 9 ) 
 
4 
 
 
2.2 O PSICOPEDAGOGO NO PROCESSO EDUCATIVO 
 
A função do psicopedagogo é ajudar no desenvolvimento dentro de uma perspectiva 
que se possa conseguir ampliar as habilidades que estão retraídas dentro da 
criança. Para isso, em primeira fase, ele precisa utilizar recursos como a entrevista 
com a família, fazendo uma investigação para tentar descobrir o porquê do 
encaminhamento da criança ao atendimento, buscar descobrir a história de vida 
delas, sendo possível através de recursos como a 
Anamnese. Buscar identificar sua vivência, seu histórico escolar, quais dificuldades 
apresentam no processo de aprendizagem; fazer o encaminhamento a outros 
profissionais quando necessário. O auxílio e a intervenção do psicopedagogo no 
processo de aprendizagem vêm contribuindo cada vez mais dentro das diversidades 
encontradas nas unidades escolares, sendo que sua intenção é a de descobrir o que 
está prejudicando ou dificultando a aprendizagem do aluno. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
3 OS DESAFIOS DA SALA DE AULA 
Em meio a tantas dificuldades que encontramos nas escolas nos dias de hoje, fazer 
com que os alunos se concentrem na aula, se tornou um grande desafio para os 
professores. Dependendo da idade e série que os alunos se encontram o desafio 
fica ainda cada vez maior. O professor encontra pelo caminho vários concorrentes 
Avaliar o perfil neuro-sensório-motor é perceber como está o 
Desenvolvimento, do sistema nervoso, do sistema sensorial, 
do sistema motor,.. Para avaliá-lo, precisa-se conhecer os 
elementos que o compõem: o esquema corporal, a 
lateralidade, a interação espacial, a orientação temporal, 
a coordenação dinâmico-manual, a coordenação visual-
motora, o desenvolvimento da linguagem, o 
desenvolvimento sensorial. (FERREIRA, 2001. pag. 15). 
 
5 
 
que tiram atenção dos alunos, esses são os aparelhos técnológicos, a falta de 
intresse dos alunos pela matéria, etc. 
Sendo assim, o professor mediante a esse desafio requer alguns passos 
facilitadores que poderá tornar sua aula mais atrativa e fazer com que os alunos se 
sintam parte dela. E porque não começar pela sala de aula ? O alunos precisa se 
sentir acolhido na escola e principalmente na sua sala de aula, pois é ali que ele 
passa o maior tempo enquanto está na escola. Um ambiente físico neste caso (sala 
de aula), nunca é neutro, ela sempre passa uma mensagem para a criança ou 
adolescente. Essa mensagem pode ser de interesse ou de