A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Apol 4 Gestão de Pessoas e Talentos 100%

Pré-visualização|Página 1 de 7

Ap ol 4 Gestão d e Pessoas e Tal en tos
Questão 1/5 - Língua Portuguesa: Redação Empresarial
É atr ibu ão do pro fi ss io nal de Sec r et ar iado Exe c uti vo c omu ni c ar - se po r me io do uso d a nor ma c u l ta.
De aco rdo c om a ass er ti va aci m a, co ns i der e a s ente nç a abai xo , ate nt ando -s e ao uso do po r que”:
"A g ente se ac ost uma a ac ord a r d e manhã s obr e ss al ta d o, p or q ue e st á na h ora ."
Ago r a, analis e as se g ui nte s se nte nças.
I. P or q ue dei xar de l ado u ma c ausa por q ue lut amos h á ta nto te m po ?
II. Nin g uém s abe o por q uê de nos sa l uta .
III. Ele vi vi a tr anq uil ame nt e , por q ue ti nha uma gr a nde her ança .
IV. O go ver no o de ve m ud ar , po r quê ?
V. P er g unto por que voc ê é t ão ir re sponsá vel .
VI. Vi vo fe li z, por q ue amo min ha e spo sa.
P o r úl ti mo , ass in ale a ú nic a alte r nati va c or re ta:
A
As f rases I e I I são as únic as corr etas.
B
As fr ases I, II I e V são corr etas.
C
A f rases II é a únic a c or reta.
D
Somente a frase I não está c or reta.
E
Apena s a fr ase VI está c or reta.

Questão 2/5 - Gestão de Pessoas e T alentos
Co m o s de safio s que as e mpr es as vê m p as sa ndo , um a bo a ge s o de Re c ur so s Hum a no s , to r no u - se e s se nc ial par a co ns e guir ve nc e r
de s af io s, uma ve z que , ge s o do c on he c imento é es tr at é gi ca para as o r gani z aç õ es . O s et o r de Rec ur so s Hu ma no s de i xo u de es tar
pr eo c up ado e m ide ntif ic ar nec e ss ida de s de tr ei n ame nt o, ou em f a ze r me l ho r es es co l has na ho r a d e c once de r um a pr omo ção , ai nd a q ue
s ej am ite ns im po r tante s, e p as so u a te r u m a vi s ão m ais es tr a gi ca, o n de os q ue st io name nt os co meç am a te r um no vo as pec to .
P ara aj u dar a re s ol ver t odas e s sas ques e s, o se to r de Re c ur so s Humanos , ho j e em di a, po de c o nt ar c o m um a f er rame nt a c h am a da
mape ame nt o de c o m pe nc ias. O us o do ma pe ame nt o d as c o mpe nc i as p ar a a ge s o do c onhe c imento e st á r e lac io na do
pr inc i palme nt e co m a pos si bil idade de apr o xi m ar o s iguais, e m al g uns mo me nto s, e os co mpl eme ntare s, e m o utr o s; de i de nti fi car
re dund â nc ias o u ausê nci as de ha bi li da de s o u c ompe nc ias. Com i ss o, a e spiral do c o nhe ci me nt o a va nç a a ní ve is e xponenc i ai s. P ode
par e ce r c o mplic a do , m as é a pe n as u m a f or ma m ai s co mpl ex a de dize r q ue "d uas ca be ç as j unt as pe nsa m mel ho r do que u ma".
Consi der ando o t e xto , a v al i e as se gui nt e s as ser ç õ es e a re l ação pro po s ta entr e e l as .
I - As em pre sas e s o ado t an do uma e s tr at égia de ges o re c or re ndo ao m a pe ame nto de c ompe n ci as .
P ORQ UE
II - O m apea ment o de co m pet ênci as i dentif ic a as q u al id a de s as si m c omo as l imit aç õ es do s s e us c o labor ador e s no s di ve rs o s c ampo s de
at uaç ão , po den do co m i ss o f aze r um a ge st ão ex po ne nc ial apro ve it ando ao m á ximo o pot enci al de c ad a um de ac or do co m s u as
ha bi lid a de s.
A re s pe ito das ass e rções as s inale a opção co rre ta.
A
As asser ç ões I e II são pr oposiç ões ver dadei ras, e a II é uma justi fic ati va d a I.
B
As asser ç ões I e II são pr oposiç ões ver dadei ras, ma s a II o é uma jus tif ic ativa da I.

C
A asserç ão I é uma pr oposi ção verdadeira, e a II é uma pr oposiç ão fals a.
D
A asse ão I é uma pr oposi ção f als a, e a I I é uma pr opos ão ver d adeir a.
E
As asser ç ões I e II são pr oposiç ões falsas.
Questão 3/5 - Gestão de Pessoas e T alentos
Di ve r sas t eo r ias r el ac io nara m s al ár io à fe l ic ida de , m as ho je o s be ne ci o s e a re muner aç ão de ix a ram de s e r det er min ante s n a e sc o lha
de um no vo e m pr ego . Claro q ue s e mpre b us c amo s o c r es ci ment o fi nanc e ir o, mas is so de ixo u de s e r o f ato r mai s i mpor ta nt e p ar a q ue
o c ol abo rador s e s int a fe li z e r eali zado e m s e u t r ab al ho .
Se g un do Lo c ke , c it ado por Be rg a mi ni e Co da, e m 1 99 0 , a s at is faç ão no tr ab al ho é e nte n di da co m o a re laç ão per ce bi da e nt re o qu e u m
indi ví d uo e s pe r a de s eu tr ab al ho e o que e le pe r ce be que e s o bte ndo. É ai n da u m e st ado de pr az er e mo c io nal r es ult ant e d a a val i aç ão
que u m pr of is si o nal faz so br e a que po nto as fu nç õ es que de se n vo l ve ate n de m se us o bj et ivo s.
Consi der ando o t e xto a pre se nt ado, a vali e as s e gui ntes as s er ç õe s e a re l ação pr o po s ta e nt re el as .
Um a bo a re m u ne ração s alar i al é gar ant i a to t al de fe lic i dade pro f is si onal .
POR QU E
A r eal i z ão pe ss o al e pro fi ss io nal de pe n de da harmoni zaç ão entr e fu nç õ es es tabe le c idas e o s o bj e ti vo s al c anç ado s .
A re s pe ito das as se rç ões, as s ina le a o pção c o rre ta .
A
As asser ç ões I e II são pr oposiç ões verd adei ras, e a II é uma justi fic ati va d a I .