A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Ativs e Passivos contingentes

Pré-visualização | Página 1 de 1

CONTABILIDADE
GERAL
Prof. Cláudio Alves
Balanço Patrimonial
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes -
Parte 1
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Provisões:
Atualmente, com base no Pronunciamento Técnico CPC 25 –
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes, o
termo Provisão se aplica somente a itens do passivo de prazo
ou valores incertos, de forma que as provisões do passivo
continuam sendo justificadas pelo Princípio da Prudência.
No caso de itens do Ativo, as novas regras contábeis
continuam também apoiando a aplicação do princípio da
prudência, principalmente no caso da redução do valor
recuperável (CPC 01 – R1), não mais se aplicando a expressão
“provisão”, de forma que as antigas contas retificadoras do ativo
que recebiam essa expressão não são mais consideradas
provisões e sim “Perdas Estimadas”.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
No caso do Passivo, apesar da expressão “provisão” continuar
existindo, houve uma redução da aplicabilidade dessa expressão,
pois, muitas contas do passivo que antes eram consideradas
provisões, agora não correspondem a esse conceito, tendo em
vista que não se enquadram como passivos de prazo ou valor
incertos, tal como o caso de férias, do 13º salário e do imposto de
renda. Com base no item 11 do CPC 25, a contabilização mensal
ou trimestral ou anual da obrigação com essas contas está dentro
do grupo de contas a pagar e não de provisões, pois nesses casos
específicos esses são passivos de prazos e valores determináveis
com pouca possibilidade de variação.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Assim as antigas expressões “provisões para 13º salário”,
“Provisão para férias” e “Provisão para IR” dão lugar às novas
expressões “13º a pagar”, “férias a pagar” e “Imposto de Renda a
pagar”, tendo em vista que não são mais consideradas provisões
e sim “contas a pagar”, cujas despesas são apropriadas em função
do tempo transcorrido, dado o princípio da competência.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Podemos citar como “autênticas” provisões do passivo, de
acordo com os critérios estabelecidos pelo CPC 25, as abaixo
descritas:
- Provisão para garantias de produtos, mercadorias e serviços;
- Provisão para riscos fiscais, trabalhistas e cíveis;
- Provisão para reestruturação;
- Provisão para compensação ou penalidades por quebra de
contratos;
- Provisão para danos ambientais causados pela entidade, etc.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Conforme o item 14 do CPC 25, uma Provisão deve ser
reconhecida quando:
- A entidade tem uma obrigação presente (Legal ou não
Formalizada) como resultado de evento passado;
- Seja provável que será necessária uma saída de recursos que
incorporam benefícios econômicos para liquidar a obrigação; e
- Para ser feita uma estimativa confiável do valor da obrigação.
Se essas condições não forem satisfeitas, nenhuma
provisão deve ser reconhecida.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Na constituição da Provisão continua sendo debitada uma
conta de despesa e creditada uma conta de passivo.
D – Despesa com provisão
C - Provisão
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Para uma melhor compreensão do conteúdo do
Pronunciamento Técnico CPC-25, é necessário que saibamos
alguns termos, vejamos:
Provisão é um passivo de prazo ou de valor incertos.
Passivo é uma obrigação presente da entidade, derivada de
eventos já ocorridos, cuja liquidação se espera que resulte em
saída de recursos da entidade capazes de gerar benefícios
econômicos
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Evento que cria obrigação é um evento que cria uma obrigação
legal ou não formalizada que faça com que a entidade não tenha
nenhuma alternativa realista senão liquidar essa obrigação.
Obrigação legal é uma obrigação que deriva de:
a) contrato (por meio de termos explícitos ou implícitos);
b) legislação; ou
c) outra ação da lei.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Obrigação não formalizada é uma obrigação que decorre das
ações da entidade em que:
a) por via de padrão estabelecido de práticas passadas, de
políticas publicadas ou de declaração atual suficientemente
específica, a entidade tenha indicado a outras partes que
aceitará certas responsabilidades; e
b) em consequência, a entidade cria uma expectativa válida
nessas outras partes de que cumprirá com essas
responsabilidades.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Passivo contingente é:
a) uma obrigação possível que resulta de eventos passados e
cuja existência será confirmada apenas pela ocorrência ou não
de um ou mais eventos futuros incertos não totalmente sob
controle da entidade; ou
b) uma obrigação presente que resulta de eventos passados,
mas que não é reconhecida porque:
i) não é provável que uma saída de recursos que
incorporam benefícios econômicos seja exigida para liquidar a
obrigação; ou
ii) o valor da obrigação não pode ser mensurado com
suficiente confiabilidade.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Ativo contingente é um ativo possível que resulta de eventos
passados e cuja existência será confirmada apenas pela
ocorrência ou não de um ou mais eventos futuros incertos não
totalmente sob controle da entidade.
Contrato oneroso é um contrato em que os custos inevitáveis de
satisfazer as obrigações do contrato excedem os benefícios
econômicos que se esperam sejam recebidos ao longo do mesmo
contrato.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
Reestruturação é um programa planejado e controlado pela
administração e que altera materialmente:
a) o âmbito de um negócio empreendido por entidade; ou
b) a maneira como o negócio é conduzido.
Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Parte 1 
QUESTÃO: TCE-RO – Contador – 2013 – Cespe - Uma
empresa que fabrique e venda eletrodomésticos com garantia
contra prováveis defeitos, se julgar provável que tais defeitos
venham a ocorrer em alguns itens, deve registrar uma provisão
para garantias, a qual, simultaneamente, reduzirá o resultado da
empresa e aumentará o valor dos seus passivos exigíveis.
( ) Certo ( ) ErradoX