A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Micro e Imuno   2B

Pré-visualização | Página 1 de 1

Células que conectam os sistemas Imunes: Inato e Adaptativo 
Uma subdivisão especializada de células (que fazem apresentação dos antígenos) chamadas de células apresentadoras de antígenos (invasor/ algo ruim) (APCs) , são uma população heterogênea de leucócitos que têm o papel importante na imunidade inata e também age como um conector para o sistema imune adaptativo ao participar na ativação de células T auxiliares (células Th). 
Essas células incluem células Dendríticas e Macrófagos 
Um aspecto característico das APCs é a expressão de uma molécula de superfície codificada por genes do complexo maior de histocompatibilidade, referidas como moléculas de MHC classe II
Linfócito B
- Transformam-se em plasmócito que por sua vez, se transforma em anticorpo. 
Também expressam moléculas de MHC classe II e eles também funcionam como APCs, embora não sejam considerados parte do sistema imune inato.
Além disso, algumas outras células (e.g. , células epiteliais do timo) podem expressar moléculas de MHC classe II e funcionar como APCs. 
Linfócito T (Citotóxicos) 
Essas células reconhecem antígenos de patógeno que são exibidos na superfície da célula infectada e matam a célula impedindo, portanto, que a infecção se espalhe pelas células vizinhas. 
Células T Auxiliares Th1
- Uma subpopulação de células Th, células Th1, é a defesa primária contra patógenos intracelulares que vivem no interior de vesículas.
- Células Th1 reconhecem antígenos de patógenos que são expressados na superfície das células infectadas e que liberam citocinas que ativam a célula infectada. 
 Uma vez ativada, a célula infectada pode matar o patógeno. 
Células do Sistema Imune Adaptativo 
- Células que constituem o sistema imune adaptativo (específico) incluem os linfócitos B e T.
Após exposição ao antígeno, células B diferenciam em plasmócitos cuja função primária é a produção de anticorpos. 
Similarmente, células T podem se diferenciar em células T citotóxicas (Tc) ou células auxiliares (Th)
- Células auxiliares existem dois tipos: Células Th1 e Th2. 
Patógenos Intracelulares
Como os anticorpos não penetram nas células hospedeiras, eles são ineficazes contra patógenos intracelulares. 
- O sistema imune usa uma abordagem diferente para lidar com esses tipos de patógenos 
Defesa Primária 
São respostas mediadas por células contra patógenos intracelulares e a abordagem varia dependendo de onde está o patógeno na célula hospedeira 
EX: A maioria dos vírus e algumas bactérias residem no citoplasma da célula hospedeira, entretanto, algumas bactérias e parasitas vivem no interior de endossomas na célula hospedeira infectada. 
 
 Imunoglobulinas 
Definição
Imunoglobulinas (Ig) são moléculas de glicoproteína que são produzidas pelos plasmócitos em resposta a um imunógeno e que funcionam como anticorpos.
 As imunoglobulinas derivam seu nome da descoberta de que elas migram com as proteínas globulares quando o soro (contendo anticorpos) é colocado em um campo elétrico.
OBS: Patógenos Extra-celulares 
 Anticorpos são a defesa primária contra patógenos extra-celulares
Funcionam de Três maneiras 
Neutralização 
Ao se ligarem com o patógeno ou à substância estranha, os anticorpos podem bloquear a associação do patógeno com seus alvos. 
 Por exemplo, os anticorpos contra toxinas bacterianas podem impedir a ligação da toxina às células hospedeiras próximas ao tornar a toxina inócua. 
Similarmente, anticorpos que se ligam a patógenos virais ou bacterianos podem impedir a ligação do patógeno ao seu alvo nas proximidades, impedindo a infecção ou colonização. 
Opsonização 
O anticorpo ao se ligar ao patógeno ou à substância estranha pode opsonizar o material e facilitar sua captação e destruição pelas células fagocíticas, tornando o patógeno mais facilmente fagocitável. 
 A região Fc do anticorpo interage com os receptores Fc nas células fagocíticas, tornando o patógeno mais facilmente fagocitável. 
Ativação do Complemento
A cascata de ativação do complemento pelo anticorpo pode levar à lise de certas bactérias e vírus. Além disso, alguns componentes da cascata do complemento opsoniza patógenos e facilita sua captação via receptores do complemento nas células fagocíticas. 
Classes de Imunoglobulinas 
As imunoglobulinas podem ser dividas em 5 classes diferentes, com base nas diferenças em sequências de aminoácidos na região constante das cadeias pesadas. 
 Essas diferenças podem ser detectadas por estudos de sequências ou mais comumente por meios sorológicos. 
Imunoglobulina M
Perfaz aproximadamente 10% do conjunto de imunoglobulinas. 
- É encontrada principalmente no intravascular, sendo uma classe de anticorpos “precoce” (produzidas agudamente nas fases agudas iniciais das doenças, que desencadeiam resposta humoral) 
- É uma proteína que não atravessa a placenta (por ser grande), e é encontrada também na superfície dos linfócitos B de forma monomérica, realizando a função de receptor de antígenos. 
Propriedades IgG
- É o anticorpo principal nas respostas imunes secundárias e a única classe antitoxinas. 
- Esta igualmente distribuída nos compartimentos extracelulares e é a única que normalmente atravessa a placenta 
Propriedades IgA
- Quando encontrada em secreções, possui outra proteína associada a ela chamada de Peça Secretora T
- Ao contrário do resto da IgA que é feita no plasmócito, a peça secretora é feita nas células epiteliais e é adicionada à IgA à medida que esta passa através das secreções
- A peça secretora ajuda a IgA a ser transportada através da mucosa e também a protege da degradação nas secreções 
- A igA é segunda Ig mais comum no soro 
- É a principal classe de Ig em secreções
Lágrimas 
Saliva
Colostro Muco
Propriedades IgD
- É encontrada em baixos níveis no soro (Seu papel é duvidoso no soro) 
- Primariamente é encontrada em superfícies de célula B onde funciona como um receptor para antígeno
Propriedades IgE
- Esta envolvida em reações alérgicas 
- Participa em doenças parasitárias por helmintos. Uma vez que os níveis sorológicos de IgE aumentam em doenças parasitárias, a quantificação dos níveis de IgE auxilia no diagnóstico de infecções parasitárias.