dp quimica
87 pág.

dp quimica


DisciplinaQuimin11 materiais42 seguidores
Pré-visualização15 páginas
TRABALHO
DE
DP QUÍMICA
4º Bimestre do 1ª Série do Ensino Médio
NOME: DAYNARA FERNADA OLIVEIRA RUFINO
Transformação química na natureza e no sistema produtivo
Metais- processos de obtenção e relação quantitativas
Os metais não são extraídos da natureza na forma que os utilizamos. Os metais são obtidos a partir de minérios que constituem as minas e os depósitos naturais.
No Brasil são produzidos principalmente, ferro e alumínio. O ferro é obtido do minério de ferro (hematitia, Fe2O3), sendo que 60% da produção nacional provém de Minas Gerais (quadrilátero ferrífero), onde também são encontrados manganês e ouro.
O alumínio é obtido a partir da bauxita (principalmente Al2O3), extraída de jazidas no Pará.
Metalurgia
O ser humano sempre utilizou vários objetos que são feitos de ferro. Pregos, tesouras, facas e ferramentas são alguns exemplos. Sua obtenção exerceu um papel de grande importância para a civilização moderna.
A idade do ferro se iniciou a aproximadamente 1200 a.C., quando o homem aprendeu a utilizar carvão da queima da madeira para extrai esse metal de seus minérios, e utilizá-los na fabricação de ferramentas e implementos.
Obtenção do ferro
O ferro é obtido a partir de seus minérios e os principais são hematita, Fe2O3, a magnetita, Fe3O4, a limonita, FeO(OH) e a siderita, FeCO3.
As matérias-primas hematita, carvão vegetal e calcário (carbonato de cálcio), são colocadas no topo do alto forno, obtendo como produto final o ferro gusa e a escória.
Alto-Forno
O calcário é colocado para interagir com as impurezas do minério e com as cinzas do carvão, formando as chamadas \u201cescórias\u201d.
Os métodos de extração muitas vezes podem provocar um desequilíbrio ambiental. Por exemplo, a extração de ferro demanda grande quantidade de água, que, posteriormente retorna aos tornando-se barrentas. Isso pode afetar a produção de alimentos para os animais aquáticos em geral, devido à baixa luminosidade.
A exploração de minerais causa a degradação de uma área muito grande, o que torna muito difícil a sua recuperação.
O que nos atrai nos metais são, principalmente, algumas de suas propriedades. Por exemplo, o que resfria mais rápido, uma latinha de refrigerante ou uma garrafinha do mesmo refrigerante?
As latas de alumínio conduzem melhor o calor, ou seja, quando colocamos a latinha na geladeira, o refrigerante perde mais calor rapidamente.
A energia que vem dos postes de eletricidade, chega em nossas residências por fios feitos de metais, como por exemplo, o cobre, que conduz corrente elétrica, o que não ocorre com outros materiais como a madeira e o plástico.
O cobre apresenta a propriedade de ser dúctil (Capacidade de ser transformado em fio) e é pouco reativo com o oxigênio e a umidade do ar.
As ligas metálicas
Alguns metais apresentam a propriedade de formar uma liga metálica, onde não existe somente um único metal constituindo o material, mas uma mistura de metais, como por exemplo, o bronze (estanho, Sn e cobre, Cu) e o latão (cobre e zinco, Zn).
O aço, liga formada por ferr e carbono (até 1%), é muito utilizado, pois apresenta baixa densidade e grande resistência mecânica, sendo utilizado na construção civil, na produção de panelas, talheres, etc.
Descarte
Algo que você já deve ter pensado é onde jogar aquela latinha de refrigerante ou qualquer outra peça de metal usada.
É importante que se saiba que muitos dos metais podem ser reutilizados. No caso das latinhas de alumínio, a reciclagem é realizada, pois a quantidade de energia gasta para fundir o alumínio e remodelá-lo é 20 vezes menor do que a utilizadas para extraí-lo do seu minério (bauxita) na natureza.
A reciclagem e o reaproveitamento dos metais são importantes porque podem diminuir o impacto ambiental devido às práticas exploratórias.
Relações quantitativas envolvidas na transformação química
As equações químicas contêm símbolos e números que mostram quais as substâncias presentes e as proporções adequadas em que elas reagem.
Por meio da interpretação dessas equações é possível encontrar dados importantes que nos ajudam a realizar cálculos estequiométricos. Porém, o primeiro passo diz que a equação deve estar balanceada, isto é, deve ter o número total de átomos dos reagentes igual ao dos produtos. Você pode entender como realizar esse balanceamento por meio do texto \u201cBalanceamento de equações\u201d.
Antes, porém, entenda alguns conceitos importantes nesse caso, como o significado dos termos: índice, coeficiente estequiométrico e mol. Esses termos serão explanados a seguir e nos dão um melhor vislumbre da parte quantitativa da reação:
Índice: é o número que indica a quantidade de átomos de cada elemento presente nas fórmulas químicas. Esse número vem à direita do elemento em questão e aparece subscrito, isto é, num tamanho de fonte menor.
Exemplo:
H2O (fórmula química da substância água)
O que significa:
Os elementos que constituem essa substância são o H (hidrogênio) e o O (oxigênio).
O índice de cada elemento indica quantos átomos de cada um estão presentes na fórmula da molécula de água:
H2O\u2192 Índice do O: só há 1 átomo de oxigênio.
   \u2193
Índice do H: indica que há 2 átomos de hidrogênio.
Observe que no caso do oxigênio não há nenhum número escrito, o que significa que só há 1 átomo daquele elemento, como já explicado.
Agora, existem alguns casos em que aparecem parênteses nas fórmulas. Como devemos interpretar isso? Veja o exemplo abaixo:
Ca3(PO4)2(fórmula química da substância fosfato de cálcio)
O índice do Ca indica que há 3 átomos do elemento cálcio presentes na fórmula química;
O P (fósforo) e o O (oxigênio) estão entre parênteses, por isso o índice que está de fora, que no caso é o 2, pertence a ambos. Assim, para saber quantos átomos de cada um existem na fórmula, é preciso multiplicar seus índices separadamente pelo índice de fora. Observe como isso é feito:
P \u2192 índice 1                O \u2192 índice 4
P = 1 . 2                       O = 4 . 2
P = 2                              O = 8
Portanto, existem 2 átomos de fósforo e 8 de oxigênio.
Coeficiente estequiométrico: é o número que vem antes da fórmula para indicar a quantidade de cada substância e a proporção de moléculas que participam da reação. Assim, como no caso do índice, quando o coeficiente for igual a 1, não é preciso escrevê-lo, pois ele está subentendido.
Exemplo:
2H2 + 1O2 \u2192 2 H2O (essa reação de formação da água é mostrada na figura introdutória)
\u2193         \u2193           \u2193
Coeficientes da reação
Nessa equação, por meio dos coeficientes, mostra-se que duas moléculas do gás hidrogênio reagem com uma de gás oxigênio, para formar como produto duas moléculas de água. Assim, a proporção estequiométrica dessa reação é de 2:1:2.
Para descobrir a quantidade total de átomos de cada elemento que está presente na reação é preciso multiplicar os coeficientes pelos índices de cada elemento:
Reagentes:
H = 2 . 2 = 4 átomos de hidrogênio
O = 1 . 2 = 2 átomos de oxigênio
Produto:
H = 2 . 2 = 4 átomos de hidrogênio
O = 1 . 2 = 2 átomos de oxigênio
Observe que deu a mesma quantidade nos reagente e nos produtos, o que significa que a reação está balanceada corretamente.
Mol (quantidade de matéria):em uma equação química, considera-se que os coeficientes indicam a quantidade de mol ou a quantidade de matéria. Assim, no caso anterior temos 2 mols de H2 reagindo com 1 mol de O2, gerando como produtos 2 mols de H2O.
Estequiometria; impactos ambientais na produção do ferro e do cobre
Massa molar e quantidade de matéria (mol)
	A quantidade de matéria está relacionada ao número de partículas que compõe um sistema, ou seja, se o número de partículas é alto, a quantidade de matéria também será. 
	O mol é considerado a quantidade de matéria que um sistema com entidades elementares pode ter.
Vejamos os exemplos: 
	Sendo m unidade de massa, n a quantidade de matéria, N número de partículas. Teremos:
N = 6,02 .1023 moléculas
n = 1 mol
m = 2g
N = 12,04. 1023 Moléculas
n = 2 mol
m = 4g
	Suponhamos que