Membrana plásmatica
36 pág.

Membrana plásmatica


DisciplinaBiologia Celular18.343 materiais684.419 seguidores
Pré-visualização2 páginas
MEMBRANA 
PLASMÁTICA 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
MEMBRANA PLASMÁTICA 
\uf0a2 Envoltório celular presente em todos os tipos 
de células. 
\uf0a2 Camada delgada 
\uf0a2 Composta por lipídios, proteínas e 
carboidratos 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
MEMBRANA PLASMÁTICA 
\uf0a2 É uma película delgada e elástica que 
envolve todas as células, revestindo-as e 
separando-as do meio externo, realizando a 
contenção do citoplasma e controlando o 
intercâmbio de substâncias entre a célula e 
o meio extracelular. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
MEMBRANA PLASMÁTICA 
\uf0a2 Quimicamente essa membrana é lipoprotéica, 
formada principalmente por fosfolipídios e 
proteínas, nos animais também o colesterol. 
Funciona como uma barreira seletiva 
facilitando ou dificultando a entrada de 
substâncias que interessam à célula. 
 
\uf0a2 Só pode ser visualizada no M.E. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
\uf0a2 Membrana plasmática- encontrada em todas 
as células e é semelhante em todos os organismo. 
 
\uf0a2 Parede Celular- encontrada nas bactérias e 
cianobactérias, nos fungos e nos vegetais. 
Ausente nas células animais. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
FUNÇÕES DA MEMBRANA PLASMÁTICA 
\uf0a2 A manutenção da integridade estrutural da célula; 
 
\uf0a2 O controle dos movimentos de substâncias para 
dentro e para fora da célula (permeabilidade 
seletiva); 
 
\uf0a2 A regulação da interação célula-célula; 
 
\uf0a2 O reconhecimento, através de receptores, de 
antígenos e de células estranhas, assim como 
também de células alteradas; 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
FUNÇÕES DA MEMBRANA PLASMÁTICA 
\uf0a2 A atuação como interface entre o citoplasma e o meio 
externo; 
 
\uf0a2 O estabelecimento de sistemas de transporte para 
moléculas específicas; 
 
\uf0a2 A transdução de sinais físicos e químicos 
extracelulares em eventos intracelulares; 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
ESTRUTURA DA MEMBRANA PLASMÁTICA: UMA 
BICAMADA FOSFOLIPÍDICA, PROTEÍNAS INTEGRAIS E 
PERIFÉRICAS ASSOCIADAS. 
\uf0a2 Bicamada lipídica (Fosfolipídios e colesterol) 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
DISPOSIÇÃO DOS FOSFOLIPÍDIOS NA 
MEMBRANA 
Parte hidrofílica: 
fosfolipídio 
Parte hidrofóbica: ácidos 
graxos 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
\uf0a2 Os principais tipos de lipídios presentes nas 
membranas celulares são os fosfolipídios, o colesterol 
e o glicolipídio (Nos procariontes e nos vegetais não 
há colesterol). 
 
\uf0a2 Todos esses tipos de lipídios apresentam porções de 
suas moléculas com afinidade diferencial em relação 
à água. 
 
\uf0a2 Fosfolípidios: 
 Cabeça polar (glicerol \u2013 álcool e fosfato) = hidrofílica 
Duas caudas apolares (ácidos graxos) = hidrofóbicas 
 
\uf0a2 Devido a essas propriedades, quando essas moléculas 
estão completamente envoltas por água, dispõem-se 
naturalmente em duas camadas. 
 
 
 
 
 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
ESTRUTURA DA MEMBRANA PLASMÁTICA 
\uf0a2 Proteínas integrais (ou transmembranas): ocupam a 
bicamada lipídica inteira. 
\uf0a2 Proteínas periféricas: ligadas a face citoplasmática 
(às vezes a face extracelular) da bicamada lipídica. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
FUNÇÕES DAS PROTEÍNAS 
\uf0a2 Transporte de íons e moléculas polares; 
 
\uf0a2 Interação com hormônios; 
 
\uf0a2 Transdução de sinais por meio de membranas; 
 
\uf0a2 Estabilização estrutural. 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
PROTÉINAS INTEGRAIS 
\uf0a2 Domínio não citoplasmático (aminoácidos 
hidrofílicos); 
\uf0a2 Domínio transmembrana (aminoácidos hidrofóbicos); 
\uf0a2 Domínio citoplasmático (aminoácidos hidrofílicos). 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
\uf0a2 São longas e altamente dobradas, de modo a fazer 
várias passagens através da membrana e assim são 
conhecidas como proteínas de passagem múltiplas. 
 
\uf0a2 As porções citoplasmáticas e extracelulares possuem 
sítios de receptores específicos para determinadas 
moléculas sinalizadoras. Uma vez estas moléculas 
sendo reconhecidas por estes sítios receptores, as 
proteínas integrais podem alterar sua conformação e 
realizar uma função específica. 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
FLUIDEZ DA MEMBRANA 
\uf0a2 A membrana é fluída (líquida) 
\uf0a2 Os fosfolipídios e proteínas deslocam-se no plano 
da membrana, não ocupando portanto posição 
fixa. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
GLICOCÁLICE 
\uf0a2 É uma região rica em carboidratos ligados a 
proteínas ou a lipídios na membrana 
plasmática. É uma extensão da própria 
membrana. 
 
 
Glicoproteína + Glicolipídio = Glicocálice 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
Observe que a parte carboidrato dessas 
moléculas fica sempre voltada para o meio 
extracelular, constituindo uma verdadeira 
camada de carboidratos denominada 
GLICOCÁLICE. 
 
} glicocálice 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
FUNÇÕES DO GLICOCÁLICE 
\uf0a2 Protege a superfície da célula de agressões 
mecânicas e químicas. 
 *Glicocálice das células da superfície da 
mucosa intestinal as protege do contato com 
os alimentos e dos efeitos destrutivos das 
enzimas digestivas. 
 
\uf0a2 Reconhecimento e a adesão célula-célula, como 
ocorre entre células endoteliais e neutrófilos, na 
coagulação sanguínea e nas respostas 
inflamatórias. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
MEMBRANA PLASMÁTICA 
Transporte através 
das membranas 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
TIPOS DE TRANSPORTE 
\uf0a2 Processos passivos: ocorrem sem gasto de 
energia (difusão, osmose e difusão 
facilitada); 
 
\uf0a2 Processos ativos: ocorrem com gasto de 
energia (bomba de sódio (Na+) e potássio 
(k+), bomba de cálcio (Ca++)) 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
OSMOSE: PERMEABILIDADE À ÁGUA 
\uf0a2 Deslocamento do solvente (água) do meio menos 
concentrado para o mais concentrado, através de 
uma membrana semipermeável. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
\uf0a2 Esta célula vegetal foi colocada em soluções onde 
gradativamente (1, 2 e 3) foi aumentada a concentração de 
sacarose. Em seguida foi colocada em água pura (4). 
 
\uf0a2 Sabendo que a sacarose não entra na célula, você 
conseguiria explicar o que está acontecendo ? 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
\uf0a2 Plasmólise - é a retração do volume das 
células por perda de água. Este fenômeno se 
dá quando a célula é colocada em meio 
hipertônico, ou seja, quando o meio exterior é 
mais concentrado que o citoplasma e a célula 
perde água por osmose. 
 
\uf0a2 Plasmólise também pode ser chamada de 
Crenação. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
EM RELAÇÃO AS HEMÁCIAS, O QUE ESTÁ 
ACONTECENDO? 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1
 
\uf0a2 A plasmólise de hemácias recebe o nome 
especial de CRENAÇÃO. 
\uf0a2 O rompimento da membrana plasmática, chama 
HEMÓLISE. 
 
P
ro
f Ísis L
a
cro
se
 - 2
0
1
5
.1