A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
164 pág.
Sistema de Gestão Integrada em Construtoras de Edifícios

Pré-visualização | Página 45 de 48

SANTANA, A.13. Proposta de avaliação dos sistemas de gestão da qualidade em empre-
sas construtoras, 2006. Dissertação (Mestrado) - Escola de Engenharia de São Carlos, Uni-
versidade de São Paulo. São Carlos, 2006, 
SANTOS, E.B, Guia para elaboração de dissertação de mestrado. 2. ed, São Paulo: IPT / 
CENATEC, 2005. 32p, 
SOUZA, L R . implantação das diretriz es de sustentab ilida de nos em preendim ent os de 
Infra- estrutura rodoviária, Brasília: DNfT, 2007. 
SOUZA, R, Metodologia para desenvolviment o e implantação de Sistemas de Gestão 
da Qualidade em Empresas Construtoras de Pequeno e Médio Porte, 1997, 335f. Tese 
(Doutorado) - Escola Politécnica, Universidade de Sào Paulo, São Paulo, 1997. 
SOU/A, R,; BAÍA, J . L ; GUNJI, H. Sistema de Gestão para empresas de incorporação imo-
biliária. São Paulo: Editora O Nome da Rosa, 2004. 
SOUZA, lí, Evolução do setor. Avanços e desafios na gestão de empresas da constru-
ção civil. Revista Notícias da Construção, São Paulo, Sei.2005. Disponível em:<http://www. 
sindusconsp.com.hr/PUB]JCACOES/revista_noticias„construcao/index, htm>. Acesso em: 
01/10/05. 
SOUZA, U. E.L. Como reduz ir perdas nos canteiros: m anual de gestão do consumo de 
materiais na construção civil, São Paulo; Editora PINI, 2005. 
TAVEIRA, A. Prazo para transição do SIQ para SiAC, 2007, São Paulo. Disponível em: 
<htip://www,tuvbrasil,com.br/interna.asp?Menus=NotÍcias_Ver&Rg=70>. Acesso em 21 dez. 
2008. 
THOMAZ, E. Tecnologia, gerenciamento e qualidade na construção, São Paulo: Editora 
PINI, 2001, 
YAMAUC1H, v, A gestão do conhecim ent o e a inovação organiz acional na construção 
civil. 2003. 1271. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Curiiíha, 2003. 
Apêndices 
Apêndice A - Termos e definições segundo nor-
mas de referência 
Ação corretiva 
Ação para eliminar a causa de uma não-conformidade identificada ou 
outra situação indesejável. 
Nota I - Pode existir mais de uma causa para uma não-conformidade. 
Nota 2 - Ação corretiva é executada para prevenira repetição, enquan-
to que a ação preventiva ( I B ) é executada para prevenir a ocorrência. 
Ação preventiva 
Ação para eliminara causa de uma potencial não-conformidade ou ou-
tra situação potencialmente indesejável. 
Nota I - Pode existir mais de uma causa para uma não-conformidade 
potencial. 
Nota 2 - Ação preventiva é executada para prevenir a ocorrência, en-
quanto que uma ação corretiva éexecutada para prevenira repetição. 
Auditoria 
Processo sistemático, independente e documentado para obter 'evidên-
cia da auditoria" e avaliá-la objetivamente para determinar a extensão 
na qual os "critérios de auditoria" são atendidos. 
Nota I - Independente não significa necessariamente externo à organi-
zação. Em muitos casos, particularmente em pequenas organizações, a 
independência pode ser demonstrada pela liberdade de responsabilidade 
para a atividade sendo audirada. 
Nota 2 - Para mais orientações sobre "evidência de auditoria" e "crité-
rios de auditoria", ver a ISO 1901 I, 
Avaliação de riscos 
Processo de avaliação de risco(s) proveniente{s) de perigo(s), levando em consideração a ade-
quação de qualquer controle existente, e decidindo se o risco é ou não-aceitável. 
Desempenho do SGI 
Resultados mensuráveis da gestão de uma organização de seus riscos de saúde e segurança ocu* 
pacional e de seus impactos ambientais e sociais. 
Nota I - Medição do desempenho do SGI inclui a medição cia eficácia dos controles da organiza-
ção. 
Nota 2 - No contexto do sistema de gestão integrada, os resultados também podem ser medidos 
em relação à política do SGI, objetivos do SGI e outros requisitos de desempenho do SGI da or-
ganização. 
Documento 
Informação e o meio no qual ela está contida. 
Nota - O meio pode ser papel, magnético, disco de computador de leitura ótica oti eletrônica, 
fotografia oti a mostra-padrão, ou uma combinação destes. 
Doença 
Condição física ou mental adversa identificável, oriunda de e/ou agravada por uma atividade 
laborai e/ou situação relacionada ao trabalho. 
Identificação de perigos 
Processo de reconhecimento de que um perigo existe e a definição de suas características. 
Incidente 
Kvento(s) relacionado(s) ao trabalho no qual uma lesão ou doença {independentemente da gra-
vidade} ou fatalidade ocorreu, ou poderia ter ocorrido. 
Nota l - Um acidente é um incidente que resultou em lesão, doença ou fatalidade. 
Nota 2 - Um incidente no qual não ocorre lesão, doença ou fatalidade pode também ser denomi-
nado um "quase-acidente", "quase-perda", "ocorrência anormal" ou "ocorrência perigosa". 
Nota 3 - Uma situação de emergência é um tipo particular de incidente. 
Local de trabalho 
Qualquer local físico no qual atividades relacionadas ao trabalho são executadas sob o controle 
da organização. 
Nota - Sempre que fizer considerações sobre o que constitui um local de trabalho, convém que a 
organização leve em consideração os efeitos da SSO sobre o pessoal que esteja, por exemplo, via-
jando ou em trânsito (por exemplo: dirigindo, viajando de avião, ônibus ou trem), trabalhando 
nas instalações de um cliente, ou trabalhando em casa. 
Melhoria contínua 
Processo recorrente de se evoluir com o sistema tle gestão integrada, com o propósito tle obter o 
aprimoramento do desempenho geral do SGi, coerente com a política do SGI da organização. 
Não-conformidade 
Não atendimento a um requisito. 
Nota - Uma não-conformidade pode ser qualquer desvio de: 
- normas, práticas, procedimentos, requisitos legais, de trabalho pertinentes; 
- requisitos do sistema de gestão da SGI. 
Objetivo de SGI 
Meta de SGI, em termos do desempenho do SGI, que uma organização estabelece para ela pró-
pria atingir. 
Nota I - üs objetivos devem ser quantificados, sempre que exeqüível. 
Nota 2 - Ús objetivos do SGI devem ser coerentes com a política do SGI, 
Organização 
Empresa, corporação, firma, empreendimento, autoridade ou instituição, ou parte ou uma com-
binação desses, incorporada ou não, pública ou privada, que tenha funções e administração pró-
prias. 
Nota - Para organizações que tenham mais de uma unidade operacional, uma única unidade 
operacional pode ser definida como uma organização. 
Parte interessada 
Indivíduo ou grupo, interno ou externo ao local de trabalho, interessado ou afetado pelo desem-
penho do SGI de uma organização. 
Perigo 
Fonte, situação ou ato com potencial para provocar danos humanos em termos de lesão ou do-
ença, ou uma combinação destas. 
Política do SGI 
Intenções e princípios gerais de uma organização em relação ao seu desempenho em qualidade, 
ambienial, social e em saúde e segurança ocupacional, conforme formalmente expresso pela 
Alta Direção, 
Nota I - A política do SGI fornece um arcabouço para a ação e para o estabelecimento dos obje-
tivos do SGI. 
Procedimento 
Forma especificada de executar uma atividade ou processo. 
Nota - Procedimentos podem ser documentados ou não. 
Registro 
Documento que apresenta resultados obtidos ou fornece evidências de atividades realizadas. 
Risco 
Combinação da probabilidade de ocorrência de um evento perigoso ou exposiçâo(Ões) com a 
gravidade da lesão ou doença que pode ser causada pelo evento ou exposição(ões). 
Risco aceitável 
Risco que foi reduzido a um nível que pode ser tolerado pela organização, levando em conside-
ração suas obrigações legais e sua própria política de SGI. 
Segurança e Saúde Ocupacíonal (SSO) 
Condições e fatores que afetam, ou poderiam afetar, a segurança e a saúde de funcionários ou de 
outros trabalhadores (incluindo trabalhadores temporários e pessoal terceirizado), visitantes ou 
qualquer outra pessoa no local de trabalho. 
Nota - Organizações podem estar sujeitas a requisitos legais para a segurança e saúde das pessoas 
fora de seu local de trabalho, ou que estejam expostas às atividades do