A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
65 pág.
Política Social e Seguridade completa

Pré-visualização | Página 2 de 25

63
Unisa | Educação a Distância | www.unisa.br
5
INTRODUÇÃO
Caro(a) aluno(a),
A disciplina Política Social e Seguridade Social é de fundamental importância para a formação profis-
sional do Assistente Social, pois se apresenta como uma política central para o “bem-estar dos cidadãos”, 
além de se constituir em objeto de reivindicação dos mais diferentes movimentos sociais e sindicais. 
Debater a política social como política no âmbito da sociedade capitalista é resgatar o seu caráter de 
classe social – ou seja, uma política que responde, principalmente, aos interesses das classes políticas e 
econômicas dominantes. 
No bojo dessa discussão, a disciplina tem como objetivo abordar o tripé da Seguridade Social no 
Brasil, ou seja, a Previdência Social, a Saúde e a Assistência Social, através de uma análise sócio-histórica, 
identificando os principais mecanismos de regulação social pela intervenção do estado, bem como os 
seus significados na atuação do Assistente Social. Tem ainda como objetivo analisar o conceito de Segu-
ridade Social no Estado Capitalista e os modelos de organização, funcionamento e gestão das políticas 
sociais componentes do Sistema de Seguridade Social brasileiro, identificando programas, rede de ser-
viços, formas de controle social, fontes de financiamento, legislação, problemas e alternativas de equa-
cionamento.
Nessa perspectiva, todo o conteúdo está disposto de modo a estimular o debate sobre e com os 
autores, além de apresentar o processo histórico e teórico relacionado às políticas públicas. Dessa forma, 
analisaremos a política social ao longo da história e os seus desdobramentos na previdência, na saúde e 
na assistência social até a contemporaneidade. 
Desejamos que você tenha muito sucesso na aquisição desses conhecimentos! Não deixe de fazer 
as leituras, assim como as recomendações de acesso a sites e filmes relacionados.
Bons estudos!
Profa. Alberta Emilia Dolores de Goes
Unisa | Educação a Distância | www.unisa.br
7
A POLÍTICA1 
Caro(a) aluno(a), 
Para iniciarmos a nossa discussão1, precisa-
mos compreender o significado do que vem a ser 
política. Para tanto, apoiamo-nos nos autores Ma-
chado e Kyosen (1998), que denominam a políti-
ca como uma forma de bem governar um povo, 
constituindo-se em Estado. 
Segundo os autores, quando falamos em 
um Estado Democrático, é preciso pensar que 
essa governabilidade é realizada pelo poder pú-
blico, que, a exemplo do caso brasileiro, é efetiva-
do pelos representantes do povo que podem ser 
conduzidos ao poder de modo direto ou indireto. 
Então, qual seria o objetivo da política?
O seu principal objetivo seria a criação de 
princípios indispensáveis à existência de um go-
verno o mais perfeito possível, no desejo de con-
duzir o Estado para o cumprimento de suas fina-
lidades, com vistas ao proveito dos governados. 
E, desse modo, como se processa a política? 
A política é composta por um corpo de 
doutrinas, que são indispensáveis para o bom 
governo de um povo, e são estabelecidas por in-
termédio de normas jurídicas necessárias para o 
funcionamento das instituições administrativas 
do Estado. 
Dessa forma, a política e a política social re-
presentam o poder político com vistas ao bem-
-estar da população. No entanto, esses conceitos 
não podem ser analisados descolados de sua 
historicidade e do seu conteúdo de classe social. 
Precisamos perceber que o que determina as 
doutrinas, as normas jurídicas e o funcionamento 
das instituições administrativas do Estado possui 
uma concepção da relação indivíduo-sociedade 
que está fundamentada em uma perspectiva 
positivista, de uma ordem natural, na qual a exis-
tência das diferenças e das desigualdades sociais 
apresenta-se como fenômeno inerente à nature-
za humana. Daí que teríamos pessoas mais capa-
zes de definir o “bem comum”, e outras que, por 
suas incapacidades naturais, devem se submeter 
ao saber dominante.
Entretanto, o que temos é uma sociedade 
capitalista, que não corresponde a uma ordem 
natural de produção da vida social – já tivemos a 
forma escravista, ou a forma feudal, como temos, 
ainda que seja a causa de profundos debates aca-
dêmicos e políticos, a forma socialista. 
No modo capitalista de produção da vida 
social, a classe capitalista detém os poderes políti-
co e econômico, determinando, assim, toda a vida 
1 O texto deste capítulo foi fundamentado na obra de Machado e Kyosen (2000).
AtençãoAtenção
Quando o Estado desenvolve ações para o aten-
dimento às necessidades sociais básicas da po-
pulação, por intermédio de garantias de assistên-
cia social, saúde, educação, justiça, entre outros, 
podemos perceber a implementação e a efetiva-
ção da política social.
Alberta Emilia Dolores de Goes
Unisa | Educação a Distância | www.unisa.br
8
social. Há que se considerar que, numa sociedade 
capitalista democrática, alguns aspectos da vida 
social são decididos coletivamente, fundamental-
mente aquelas decisões que não impliquem em 
mudanças substanciais no modo de produção. 
Um modo de produção que se funda na desigual-
dade e na exploração da força de trabalho. Um 
modo de produção em que a política é a política 
definida pelas classes dominantes e que respon-
de aos interesses desta. A política social não foge 
a esta regra. 
Após essa breve introdução, sobre os aspec-
tos relacionados à política e a política social, abor-
daremos, no próximo capítulo, a política social 
com maior ênfase. 
Assista aos filmes:
Jango. Brasil. 1984. Direção: Silvio Tendler. Du-
ração: 107 min. Documentário sobre a carreira e 
a vida de João Belchior Marques Goulart - João 
Goulart, também conhecido como Jango (1919-
1976), que acompanha a sua história desde a 
sua eleição para deputado estadual, em 1947, 
até seu sepultamento, em 1976. 
Tempos Modernos. Estados Unidos. 1936. Dire-
ção: Charles Chaplin. Duração: 67 min.
Obra-prima do cinema mudo, ambientada du-
rante a Depressão de 1929. Chaplin, através de 
seu personagem Carlitos, procura denunciar o 
caráter desumano do trabalho industrial meca-
nizado, da tecnologia e da marginalização de 
setores da sociedade.
MultimídiaMultimídia
1.1 Resumo do Capítulo
1.2 Atividades Propostas
Neste capítulo, você pôde aprender que a política é a arte de bem governar um povo e tem como 
objetivos a criação de princípios indispensáveis à existência de um governo o mais perfeito possível no 
desejo de conduzir o Estado, para o cumprimento de suas finalidades, com vistas ao proveito dos go-
vernados. Dessa forma, a política é composta por um corpo de doutrinas, que são indispensáveis para 
o bom governo de um povo, e são estabelecidas por intermédio de normas jurídicas necessárias para o 
funcionamento das instituições administrativas do Estado. 
Vamos ver se você aprendeu o que foi trabalhado neste capítulo?
Então, responda às atividades propostas. Se não encontrar dificuldades, certamente compreendeu, 
e, caso encontre alguma, procure reler o texto e conte com o nosso sistema de suporte ao aluno. 
1. Conceitue o que é política.
2. Como é desenvolvida a política em um Estado Democrático?
Unisa | Educação a Distância | www.unisa.br
9
A POLÍTICA SOCIAL2 
Caro(a) aluno(a), 
Neste capítulo, discutiremos a política so-
cial embasados na compreensão de que esta se 
refere à política, no entanto possui características 
próprias das formações econômico-sociais capi-
talistas contemporâneas, de ação e controle so-
bre as necessidades básicas das pessoas, que não 
são satisfeitas pelo modo capitalista de produção. 
E o que é a política social?
Segundo os autores Machado e Kyosen 
(2000), a política social é uma política de media-
ção entre as necessidades de valorização e acu-
mulação do capital e as necessidades de manu-
tenção da força de trabalho disponível para o 
mesmo. Nesta