A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Saúde e meio ambiente

Pré-visualização | Página 1 de 5

Saúde e 
Meio Ambiente
Epidemiologia
Material Teórico
Responsável pelo Conteúdo:
Profa. Ms. Nilza Maria Coradi
Revisão Textual:
 Profa. Ms. Fatima Furlan
5
Como método de estudo, você deverá realizar as atividades de leitura, na sequência fazer as 
atividades de fixação dos conteúdos (Atividade de Sistematização), e as atividades de interação 
(Fórum, Reflexiva ou Aplicação). É importante também acessar o material complementar.
Explore todos os recursos do blackboard. Não acumule dúvidas, participe, pergunte.
Nesta unidade, abordaremos os conceitos, fundamentos e métodos 
da epidemiologia e suas aplicações no âmbito da saúde coletiva. 
A epidemiologia é uma disciplina que fornece subsídios para a 
construção de conhecimentos em relação à saúde das comunidades 
orientando as ações em populações humanas e seu ambiente.
Epidemiologia
•	Introdução
•	Epidemiologia no Brasil 
•	Epidemiologia e meio ambiente 
6
Unidade: Epidemiologia
Contextualização
Nesta unidade, focalizamos resumidamente alguns aspectos da epidemiologia. Diante desse 
vasto campo que é essa disciplina, vamos construir um raciocínio crítico a ser aplicado por 
aqueles que estão trabalhando na área de meio ambiente. 
Enquanto a ciência médica atua principalmente no organismo, a saúde publica é detentora de 
uma visão ecológica, procurando compreender as relações que se estabelecem entre populações, 
comunidades e ecossistemas. Os seres humanos ao interagir com outras espécies e com o ambiente 
recebem as influências que podem definir seu estado de saúde. A forma de interação do homem 
com o meio passa a ter uma relação muitas vezes direta entre saúde-doença.
Diante disso, destaca-se a importância da epidemiologia ambiental, cuja ênfase está na 
discussão dos fatores do meio, físicos, químicos, biológicos e psicossociais que atuam nas causas 
das doenças.
O objetivo é refletir sobre a causa de uma doença, na epidemiologia a questão é ampliada, 
pois a doença é multicausal e a questão da causalidade não é linear ou simplista. Se a ocorrência 
da doença é devido à influência de muitos fatores, então cabe à epidemiologia investigar 
para entender melhor a rede multicausal. Ela pode ser explicada como uma série de fatores 
determinantes que, atuando em determinado espaço e tempo leva a ocorrência do agravo. 
Com o intuito de prevenir as doenças, os estudos devem levar em consideração fatores 
genéticos e a suscetibilidade a exposição de fatores. Ao investigar a etiologia da doença, 
investiga-se o quanto uma doença se deve a fatores genéticos e o quanto a fatores ambientais 
e como essa interação aumenta o risco da doença.
7
Introdução
Nesta unidade, serão abordados os conceitos, fundamentos e métodos da epidemiologia 
e suas aplicações no âmbito da saúde coletiva. A epidemiologia é uma disciplina que fornece 
subsídios para a construção de conhecimentos em relação à saúde das comunidades orientando 
as ações em populações humanas e seu ambiente Em uma dinâmica ecológica, a existência 
de alguns seres vivos depende muitas vezes da existência de outros seres vivos. Na saúde, a 
história de cada doença também está atrelada à história de todas as doenças. O ciclo de doenças 
infectocontagiosas coloca em evidência a fragilidade do equilíbrio ambiental. A epidemiologia, 
disciplina que estrutura a saúde pública, ajuda a desvendar as relações ecológicas, reposicionando 
as implicações entre homem e a natureza. 
Em todo o planeta, a área da saúde apresenta fenômenos preocupantes. Além dos riscos 
potenciais, a saúde vem se agravando resultando em riscos cada vez maiores à integridade 
individual e coletiva, causando consequências desastrosas nas populações. Podemos citar o 
retorno de antigas infecções e o aparecimento de novas.
A maior parte desses problemas é consequência da ação do homem sobre o meio ambiente, 
dentre os quais, a exploração de ecossistemas, a migração de homens e mulheres por toda parte 
do planeta, desenvolvimento industrial, resistência a antibióticos etc. Todos esses aspectos fazem 
parte de um quadro complexo da saúde da população e sua relação com o meio ambiente.
É neste contexto que se faz necessário o estudo das intervenções do homem no ambiente e 
nas populações. Uma das formas de compreender o processo são as ações de saúde, aquelas 
voltadas à coletividade. A saúde coletiva é o caminho para entender a ação do ser humano sobre 
populações diversas, tanto humanas com as da natureza: animais, vegetais, vírus e bactérias. A 
saúde une homens e ambiente, natureza e sociedade.
Epidemiologia – conceitos
Existem muitos conceitos sobre epidemiologia girando em torno de uma mesma ideia. Nesta 
disciplina, trabalharemos a epidemiologia como um conjunto de conceitos, teorias e métodos 
que permitam estudar, conhecer e transformar o processo saúde – doença na dimensão coletiva 
(Franco, L. J. et al, 2011).
Outro conceito diz que a epidemiologia tem como objeto de estudos os fenômenos de saúde 
de populações e em populações (Castellanos, 1997 apud Lanni, 2005) e por conta disso tem 
Trocando Ideias
A epidemiologia é uma disciplina que surgiu para cumprir a tarefa de produzir conhecimentos 
científicos acerca da distribuição e determinação do processo saúde-doença em populações humanas 
e fornecer subsídios aos serviços de saúde para o controle de doenças. A epidemiologia fornece 
subsídios para a construção de conhecimentos em relação à saúde das comunidades orientando as 
ações em populações humanas e seu ambiente.
8
Unidade: Epidemiologia
sido definida como a ciência que estuda a distribuição das doenças e suas causas em populações 
humanas. A epidemiologia estuda também a ausência ou presença de enfermidades dos seres 
humanos como doenças infecciosas (malária, dengue etc.), não infecciosas (diabetes, obesidade 
etc.) e danos à integridade física (contaminações, homicídios, alcoolismo etc.). Portanto, a 
epidemiologia examina o corpo populacional, apontando as causas e orientando os meios de 
controle e profilaxia.
Desde os primórdios, muitos estudos já demonstraram as relações existentes entre problemas 
de saúde de populações e suas condições de vida, relativos basicamente às condições sanitárias, 
formas de alimentação e condições de trabalho. Na América Latina, por exemplo, podemos citar 
os trabalhos que demonstraram o papel dos mosquitos na transmissão da febre amarela. Esses 
estudos e muitos outros serviram para demonstrar que a relação entre saúde e as condições 
ambientais estão intimamente ligadas.
No século XIX, com as descobertas de Pasteur e o advento da bacteriologia, tornou-se 
possível provar que microorganismos eram responsáveis por doenças nos seres humanos. A 
partir daí, criam-se as bases para a busca incessante dos agentes que causam as doenças e seus 
mecanismos de transmissão.
A medicina cabe à tarefa de resolver os problemas que, direta ou indiretamente, atuam 
no processo saúde-doença do homem, embora, muitas vezes, tanto o problema como a 
solução estejam fora da área médica. Normalmente, esses problemas estão concentrados 
na relação homem-natureza.
Epidemiologia – usos
Com a compreensão do processo saúde-doença, a epidemiologia apresenta vários usos, 
dentre eles:
1 - Estudos históricos;
2 - Diagnóstico de saúde da comunidade;
3 - Identificação de síndromes;
4 - Pesquisa de causas;
5 - Investigação etiológica;
6 - Determinação de riscos;
7 - Determinação de prognósticos.
A epidemiologia tem como base para ser aplicada os seguintes elementos: determinantes, 
distribuição e frequência. A distribuição e a frequência descrevem o estado de saúde das 
populações, essa parte da epidemiologia é chamada de descritiva. Portanto, a epidemiologia 
descritiva investiga o fenômeno de saúde em evidência, realizando uma exploração para entender 
quais grupos o evento em saúde (agravo,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.