Pórticos
7 pág.

Pórticos


DisciplinaAnálise Estrutural I6.420 materiais55.802 seguidores
Pré-visualização1 página
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS 
Pórticos 
Teoria das estruturas \u2013 Prof. Valério Terra 
Gabriela Bayod Jolli 
 
07/03/2015 
 
 
 
 
 
Forma compostas por elementos lineares (normalmente vigas e colunas), 
conectados em suas extremidades de forma a não permitir rotações relativas. Pórticos 
são capazes de resistir esforços normais, cortantes e, principalmente, aos esforços de 
flexão. Nas edificações, normalmente são utilizados em um padrão com repetições, 
resultando em estruturas hiperestáticas. 
 
 
A ideia surgiu na Grécia antiga e influenciou diversas culturas, incluindo a 
maioria das ocidentais. Temos uma grande diversidade de tipos de pórticos, para 
pequena, média e grandes estruturas, pórticos em arco, duas águas treliçada, etc. 
 
\uf0b7 Tipos de pórticos: 
 
 
 
 
 
- Pórtico simples de alma cheia: tipo duas águas, 
estrutura simples e simétrica com cobertura inclinada 
que tem vão livre de 10m a 45m, e altura de 4m a 12m. O 
grau da inclinação da cobertura (caimento da água) fica 
entre 5% e 20% do tamanho do vão livre, e o 
espaçamento entre os pórticos de 6m a 12m. 
 
- Pórtico simples com vigas tipo treliçadas: A mesma 
estrutura do pórtico citado a cima, porém neste caso temos 
vigas treliçadas que garantem maior capacidade de forças 
aplicadas sobre a mesma. Como os perfis podem aumentar 
a altura em aproximadamente 50%, sem aumentar a massa 
linear, consegue-se vencer vãos maiores, de até 60m. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
\uf0b7 Pórticos rolantes: 
 
 
\uf0b7 Pórticos rolantes: 
Capazes de elevar e transladar cargas são constituídos por uma estrutura metálica 
auto-portante que se movimenta sobre caminhos de rolamentos disposto no piso. Sob a 
estrutura da viga move-se uma talha ou sobre vigas duplas move-se um carro-guincho, 
nessas condições, a carga do pórtico rolante é movimentada tridimensionalmente, 
limitada apenas pelo vão do equipamento e pelo caminho de rolamento. Podem ser de 
uma ou duas vigas e quanto à operação podem ser manuais ou motorizados. 
Os pórticos rolantes são geralmente utilizados em áreas abertas, podem ser 
implementados também dentro de galpões. Utilizados para o manuseio de cargas em 
- Pórtico com coluna central: Utilizado para 
grandes vãos (maiores que 30m), e sem a 
necessidade de vão livre direto, o pórtico 
necessita de uma escora central, pode reduzir as 
vigas, gerando uma estrutura mais econômica. 
- Pórtico atirantado com pendurais: Repetindo a 
mesma situação do pórtico a cima, mas com a 
colocação de tirantes e pendurais, consegue-se 
reduzir os deslocamentos horizontais e os 
momentos nas colunas. São indicados para 
inclinações maiores que 15%. 
- Pórtico em arco: Muito utilizado na questão 
arquitetônica para dar impressão de amplitude do 
galpão. As vigas são curvadas por calandragem a 
frio. Para vãos grandes serão necessárias ligações nas 
vigas, que devem ser cuidadosamente detalhadas. 
áreas onde não seja viável técnica ou economicamente a instalação de pontes rolantes 
ou guindastes. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
\uf0b7 Semi-pórticos: 
Os semi-pórticos são geralmente utilizados em áreas nas quais existe 
apoio para apenas um caminho de rolamento elevado, devendo a outra 
extremidade ser apoiada sobre um trilho no piso. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pilar-viga Pórtico 
Pilar-viga Pórtico 
\uf0b7 Comparação com pilar-viga: 
 
- Carga Vertical: 
 
 
 
 
 
 
- Carga horizontal: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Deflexão 
Momentos Fletores 
Deflexão 
Menores deflexões 
Momentos Fletores 
Melhor distribuição 
Menores deflexões 
Melhor distribuição 
Pórtico 1 Pórtico 2 Pórtico 3 Pórtico 4 
Pórtico Mom. Fletor Forma 
\uf0b7 Influência da Rigidez dos Elementos: elementos mais rígidos atraem mais 
esforços. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
\uf0b7 Escolha da forma: 
 
 
 
 
 
 
 
 
Deflexão 
Momentos Fletores 
\uf0b7 Análise de um pórtico rígido: 
- Isostático (PEF-2601) 
- Hiperestáticos simplificados (Schodek)