Conceitos Básicos em Farmacologia COMPLETO

Conceitos Básicos em Farmacologia COMPLETO


Disciplina<strong>clínica Médica de Pequenos</strong> Ruminantes7 materiais10 seguidores
Pré-visualização8 páginas
*
Conceitos Básicos em Farmacologia
*
Farmacologia
Farmacologia \u2013É a ciência que estuda o mecanismo de ação, o emprego (uso), os efeitos adversos e o destino dos medicamentos nos seres vivos
\u201c O estudo dos efeitos das substâncias químicas sobre a função dos sistemas biológicos\u201d 
Primórdios da civilização = Cura e proteção divina - Sacerdotes
Antigo Egito 
Hermes - Fundador da Alquimia \u2013 nos templos egípcios havia \u201claboratórios\u201d de preparações medicamentosas. Mumificação, conservação de cadáveres, conhecimento das essências, óleos etc.
Grécia - \u201cPreocupação com explicação racional da saúde e da doença nasce com a filosofia grega\u201d
*
Hipócrates 
460-355 a.C 
Médico, cirurgião, artista
Hipócrates separou a medicina da religião e da magia, bem como da filosofia especulativa
Doenças - fenômenos naturais resultantes da condição biológica do homem e de sua interação com o meio ambiente. 
 Bases da Medicina Moderna
Tratamento prescrito apenas quando necessário
 
*
Herófilo e Erasístrato
Foram os primeiros que realizaram dissecações humanas de modo sistemático. 
Erasístrato:
Ousado cirurgião: \u201c abria o abdômen para aplicar diretamente os medicamentos sobre os órgãos doentes\u201d. 
*
Galeno
Claudius Galenus - médico grego que viveu a maior parte de sua vida em Roma (200-130 d.C.)
Médico de Gladiadores
Calcula-se que tenha escrito cerca de 400 livros sobre vários assuntos, 70 dos quais sobre medicina.
Viagens Ásia Menor colecionou e descreveu muitos medicamentos e fórmulas, originou a farmácia Galênica.
Organizou e classificou racionalmente os fármacos
*
Phillipus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim Paracelsus
1493-1541
Pseudônimo Paracelso (superior a Celso medico romano) 
Considerado por muitos como um reformador do medicamento. Outros elogiam suas realizações em Química e como fundador da Bioquímica. 
\u201cdosis facit venenum\u201d 
toda substância é potencialmente tóxica 
a toxicidade de uma substância depende da dose administrada
*
Rudolf Virchow 
1821-1902 
Patologista alemão.
 Em 1858 publica \u201cCelular pathologie\u201d .
Tese: a célula é a unidade fundamental dos seres vivos e que cada célula provém de outra célula da mesma linhagem, seja ela normal ou patológica (Teoria Celular)
Escreveu um tratado sobre tumores, no qual descreveu, classificou e deu nome a diversos tipos de tumores. 
*
Prof. Marina A Oliveira
Farmacologia Atual
*
Farmacologia Atual
Prof. Cláudia Becker
*
Biotecnologia: Desenvolvimento de produtos por processos biológicos:
tecnologia do DNA recombinante, 
a cultura de tecidos, 
fabricação de proteínas terapêuticas
produção de animais transgênicos.
Farmacogenética: é o conjunto de respostas genéticas na utilização de fármacos.
Farmacogenômica: capacidade de usar informações genéticas para escolha de um fármaco.
Farmacologia Atual
*
Medicamento Alopático
Medicamento é toda substância química que tem ação profilática, terapêutica ou que atua como auxiliar de diagnóstico.
As vacinas têm ação profilática, isso é, atuam na prevenção de doenças e sintomas.
Os antibióticos e os antitérmicos têm ação terapêutica, isto é, atuam na cura ou alívio de enfermidades e sintomas
Os contrastes radiológicos atuam como auxiliares de diagnósticos
Existem ainda medicamentos que são utilizados para evitar complicações (antihipertensivos) ou para suplementação (insulina).
*
Medicamento Alopático
Medicamento Forma farmacêutica acabada, contendo o princípio ativo ou fármaco +coadjuvantes.
Fármaco / P.A. Substância principal da formulação do medicamento, responsável pelo efeito terapêutico. Composto químico obtido por extração, purificação, síntese ou semi-síntese. 
Apresentado em variadas formas farmacêuticas
*
Remédio: sentido mais amplo que medicamento. O remédio compreende tudo que é empregado para a cura de uma doença.Pouco empregado em linguagem cientifica.
Placebo: tudo que é feito com intenção benéfica para aliviar o sofrimento: medicamento/droga/remédio (em concentração pequena ou mesmo na ausência).
Conceitos Importantes
*
Formas Farmacêuticas
As formas farmacêuticas são as formas físicas de apresentação do medicamento.
Podem ser classificadas em:
sólidas, 
líquidas, 
semi-sólidas e 
gasosas. 
*
Formas Farmacêuticas 
Preparações líquidas 
solução
suspensão \u2013 partículas sólidas do fármaco insolúveis, dispersas em H2O
emulsão \u2013 dispersão de gotículas de solução de fármaco em outro fluido (óleo ou H2O)
gotas
comprimidos efervescentes
*
Formas Farmacêuticas
Xaropes
Fármacos dissolvidos numa solução concentrada de açúcar
Dissimular o sabor desagradável
Suspensões
Misturas de partículas sólidas em meio líquido. As partículas precipitam quando a solução fica em repouso
Agitar antes da administração \u2013 distribuição uniforme das partículas
Aerosóis
Fármacos sólidos ou líquidos em suspensão pulverizada - Aplicações transdérmicas
*
*
Preparações sólidas para administração oral
comprimidos
comprimidos revestidos
proteger fármacos perecíveis contra a decomposição
mascarar gosto ou odor desagradável
facilitar a deglutição
permitir codificação pela cor
cápsulas \u2013 e.g. de gelatina, contendo o fármaco em pó ou na forma granulada 
*
Formas Farmacêuticas
Comprimidos
Formas sólidas de um pó medicamentoso, preparado por compressão.
Comprimidos com ranhura \u2013 permitem uma divisão equilibrada da dose
Comprimido com revestimento entérico \u2013 resiste à dissolução no pH ácido do estômago, mas dissolve-se no pH alcalino do intestino. Utilizados para fármacos que são destruídos ou inativados pelo pH ácido. 
Não devem mastigados ou triturados.
Comprimidos de ação prolongada (retard) ou de libertação controlada \u2013 Preparados para serem absorvidos de forma gradual
*
Formas Farmacêuticas
Cápsulas
Preparados nos quais uma ou mais substâncias são colocadas dentro de um invólucro gelatinoso, que se dissolve no tubo gastrointestinal e liberta o medicamento para ser absorvido. 
Forma adequada para administração de fármacos com sabor desagradável. 
Devem ser deglutidas inteiras.
*
*
Formas de dosagem que controlam a taxa de dissolução da droga
*
Preparações para administração parenteral
*
Preparação para inalação
aerosol \u2013 dispersão de liquido ou partículas sólidas em um gás, e.g., ar
*
Preparação para administração retal ou vaginal
supositórios
comprimidos vaginais
*
Preparações farmacêuticas semi-sólidas para aplicação cutânea:
géis, 
loções, 
ungüentos, 
pastas, 
cremes e 
pomadas.
*
*
Sistema de liberação transdérmica
fármacos capazes de penetrar a pele
fármacos efetivos em baixas doses
fármacos com alta margem terapêutica
*
Vias de Administração de Fármacos
*
*
Oral ou Enteral
mais utilizada
efeito local ou sistêmico
vantagens
auto-administração
segurança
economia
facilidade de aplicação
confortável e indolor
*
Oral ou Enteral
desvantagens
absorção variável (ineficiente)
período de latência médio a longo
ação dos sucos digestivos 
Interação com alimentos
pacientes não colaboradores (inconscientes)
sabor
Fenômeno de primeira passagem
pH do trato gastrintestinal
*
velocidade de absorção do fármaco após administração oral:
forma farmacêutica
lipofilicidade
pH do meio e pKa do fármaco 
fluxo sanguíneo 
velocidade do transito gastrintestinal
*
 VIA BUCAL/SUB-LINGUAL
Propicia absorção rápida de pequenas doses de alguns fármacos, devido ao suprimento sanguíneo e a pouca espessura da mucosa absortiva. 
Fácil acesso e aplicação 
Circulação sistêmica 
Latência curta = Emergência
Formas farmacêuticas: comprimidos, pastilhas, soluções, aerossois, etc...
Desvantagens
Pacientes inconscientes
Irritação da mucosa
Dificuldade em pediatria
*
*
VIA RETAL
Circulação sistêmica
Pacientes não colaboradores