Amamentação
2 pág.

Amamentação


Disciplina<strong>analisadores</strong>8 materiais2 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Amamentação
Prof . Clé a 08/08/17
Mui tas mães não re cebem orie ntação para a amame n tação, f az apen as p or insti ntos. A
amame ntação é um ato natural e consti tui a melh or f orma de ali me n tar, prote ge r e amar o
be be . O lei te materno contem to das as prote ín as, go rduras, açúcar, vi taminas, água p ara que o
be be se de se nvo lv a de forma saud áve l, alé m di sso p rote ge de doe nças e i nf e õe s. Cada e
produz o le i te ne ce ssári o para o se u fil ho . Colostro ( 1 a 7 di as) é o pri me i ro lei te qu e sai, é ri co
e m prote ínas, ami no ácid os, f atore s de cres cime nto, agentes imunol ó gi cos ( I GA se cretóri a) e é
pobre em gordura e l actose . Depois ve m o le i te de tran si ção (7 a 15) que v ai tomand o as
caracterís ti cas do maduro (após 15 di as) , q ue é ri co e m gordura e lactose . A composi ção não
vari a de acordo com raça, cor ou ti po de ali me n tação d a e, aumenta ce rca d e 100 ml no
i ni ci o da l actação para aprox imad ame nte 600 ml no quarto di a e ce rca de 850 ml por v ol ta do
6 s. O l eite sof re al te raçõe s no de corre r dos di as l ogo após o nascimento e durante a
mamada: col os tro, le ite ante rior mai s di luído, meno r te or de gordura ( prol actin a), l eite
poste ri or mai or consi stê n cia e mai or te o r de gord u ra ( com ação d a o ci toci na) . Comp osi ção
nutri ci onal do le ite : 87% é água, tem p rote ín as ( 80% de l actoal b umin a e 20% de caseína
al f al acto albumi na; gorduras: as concentrações de gordura pas sam d e arox 2g/100ml 15 di as
após o parto; l actose: princi pal carboi d rato do l ei te humano e é p que apresenta a mai or
conce ntração em di a 4% no col ostro e ate 7 n o lei te m adu ro; vi tami nas : as p ri nci pai s
vi tami nas no l ei te humano o a b1, b 2, b6, c, e , k , ni acin a e ácid o f ól i co; ol igoe le me n tos:
f e rro, cobre e zi nco. A s i munogl obu li nas( ?) pre se nte s n o le i te são IGA se cre tora, que f az
i mpe rme abi li zação anti ssépti ca das mu cosas, pri nci palmente d i ge stiva; l actof e rri na, q ue te m
ão b acte riostáti ca ( re ti rada do fe rro) ; lisozima, ão anti bacte ri ci da; macróf agos, que faze m
f agoci tose das bactéri as.
O al ei tame nto mate rno favo re ce vantage n s tan to para a mãe q uan to para o be bê . P ara
o be be , prev ine oti te s, ale rgi as, mi to s, di ari a, p ne umon i a, bro nqui oli tes , meningite s,
mel hora o d e se nvol vi me nto me n tal do b eb e, é mai s f aci lmente di fe ri d o, promove o
e stabel e ci me n to de u ma ligação e moci onal e ntre ae e a criança. As vantage ns para a mãe é
que el a se se n te mai s s e gu ra e me no s ansi osa, amame ntar faz qu ei mar cal o rias, ajuda o ú te ro
a re gressar ao se u tamanho normal, a amame ntação é fator prote tor para cânce r de mama e
osteoporos e. Re come ndações da O MS : as cri anças de ve m f aze r alei tame nto mate rno ex clusivo
até os 6 me se s de i dade . Mao ofe re ce r nenhum outro al imento o u bebida. A parti r d e 6 me se s
todas as cri anças devem re ceb e r ali me ntação comple me n tar ( só li do) e mante r o al ei tame nto
materno. A s cri anças devem con ti nuar a se r amamentadas pe lo me nos ate comp le tar o s 2
anos de i dade .
An atomi a das mamas: as mamas s ão consti tuídas por p arênq ui ma de te ci do gl an dul ar,
conj u ntivo, adi poso, vas os e ne rvos, s usce tíve is a e stímul os princi pal me nte no mamilo e
aré ol a. A ol a P os si gl ândul as se báce as , su do paras e are ol ares aces sóri as. O mami lo é
consti tuído de nume rosas gl ândul as sebáce as e no s e u cé rvi ce possui 15 a 20 ori f ício s
corre sponde nte s ao s ductos l actífe ros.
Durante a ges tação, e strogêni o, proge ste rona, prol acti na e l actóge n o pl acen tári o
e stão aume ntados, ge rando de se nvolvi me nto al vé ol o-l obul ar da mama. Com a e xpul s ão da
pl acenta, reduz proge ste ron a, f aze ndo o aume nto da produção do lei te. Impul sos afe rente s
são mand ad os pra hi pófise ante rio r e po ste rio r. O proce sso da p rol acti na é s omáti c o, e ntão
toda mul he r po de produ zi r le i te , mas o proce s so da oci toci na, alé m de se r somáti co, é
psíqui co.
Técni cas de amamentação: a manei ra como a mãe e o be be s e posi ci on am para a pe ga
e sucção é mui to i mportante para o suce sso da amame ntação e p ara não h ave r
comprome timento dos mamilo s. O rosto do be be de ve e s tar d e f re nte p ara a mama, com o
nariz n a al tura dos mamil os, corpo do be be p x imo ao da mãe, be be com cabe ça e tronco
al in hados , be be be m apoi ado. O polegar da mãe dev e ficar sobre a mama e o s outr os sob el a.
Não é a mãe que l ev a o b i co n a boca da cri ança, é a cri ança que bu sca o bi co . Obse rvar a
boche cha do be be e n che ndo p or caus a do l ei te , p ra s ab e r se h á se cre ção me s mo. Duran te a
orde nh a, de ve -s e posi ci o nar os de dos com o pol egar pra ci ma, de sp re zar os primei ros j atos.
Re come nda- se que a cri ança se j a amame ntad a se m re s tri çõ es de horári o e de te mp o
de pe rmanênci a na mama. Um bebe em al ei tame n to mate rno excl usi v o mama de 8 a 12 ve ze s
por di a. O mai s i mportante é qu e a mãe de te mp o sufi cie nte a cri ança para e l a esvazi ar
ade qu adame nte a mama. O b eb e deve re ce be r o l ei te do f inal da mamada que é o mai s
i mpo rtante, poi s é mais ri co e m go rdura. De ve have r p arti ci pação da f amíli a, como pai s e avos,
participar me casa e nvol ve n do os outros f ilhos, aj ud ar no cuidado com a casa e os fil hos,
e ncoraj ar e i n ce n ti v ar a mãe, não traze r p ra casa produtos que pre judi cam a amame n tação,
como latas de lei te, mamade i ra e chu pe ta.
Conse rvação do lei te : u sar re ci pi ente de vi dro p refe ren cial me nte , o le i te humano pode
se r e stocado por ate 15 d i as e s e for mantido em uma tempe ratura d e - 3 graus. O l ei te
humano orde n hado e re f ri ge rado pode se r guardado por ate 12h se guardad o a 5 graus. Se
de s congel ar, o resto que não f or usado deve se r desprezado. Ele de ve se r de sconge l ad o e m
banho Mari a, aq ue cen do mas se m f e rve r.