A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
TRABALHO ZARA

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
LOGISTICA EMPRESARIAL
Fichamento de Estudo de Caso
Raphael Pinheiro de Matos
 Trabalho da Disciplina: Sistema int. de gestão para tomada de decisão
 Tutor: Prof. Eduardo de Moura 
FORTALEZA CE
					 2019
FICHAMENTO
TÍTULO: Sistema int. de gestão para tomada de decisão
CASO: Zara: Moda Rápida 
REFERÊNCIA: Andrew Mcafee, Vicente Dessain, Anders Sjoman. Resumo da história da empresa Zara e a forma inovadora de trabalhar.
																																																																																																													
No texto que iremos relatar em nosso estudo de caso vem a se tratar de uma empresa Espanhola chamada ZARA, mesmo texto se inicia com uma conversa informal entre Xan Sa lgado e Bruno Sanchez, no ano de 2003, no qual um era responsável pela diretoria de Inditex na área da T.I e o outro responsável pelo sistemas de PDV e os dois sujeitos estavam debatendo a sobre a mudança nos sistemas do PDV.
Zara uma empresa multinacional varejista na área de roupas no segmento feminino que era o departamento que mais tinha saída com 60%, masculino e infantil que era a diferença, sendo assim foi fundada na época pelo homem mais rico da Espanha e também o maior acionista da empresa Amâncio Ortega que tinha uma preocupação na visão atual do mercado em relação a previsão dos consumidores nos vestuários, porque a mudança era repentina e assim todas as áreas tinham que que se adaptar a demanda.
De acordo com o texto, o modelo de negócios da Zara é o seguinte: “Vincular a demanda do consumidor à fabricação e vincular à fabricação à distribuição.”
No ano de 1985 entra para a empresa o experiente Jose Maria Castellano Rios que após veio a ser Executivo-chefe da Inditex e ambos compartilhavam a mesma linha de raciocínio de que a computação não poderia ser dispensada no tipo de negócio que ambos iriam construir.
Ortega e Castellano tinha como visão dois pontos importantes, primeiro era necessário que a empresa estivesse apta levando em consideração as escolhas dos jovens e em constante mudança dos mesmo em relação ao vestuário, segundo ponto era a demonstração de confiança aos seus funcionários não sendo obrigado a centralização da tomada de decisão, no caso os Gerentes dos PDV`s tinha um pouco a mais de responsabilidade porque além de lidar com clientes, fornecedores, serviços diretos e indiretos, também eram responsáveis pelos pedidos e assim julgaria o que tinha de vir a sua loja ou não.
Pelo mesmo lado que não investia muito em propaganda gastando em torno de 0,03% ao ano muito diferente de seus concorrentes, o seu foco era gastar pesadamente nas próprias lojas sempre procurando a melhor localização para compra ou aluguel imobiliário, sendo assim em cada País tinha suas lojas nas melhores ruas da cidade. Com a economia que fazia no merchandising também tinha o investimento pesado nos layout das lojas, uma loja Zara na Espanha era planejada como piloto onde era colocada em ação os projetos da nova aparência, trazendo um ambiente mais atualizado e adequando a cada país.
Além dos Gerentes de loja ainda tinha grupos denominados “os comerciais” os mesmo tinham uma grande responsabilidade que era descentralizada pelos gerentes seniores que era de decidir que roupas seriam desenhadas e produzidas, alguns tinham a missão de viajar aos países que tinha as lojas Zara observando que tipo de moda predominava na região e fazendo reuniões com os gerentes loja buscando saber que tipo de roupa estava a maior procura. O que era decidido pelo os comerciais nuca era visto pelo os seus superiores.
Diferente de seus concorrentes em mais um ponto a Zara não fazia vendas pela internet, segundo ela por duas razões. Primeiro era os centros de distribuições que não estavam preparados para coletas pequenos pedido e fazer então despacho aos clientes, já o segundo ponto era resolver o problema da demanda das devoluções feitas pelo on-line.
Entre 1996 e 2000 a Indetex do grupo Zara a presentou um crescimento rápido e lucrativo que triplicou e seus executivos tinham a visão que ainda tinha muito mercado vigente e para atende exatidão os consumidores a mesma estabeleceu um processo em três partes que era pedido, atendimento de pedido, e fabricação.
Com o crescimento em expansão a Indetex a mesma usa a tecnologia para seu proveito demonstrando assim a necessidade da TI para o gasto desnecessário e a tomada de decisão.
Salgado como Sanches tinha a desconfiança se caso ficassem muito atualizados com relação a TI poderiam ter grandes problemas nos processos da empresa, certamente nenhum dos dois estavam errados, mas realmente não havia necessidade de investir tanto na TI, mas saber administrar o que tem com baixo custo. Zara se fez necessário criar seus próprios sistemas, se deu inicio a usar PDAs que cada loja tinha, sendo assim a facilidade no momento de saber as informações, gerar pedidos na fabrica com os handhelds.
Zara conseguiu chegar a um ponto que toda empresa sonha em chegar tendo lucratividade através das informações obtidas pelos seus colaboradores através da tecnologia da informação, logo após a mudança para uma rede sem fio não seria necessária discos e a atualização de todos números da loja seriam rápidos vivendo assim uma nova era na empresa.
LOCAL: HAVARD
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: 
MCAFEE Andrew, DESSAIN Vicente, SIOMAN Anders. Zara: TI Moda Rápida. Havard 610-P01. 2007.