A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
192 pág.
1. Introdução aos conceitos básicos de concreto.ppt [Modo de Compatibilidade]

Pré-visualização | Página 2 de 6

às formas (é 
lançado em estado semi-fluido, abrindo 
muitas possibilidades para a concepção 
arquitetônica);
 Economia nos custos de manutenção
(na maioria dos casos não necessita de 
proteção especial);
 Boa resistência a choques e vibrações;
45
CONCRETO ARMADO
Vantagens
 Facilidade e rapidez na construção (uso 
de peças pré-moldadas);
 Durabilidade elevada ( manutenção 
preventiva simples e debaixo custo);
 A Resistência a compressão do 
concreto aumenta com a idade.
46
CONCRETO ARMADO
Desvantagens
 Peso-próprio elevado (peso específico = 25 
kN/m3);
 Fissuração inerente à baixa resistência à 
tração do concreto;
 Dificuldade em adaptações posteriores;
 Mau isolante térmico e acústico;
 Consumo elevado de formas convencionais 
e execução lenta, devido aos prazos de retirada 
das mesmas (concreto moldado no local). 47
48
CONCRETO ARMADO
PERSPECTIVAS FUTURAS
Em mais de 100 anos, o concreto
superou todos os limites e fronteiras do 
conhecimento em engenharia de projeto e 
construção.
É mais novo material de construção 
estrutural que ainda se encontra em franca 
evolução, não sendo possível prever seu 
futuro e nem definir seus limites.
CAD 49
50
Criado em 2001, na Hungria, o concreto 
translúcido começa a ser testado no Brasil. Dois 
centros de pesquisa já conseguiram desenvolver 
o material no país. 
Cingapura cria concreto mais flexível e 
confronta asfalto.
O ConFlexPave é mais flexível que o concreto 
convencional, porém conservando as 
principais características do material: 
resistência e durabilidade.
51
O concreto permeável alcança durabilidade 
comparável com o concreto convencional e 
seus vazios filtram as águas pluviais.
52
PERSPECTIVAS FUTURAS
Já existem no mundo aproximadamente 
500 edificações construídas, ou em 
construção, que usam concreto de última 
geração.
Sua característica é atingir vida útil de até 
250 anos e suportar pressões iguais ou 
superiores a 155 MPa. 
Esse tipo de concreto possui 
características autoadensáveis.
53
54
COMPONENTES DO CONCRETO
COMPONENTES DO CONCRETO
O concreto de cimento Portland deve conter 
cimento, água e agregados, além da 
possibilidade de contar com aditivos, 
pigmentos, fibras, agregados especiais e 
adições minerais.
A proporção (traço) entre os diversos 
constituintes é buscada pela tecnologia do 
concreto, para atender os requisitos tanto 
no estado fresco quanto no endurecido.
55
COMPONENTES DO CONCRETO
Composição do concreto:
Meio aglomerante: cimento hidráulico + 
água;
Agregados: material granular como areia, 
pedregulho, pedra britada ou escória de alto 
forno.
Para concretos especiais pode-se adicionar 
aditivos, corantes ou fibras para alterar 
suas características. 56
COMPONENTES DO CONCRETO
PASTA : Cimento + Água
57
COMPONENTES DO CONCRETO
ARGAMASSA : Cimento + Água + Areia 
58
COMPONENTES DO CONCRETO
Concreto
Cimento + Água + Areia + Pedra britada
59
60
AGREGADOS
AGREGADOS
Os agregados são considerados materiais 
inertes e constituem 60 a 80% do 
concreto. (+ baratos).
Os agregados devem atender a três 
condições:
1) apresentarem resistência a compressão 
e ao desgaste;
61
AGREGADOS
2) serem estáveis nas condições de 
exposição do concreto, não contendo 
materiais com efeitos prejudiciais (ex: 
argila, silte, sais, matéria orgânica, etc.);
3) Serem graduados, de modo a reduzir o 
volume da pasta, que deve encher os 
espaços entre os agregados.
62
AGREGADOS
Granulometria é a distribuição, com sua 
quantificação em peso, por tamanhos das 
partículas de uma amostra que compõe um 
agregado (NBR NM 248-2003).
Para se obter um concreto com qualidade 
as granulometrias dos agregados devem ser 
conhecidas e controladas para se obter 
um proporcionamento correto.
63
AGREGADOS
Módulo de Finura
É determinado pela soma das 
porcentagens retidas acumuladas em 
massa de um agregado, nas peneiras de 
série normal, dividida por 100.
O módulo de finura de um agregado é 
maior quanto maior forem as partículas 
deste.
64
AGREGADOS
Os agregados podem ser divididos em:
graúdos: todo o agregado que fica retido 
na peneira de número 4 (malha quadrada 
com 4,8 mm de lado);
miúdos: o que consegue passar por esta 
peneira.
65
66
AGREGADOS MIÚDOS
As areias são divididas em: 
grossas, médias, finas e muito finas, 
conforme o valor de seu módulo de finura
(soma das porcentagens retidas 
acumuladas nas peneiras da série normal).
 areia grossa: módulo entre 3,35 e 4,05
 areia média: módulo entre 2,40 e 3,35
 areia fina: módulo entre 1,97 e 2,40
 areia muito fina: módulo menor que 1,97
67
68
69
AGREGADO GRAÚDO
As britas são classificadas conforme os 
tamanhos das partículas componentes 
(diâmetros mínimos e máximos):
Brita 0: 4,8 a 9,5mm
Brita 1: 9,5 a 19mm
Brita 2: 19 a 25mm
Brita 3: 25 a 50mm
Brita 4: 50 a 76mm
Brita 5: 76 a 100mm 
70
AGREGADO GRAÚDO
71
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 
MÍNIMAS DO AGREGADO
Resistência à compressão
Resistência à abrasão 
módulo de elasticidade
são propriedades interligadas que 
impactam na qualidade do concreto e 
são muito influenciadas pela porosidade
do agregado, dependendo do tipo de rocha.
72
73
 RESISTÊNCIA À ABRASÃO DE 
UM AGREGADO 
BRAINSTORMING
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO 
AGREGADO
Resistência à compressão
É um dos dados utilizados no cálculo estrutural. 
Unidade de medida é o MPa (Mega Pascal), sendo:
Pascal: Pressão exercida por uma força de 1 
newton, uniformemente distribuída sobre uma 
superfície plana de 1 metro quadrado de área, 
perpendicular à direção da força.
Mega Pascal (MPa) = 1 milhão de Pascal = 10,1972 
Kgf/cm².
exemplo: Fck = 30 MPa significa uma resistência à 
compressão de 305,916 Kgf/cm². 74
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO 
AGREGADO
Resistência à abrasão
Também chamada de resistência ao 
desgaste, propriedade do concreto que 
depende do agregado.
A resistência à abrasão mede a capacidade 
que tem o agregado de não se alterar 
quando manuseado (carregamento, 
basculamento, estocagem). 
75
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO 
AGREGADO
Módulo de elasticidade
É um parâmetro mecânico que proporciona 
uma medida da rigidez de um material 
sólido.
Pode ser obtida da razão entre a tensão
exercida e a deformação sofrida pelo 
material.
Quanto maior esse módulo, mais rígido 
é o material. 76
77
ADITVOS
ADITIVOS
São materiais adicionados aos ingredientes 
normais do concreto, durante a sua 
mistura, para obtenção de propriedades 
desejáveis tais como:
aumento da plasticidade;
controle do tempo de pega;
controle do aumento da resistência, etc.
78
PRINCIPAIS TIPOS DE ADITIVOS 
a) Plastificantes
Deixar o concreto mais plástico (mole) 
sem adição de mais água na mistura.
Ou reduzir a quantidade de água do 
concreto, mantendo-se a mesma 
trabalhabilidade (concretos mais 
resistente sem a colocação de mais 
cimento).
79
PRINCIPAIS TIPOS DE ADITIVOS 
c) Superplastificantes
O mecanismo físico-químico é um pouco 
diferente dos plastificantes. 
A eficiência na redução da água de 
mistura necessária para trabalhabilidade 
é muito maior, porém o seu efeito dura 
bem menos tempo que o dos 
plastificantes.
80
USO DE SUPERPLASTIFICANTE
81
PRINCIPAIS TIPOS DE ADITIVOS 
b) Incorporadores de ar: 
Produzem minúsculas bolhas de água 
na mistura e tem efeito plastificante da 
mistura fresca. 
Muito utilizados em países de clima frio 
para formação de espaços vazios para 
que os cristais de