2015 Apostila de Estetica e Historia da Arte
14 pág.

2015 Apostila de Estetica e Historia da Arte


DisciplinaEstética e História da Arte I647 materiais27.343 seguidores
Pré-visualização14 páginas
ritmo irregular. Música Polifônica: Já era prática na época como a música enchiriades, descrita em tratado musical, que introduz o canto paralelo.
	A Escultura estava ligada à arquitetura, como no Românico. Figuras esculpidas de forma isoladas, ao contrário do Românico, que eram aglomeradas e entrelaçadas.

	

	A Pintura:1) Profundidade: Diferentemente da pintura românica, onde as cenas aconteciam num único plano, a pintura gótica procura dar alguns movimentos às figuras através da postura dos corpos e das paisagens de fundo.2) Realismo: As figuras são representadas de forma mais detalhada e realista. O artista tenta reproduzir os seres exatamente como eles são. Figuras mais realistas que retratavam os valores mais importantes daquela época. Elas eram mais eretas e acompanhavam a verticalidade da arquitetura gótica. Contudo o tema principal continuou sendo o religioso.

	

Principais pintores do gótico:
	Giotto di Bondone mais conhecido simplesmente por Giotto, (Colle Vespignano, 1266 - Florença, 1337) foi um pintor e arquiteto italiano. Ele identifica a figura dos santos como seres humanos de aparência comum. Assim, a pintura de Giotto vem ao encontro de uma visão humanista do mundo, que vai cada vez mais se firmando até ao Renascimento.

	Jan Van Eyck foi um pintor igualmente caracterizado pelo naturalismo, imperando na sua obra meticulosos pormenores e vivas cores, além de uma extrema precisão nas texturas e na busca por novos sistemas de representação da tridimensionalidade, ou seja, a perspectiva.

A Arte Renascentista
INTRODUÇÃO

	O renascimento começou na Itália e foi lá que ele alcançou maior esplendor. Nos séculos XIV e XV o comércio marítimo com os árabes tinha enriquecido muitas cidades italianas. Nelas surgiram os mecenas, burgueses ricos que gostavam de apoiar os sábios e os artistas. Mecenas \u2013 Patrocinadores da arte, ciência e cultura, sendo os governantes, os representantes da Igreja, os nobres e burgueses.
Nos séculos XV e XVI a cultura renascentista saiu da Itália e se espalhou por outros países europeus.Na Espanha destacou-se a célebre obra \u2018\u2019Dom Quixote\u2019\u2019, de Miguel de Cervantes.Na Inglaterra viveu o mais extraordinário dos poetas e autores de todos os tempos, William Shakespeare. Já se disse que, se toda civilização fosse destruída, bastariam as peças de Shakespeare para dar a conhecer o que foi o ser humano. Uma de suas obras mais conhecida é \u2018\u2019Romeu e Julieta\u2019\u2019.

CARACTERISTICAS GERAIS
Classicismo \u2013 os artistas inspiram-se nos modelos clássicos (Grécia e Roma), mas fazem-no de forma inovadora. Elementos clássicos: Arco de volta perfeita, frontão, colunas\u2026; elementos inovadores: Cornijas, balaústres.
Racionalismo \u2013 a arte procura o equilíbrio, a harmonia, a proporção e a simetria.
Horizontalidade \u2013 predomínio das linhas horizontais.
Temas da arte renascentista \u2013 religião, mitologia, vida quotidiana, a natureza\u2026
Inovações e características da pintura renascentista:
Pintura a óleo;
Perspectiva ou ilusão de profundidade;
Sfumato, utilização de efeitos especiais através do jogo do claro/escuro.
Equilíbrio da composição (composição em pirâmide);
Naturalismo (representação fiel; presença da Natureza);
Preferência pelo retrato;
Utilização de elementos arquitectónicos em fundo.
 ESCULTURA
Principais características:
Buscavam apresentar o homem tal como ele é na realidade;
Proporção da figura mantendo a sua relação com a realidade;
Profundidade e perspectiva;
Estudo do corpo e do caráter humano.

DAVI-Miguel Ângelo

PIETÁ- Básilica São Pedro- Vaticano

Inovações e Características\u2026
Perspectiva ou ilusão de profundidade
A arte renascentista: a Pintura
\u201cFra Angélico\u201d, Museu do Prado; Madrid

Equilíbrio da composição (composição em pirâmide)

A arte renascentista: a Pintura
A virgem e o menino com Sant\u2019Ana, Leonardo Da Vinci
\u201cA virgem com o menino e o pequeno São João Batista\u201d, mais conhecido como \u201cA bela jardineira\u201d de Rafael

Inovações e Características\u2026
Naturalismo
\u201cA virgem do cravo\u201d, atribuída a Da Vinci
\u201c A virgem das rochas\u201d (versão Londres), Leonardo e Ambrogio de Predis

Inovações e Características\u2026
Preferência pelo retrato
A arte renascentista: a Pintura
Mona Lisa, Da Vinci
\u201cDama com arminho\u201d, Da Vinci

Utilização de elementos arquitetonicos em fundo.
Nossa Senhora do Chaceler Rolim, Jan Van Eyck, Museu do Louvre
\u201cA virgem do cravo\u201d, atribuída a Da Vinci

Pintura Renascentista

A Criação do Homem (1511), Michelangelo.

A Escola de Atenas (1509-1511), Rafael Sanzio.

A Última Ceia (1495-1497), Leonardo da Vinci.

O MANEIRISMO
INTRODUÇÃO
	 Paralelamente ao renascimento clássico, desenvolve-se em Roma, do ano de 1520 até por volta de 1610, um movimento artístico afastado conscientemente do modelo da antiguidade clássica: o maneirismo (maniera, em italiano, significa maneira). Uma evidente tendência para a estilização exagerada e um capricho nos detalhes começa a ser sua marca, extrapolando assim as rígidas linhas dos cânones clássicos.
 	Alguns historiadores o consideram uma transição entre o renascimento e o barroco, enquanto outros preferem vê-lo como um estilo, propriamente dito. O certo, porém, é que o maneirismo é uma conseqüência de um renascimento clássico que entra em decadência. Os artistas se vêem obrigados a partir em busca de elementos que lhes permitam renovar e desenvolver todas as habilidades e técnicas adquiridas durante o renascimento. Uma de suas fontes principais de inspiração é o espírito religioso reinante na Europa nesse momento. Não só a Igreja, mas toda a Europa estava dividida após a Reforma de Lutero. Carlos V, depois de derrotar as tropas do sumo pontífice, saqueia e destrói Roma. Reinam a desolação e a incerteza. Os grandes impérios começam a se formar, e o Iníciom já não é a principal e única medida do universo.
	 Pintores, arquitetos e escultores são impelidos a deixar Roma com destino a outras cidades. Valendo-se dos mesmos elementos do renascimento, mas agora com um espírito totalmente diferente, criam uma arte de labirintos, espirais e proporções estranhas, que são, sem dúvida, a marca inconfundível do estilo maneirista. Mais adiante, essa arte acabaria cultivada em todas as grandes cidades européias.Maneirismo é o nome empregado para designar as manifestações artísticas desde 1520, momento quando se inicia a crise do renascimento, até o início do século XVII. Todo esse período foi marcado por uma série de mudanças na Europa, que envolveram os movimentos religiosos reformistas e a consolidação do absolutismo em diversos países.
	 As guerras que envolveram a Itália e posteriormente a força da Inquisição irão determinar um grande êxodo de artistas e intelectuais em direção à outros países; "Os grandes impérios começam a se formar, e o homem já não é a principal e única medida do universo".
 CARACTERÍSTICAS
	 Nesse sentido se perceberá que o maneirismo tem características variadas, difícil de reuni-las e um único conceito. O termo Maneirismo foi utilizado por Giorgio Vasari para se referir a "maneira" de cada artista trabalhar. Uma evidente tendência para a estilização exagerada e um capricho nos detalhes começam a ser sua marca, extrapolando assim as rígidas linhas dos cânones clássicos.
	 Muitos críticos consideram que o maneirismo representa a oposição ao classicismo e ao mesmo tempo, manteve-se como tendência artística até o desenvolvimento do Barroco, que marcaria a nova visão artística da Igreja Católica, após o movimento de contra reforma Alguns historiadores o consideram uma transição entre o renascimento e o barroco, enquanto outros preferem vê-lo como um estilo propriamente dito. Os artistas passam a criar uma arte caracterizada pela deformação das figuras e pela criação de figuras abstratas, onde não havia relação direta