Aula 10 comunicação nas empresas
7 pág.

Aula 10 comunicação nas empresas


DisciplinaComunicação Empresarial I7.983 materiais58.385 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Aula 10 
Plano básico de comunicação
Planejar é conveniente em qualquer momento, mas torna-se especialmente importante nos dias de hoje em função de todos os avanços sociais e tecnológicos que mudam a nossa rotina constantemente.
Nos tempos de crise que vivenciamos, quando os riscos são maiores, os recursos mais difíceis, maiores as incertezas e o mercado apresenta um comportamento que se modifica com regularidade, ter um plano nos ajuda a evitar uma situação caótica. 
Agora que já vimos algumas variáveis importantes ao universo da comunicação, nesta última aula vamos entender como planejar nossa comunicação e como construir um plano capaz de transmitir estas intenções com eficiência.
Você sabe a diferença entre Plano, Planejamento e Planejamento de Comunicação?
Plano - Documento que contém o processo planejado. Traz o conjunto de medidas projetadas para realizar alguma coisa ou alcançar um objetivo.
Planejamento de Comunicação - Processo administrativo e sistemático, compreendido como um derivado do planejamento de marketing. Tem a finalidade de coordenar os objetivos, estratégias e as diversas fases de uma comunicação, com os objetivos estipulados pelo marketing, para atingir o máximo de retorno sobre o investimento realizado.
Planejamento - Processo administrativo e sistemático para se atingir um determinado objetivo, coordenando ações para se obter o máximo de resultados com o mínimo de dispêndio de recursos humanos e financeiros. Envolve a definição das etapas, métodos e meios necessários para a realização de um trabalho, evento etc.
O plano de marketing analisará mais especificamente os aspectos das variáveis externas à empresa, realizará o diagnóstico e poderá prever possíveis cenários (como resultado dessa análise), além de estudos sobre as condições que a empresa precisa ter para melhorar o seu desempenho, influenciando assim todas as suas áreas e abordando mais detalhadamente questões sobre o produto a que se refere, incluindo sua parte financeira sobre faturamento e resultados, no planejamento de comunicação todo esse estudo já existe.
E é com base nele e a partir dele que será elaborada a estratégia de comunicação que estudamos na aula passada. 
Portanto, o planejamento de comunicação parte do princípio de que já exista um plano de marketing.
Características de um bom planejamento O planejamento é um sistema de trabalho que trata da previsibilidade e está sujeito às variáveis incontroláveis externas, devendo, portanto, estar preparado para admitir correções ao curso de sua aplicação, dando continuidade ao planejado anteriormente.
Para ter sucesso ele deve reunir as seguintes características:
\u2022 Manter o equilíbrio entre o proposto e a realidade de mercado;
\u2022 Servir como padrão de referência para as ações propostas;
\u2022 Possuir a flexibilidade necessária para se adaptar às possíveis mudanças de mercado;
\u2022 Manter a consistência das ações e a sua continuidade;
\u2022 Ser um instrumento de trabalho do dia a dia dos executivos.
veja abaixo todos esses passos que servirão para orientar todo processo comunicacional de uma instituição:
1 - Análise e contextualização do problema;
2 - Objetivos da comunicação;
3 - Público-alvo;
4 - Estratégia de comunicação;
5 - Mix de comunicação;
6 - Definição dos meios de comunicação;
7 - Definição do orçamento;
8 - Definição de métodos de controle e avaliação.
Análise do Problema:
Como vimos, nossos objetivos e metas gerais partirão do Plano de Marketing, certo?
Por isso, precisamos, em primeiro lugar, analisar o problema a ser resolvido.
Isso significa procurar entender qual o problema em questão, quais as suas dimensões, qual a sua contextualização e seus impactos para o nosso negócio. 
A partir disso, precisamos buscar compreender quais tipos de ameaças e oportunidades se constroem ou se apresentam no mercado. 
Construída essa etapa, e sempre baseados nos objetivos do plano de marketing, precisamos agora descobrir o que é para ser feito a partir deste problema.
Qual o problema?
Quais as dimensões do problema ?
Quais são os impactos 
Quais os tipos de ameaça
O que fazer ?
Objetivos da Comunicação
Quais os objetivos da comunicação? 
O que se pretende por resultados? 
O que precisamos fazer na comunicação para contribuir para os resultados de mercado esperados?
Para responder a essas perguntas, os objetivos da comunicação precisam ser claros e descritos em relação ao alcance pretendido.
Tarefas de comunicação :
\u2022 Apresentar e explicar os diferenciais da marca/empresa;
\u2022 Aumentar a percepção do público para determinada ação;
\u2022 Conscientizar a sociedade para os perigos de algo;
\u2022 Envolver-se e responsabilizar-se por gerar conhecimento e conscientização;
\u2022 Construir percepção e lembrança;
\u2022 Alterar hábitos e atitudes;
\u2022 Buscar a mudança de comportamentos de mercado ou o reforço de decisões e atitudes;
\u2022 Desenvolver comportamento lúdico ou emocional;
\u2022 Gerar simpatia e boa vontade às ações pretendidas e/ou à imagem proposta a fim de construir preferência e motivar a ação.
Publico Alvo 
Para que essa comunicação possa se materializar, precisamos saber com quem vamos falar, não é mesmo?
Afinal, se não sei com quem vou falar, como saberei de que forma, onde, quando e como vou falar?
Além disso, se não souber quem é meu destinatário, não saberei encaixá-lo frente aos meus objetivos de marketing e de comunicação e, portanto, não saberei, sequer, o que falar. 
Uma tentativa de aumento de vendas, por exemplo, pode ter diferentes estratégias e ações, dependendo do público que se pretende atingir, concorda?
Por isso, nosso próximo passo é determinar o público-alvo de nossa comunicação (target group).
\u2022 Quem ele é? \u2022 Quais são seus hábitos? \u2022 Que papel ocupa no processo de decisão? \u2022 Qual a sua relação com os objetivos de mercado? Como decide?
Definir corretamente o target (público-alvo) e saber descrevê-lo com a maior riqueza de detalhes possível contribuirá determinantemente para o sucesso e uma maior efetividade dos resultados.
Porém, errar esta determinação gerará, com certeza, o fracasso dos objetivos e, mais, um grande problema a ser revertido.
Imagine só você precisar falar a um target, estrategicamente, e falar a outro?
Não vá adiante com o seu plano enquanto você não estiver consciente e tranquilo de que tudo está correto quanto à determinação, segmentação e descrição do target de sua comunicação, ok?
Determinando o caminho e o que precisa ser dito
Neste ponto do plano, além de determinar o \u201ccaminho\u201d que será percorrido para se atingir o target, também é preciso determinar e expressar o que precisa ser dito.
Escolher o conteúdo que deve ser apresentado e passado ao target e a cada segmento de público é essencial.
Não pense que montar uma estratégia é pensar em uma grande \u201csacada\u201d, em uma ideia genial para fazer o objetivo acontecer. 
Acho que a esta altura do campeonato você já sabe que não é assim que as coisas funcionam. Planejamento é o lema, lembra-se?
A Influência das Redes Sociais
A primeira delas diz respeito à mudança na posição do público. 
De simples espectador ou consumidor, na maioria das vezes passivo, ele passa agora a coautor da comunicação e muitas vezes o principal agente dela. 
Fritz Henderson, presidente da General Motors, disse, certa vez, que as redes sociais democratizaram o boca a boca fazendo-o chegar a milhões. 
Isso significa dizer que hoje nosso público é interconectado, possui razoável acesso à informação e tecnologia e que, por isso, tudo é rapidamente checado e avalizado por meio de suas redes de relacionamento. 
Inverdades, deslizes e ruídos sustentam-se por muito pouco tempo e são disseminados na \u201cvelocidade da luz\u201d a públicos numerosos, causando estragos gigantes à imagem e ao negócio de empresas que não atentarem à nova dinâmica propiciada por estes canais e não estiverem preparadas a se comunicar à altura e ao jeito deste \u201cnovo\u201d público.
A hora de fazer as contas
Pensar orçamento é pensar a disponibilidade e alocação