A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Enc__Material_das_aulas_e_a_lista_de_exercício

Pré-visualização | Página 1 de 4

Lista de exercício de físico química.pdf
 Lista de exercícios (I) 
1) Os momentos de dipolo da acetonitrila, CH3CN, e do iodeto de metila, CH3I, são 3,9D e 1,62 D, 
respectivamente. 
a) Qual dessas substâncias terá as maiores atrações dipolo-dipolo entre as moléculas? 
b) Qual dessas substâncias terá as maiores atrações do tipo dispersão de London? 
c) Os pontos de ebulição de CH3CN e de CH3I são 354,8 K e 315,6 K, respectivamente. Qual 
substância tem as maiores forças de atração como um todo? 
2) Em qual das seguintes substâncias é mais provável que a ligação de hidrogênio tenha papel importante 
na determinação das propriedades físicas: metano (CH4), hidrazina (H2NNH2), fluoreto de metila 
(CH3F) ou sulfeto de hidrogênio (H2S)? 
3) Coloque as substâncias BaCl2, H2, CO, HF e Ne em ordem crescente de pontos de ebulição. 
4) As bolas de tênis são normalmente cheias com ar ou gás N2, com pressão acima da pressão atmosférica 
para aumentar seus ‘quiques’. Se uma bola de tênis em particular tem volume de 144 cm3 e contém 0,33 
g de gás N2, qual é a pressão dentro da bola a 24°C? 
5) A pressão do gás em uma lata de aerossol é 1,5 atm a 25°C. Supondo que o gás dentro da lata obedece à 
equação do gás ideal, qual seria a pressão se a lata fosse aquecida a 450°C? 
6) Qual é a densidade do vapor de tetracloreto de carbono a 714 torr e 125°C? 
7) Uma mistura gasosa feita de 6,00g de O2 e 9,00g de CH4 é colocada em recipiente de 15,0 L a 0°C. Qual 
é a pressão parcial de cada gás e a pressão total no recipiente? 
8) Se 1,000 mol de um gás ideal estivesse confinado em um volume de 22,41 L a 0,0°C, exerceria uma 
pressão de 1,000 atm. Use a equação de van der Waals para estimar a pressão exercida por 1,000 mol de 
Cl2 (g) em 22,41 L a 0,0°C. 
Dados: a= 6,49 L2atm/mol2 e b= 0,0562 L/mol. 
9) Calcule o ∆H para a reação: 
NO(g) + O(g) → NO2(g) 
Dadas as seguintes informações: 
NO(g) + O3(g) → NO2(g) + O2(g) ∆H= -198,9 kJ 
O3(g) + → 3/2 O2(g) ∆H= -142,3 kJ 
O2(g) → 2 O (g) ∆H= 495,0 kJ 
10) Os nutricionistas estão interessados no uso da energia pelo corpo humano, que pode ser considerado um 
“sistema termodinâmico”. Existem calorímetros construídos para acomodar uma pessoa, a fim de medir 
(sem mata-la!) a sua produção líquida de energia. Supondo que, durante uma experiência, uma pessoa 
produz 622 kJ de trabalho numa bicicleta ergométrica, e perde 82 kJ de energia sob a forma de calor. 
Qual é a variação de energia interna da pessoa? Despreze qualquer perda de massa por transpiração. 
11) Calcule o trabalho necessário para uma pessoa de 65 kg subir a uma altura de 4,0 m na superfície da 
Terra. 
12) Uma amostra de soro sanguíneo, de massa igual a 25g, é resfriada de 290K a 275K, a pressão constante, 
retirando-se dela 1,2kJ de energia sob a forma de calor. Calcule q e ∆H, e estime a capacidade calorífica 
da amostra. 
13) Um peixinho de aquário nada numa tigela de água, a 20°C. Durante um certo período de tempo, o peixe 
transfere 120J para a água, como resultado do seu metabolismo. Qual a variação da entropia da água? 
14) A taxa metabólica é a taxa à qual um organismo gasta a energia proveniente da oxidação da 
alimentação. Em repouso, os organismos ainda consomem energia na denominada taxa metabólica 
basal. Segue-se, que até mesmo um ser humano em repouso aquece o ambiente (as vizinhanças), 
geralmente a uma taxa de 100 J/s. Calcule a entropia que uma pessoa em repouso gera no ambiente (nas 
vizinhanças) ao longo de um dia a 30°C. 
15) Admita que uma pessoa tenha uma massa de 75 kg. Qual é a quantidade mínima de glicose que o 
pássaro tem que consumir para subir 15 degraus, cada um com 30 cm de altura? A variação da energia 
de Gibbs devido à oxidação de 1,0 mol de C6H12O6(s) formando dióxido de carbono gasoso e água 
líquida a 25°C é -2828 kJ. 
 
 
 
Curso: Farmácia Disciplina: Físico Química Aplicado à Farmácia 
 
Semestre: 5° 
 
Professor: Ravir Rodrigues Farias 
Soluções físico química.pdf
FÍSICO QUÍMICA APLICADA A 
FARMÁCIA
Soluções e Propriedades Coligativas
Abril/2019
2
SOLUÇÕES
 Misturas homogêneas são chamadas de soluções;
 As soluções podem ser gases, líquidos ou sólidos; 
SOLUÇÃO
SOLVENTE
SOLUTO
Conceito de solução, solvente e soluto 
3
4
SOLUÇÕES
Formas de expressar a concentração 
 Fração molar (X): muito usada em experimentos que envolvem
considerações teóricas, pois ela mede a proporção relativa de cada
constituinte na solução. Para um sistema de dois constituintes:
5
SOLUÇÕES
Formas de expressar a concentração 
6
7
Dos nove possíveis tipos de misturas derivados dos três estados da
matéria, apenas gases em líquidos, líquidos em líquidos e sólidos
em líquidos possuem especial importância do ponto de vista
farmacêutico.
8
SOLUÇÕES IDEAIS E REAIS
 Segundo a lei de Raoult, 𝐩𝐢 = 𝐩𝐢
𝟎𝐱𝐢, ou seja, a pressão parcial 𝐩𝐢
de um componente de uma mistura líquida, a uma dada
temperatura determinada, é igual à pressão de vapor do mesmo
no estado puro multiplicada pela fração molar desse componente
na solução.
9
 Uma solução é dita ideal quando ambos os componentes de uma
mistura binária obedecem à lei de Raoult ao longo de toda a faixa
de composições possíveis;
 A lei é mais confiável quando os componentes da mistura têm
formas moleculares semelhantes e são mantidos na fase líquida
por forças intermoleculares de natureza semelhante. Um exemplo
é uma mistura de dois hidrocarbonetos estruturalmente
semelhantes como benzeno e tolueno.
10
Nenhuma solução é perfeitamente ideal, e as soluções reais
apresentam desvios da lei de Raoult;
Entretanto, os desvios são pequenos para o componente que está
em grande excesso (o solvente) e se tornam menores à medida
que a concentração do soluto diminui. Podemos, em geral, aceitar
a validade da lei de Raoult para o solvente quando a solução é
muito diluída;
O processo de misturação para formar uma solução ideal é
espontâneo? Para responder a esta pergunta, precisamos
descobrir se ∆G é negativo para esse processo.
11
 Quando 𝑛𝐴 mols do gás A e 𝑛𝐵 mols do gás B se misturam, a
uma temperatura T,
 Com n = 𝑛𝐴 + 𝑛𝐵 e 𝑥𝑖 a fração molar de cada componente na
mistura.
12
A equação anterior nos dá a variação da energia de Gibbs quando
dois componentes se misturam a temperatura e pressão constantes.
O ponto crucial é que, como 𝑥𝐴 e 𝑥𝐵 são ambas menores que 1, os
dois logaritmos são negativos (ln x < 0 se x < 1), o que torna ∆G < 0
em todas as composições.
13
Portanto, a misturação é espontânea em todas as proporções. Como
não tem o termo independente da temperatura, ∆H = 0, ou seja,
apesar de haver interações entre as moléculas, as interações soluto-
soluto, solvente-solvente e soluto-solvente são todas iguais, o que faz
o soluto se dissolver sem variação de entalpia;
Ocorre um aumento na entropia, pois as moléculas estão mais
dispersas na mistura do que nos componentes puros;
A entropia das vizinhanças não é alterada, porque a entalpia do
sistema é constante, nenhum calor escapa para as vizinhanças. Esse
aumento de entropia do sistema é a “força motriz” da misturação.
14
Quando um dos componentes da mistura apresenta desvio negativo,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.