Saúde Bucal na Década de 70 e 80

Saúde Bucal na Década de 70 e 80


DisciplinaPolíticas Públicas2.547 materiais10.355 seguidores
Pré-visualização1 página
Saúde Bucal na Década de 70 e 80
Saúde Bucal na Década de 70 e 80
Professora Orientadora: Ana Paula Lacerda
Disciplina: Políticas Públicas 
Característica da Saúde
NARVAI (2002) discorreu sobre as seguintes características:
Prática assistencialista 
Excludente 
Não resolutiva 
 
A expansão das medidas odontológicas na Previdência atingiu nos anos 70 um forte ritmo de crescimento quando foi favorecida pela expansão das bases orçamentárias do estado. Quase que invariavelmente, estes serviços apresentavam um baixíssimo nível de qualidade e de altíssimo grau de mutilação. (Zanetti,1993)
O atendimento oferecido era de livre demanda e reproduzia em nível público a Odontologia de mercado. Entretanto na esfera pública, a prática era empobrecida com serviços de má-qualidade.
Medicina de Grupo
Melhores condições de atendimento ao trabalhadores
Contratos com grupos de médicos 
Governo prestava assistência médica aos seus empregados
Fluoretação da água 
Nesta década é aprovada a Lei 6.050 (24/05/1974) que versava sobre a fluoretação da água em sistemas de abastecimento público.
VII Conferência Nacional de Saúde
NARVAI (2002) fez a seguinte classificação quanto a participação da Odontologia nos serviços básicos de saúde: 
Ineficácia
Ineficiência
Descoordenação
Má distribuição
Baixa cobertura
Alta complexidade
Enfoque curativo
Caráter mercantilista
Caráter monopolista
Inadequação do preparo dos recursos humanos
"Está em curso uma reforma democrática não anunciada ou alardeada na área da saúde. A Reforma Sanitária brasileira nasceu na luta contra a ditadura, com o tema Saúde e Democracia, e estruturou-se nas universidades, no movimento sindical, em experiências regionais de organização de serviços. Esse movimento social consolidou-se na 8ª Conferência Nacional de Saúde, em 1986, na qual, pela primeira vez, mais de cinco mil representantes de todos os seguimentos da sociedade civil discutiram um novo modelo de saúde para o Brasil. O resultado foi garantir na Constituição, por meio de emenda popular, que a saúde é um direito do cidadão e um dever do Estado.\u201c
 Sergio Arouca, 1998.
Princípios 
Conceito ampliado da saúde
Reconhecimento da saúde como direito de cidadania e dever do estado
Defesa de um sistema único, de acesso universal, igualitário e descentralizado
A partir de 1985, o INAMPS aumentou gradativamente os repasses financeiros para órgãos públicos, com prioridade para a atenção odontológica escolar.
A expressão \u201c Saúde Bucal Coletiva\u201d
Antes da criação do SUS
O MS com o apoio dos estados e municípios, desenvolvia apenas ações de promoção da saúde e prevenção de doenças, com destaques para campanhas de vacinação e controle de epidemias.
REVOLTA DA VACINA
Ações voltadas para a atenção curativa e medicamentosa.
Criação do SUS
Constituição Federal de 1988, artigo 198
 \u201c A saúde é direito de todos e dever do estado, garantindo mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e do outros agravos e ao acesso universal e igualitário \u201d.
Referências 
Apostila de políticas públicas 
Autores: Antonio Carlos Pereira
Eloísio de Carmo
Marcelo de Castro
História da saúde bucal o Brasil
Professora: Ms. Michelle Falcão 
Faculdade: UNIME
Acadêmicas
Anna Flavia Manduca Ana Paula Carola
Ana Paula Martins Brunna Raposo 
Fernanda de Sá Flavia Marcelly
João Filho Lanylla Gomes
Larissa Moura Luziley Pimentel
Maria Eliza Mitchelly Roberta
Obrigada pela atenção!