ATPS CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA
28 pág.

ATPS CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA


DisciplinaCiências Sociais11.043 materiais41.550 seguidores
Pré-visualização6 páginas
UNIVERSIDADE ANHANGUERA \u2013 UNIDERP
CIÊNCIAS CONTÁBEIS 
CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA
Professor EAD: Gisele Zanardi
Tutor Presencial: 
SUMÁRIO 
INTRODUÇÃO	3
ETAPA 01: BALANCETE DE VERIFICAÇÃO...............................................................4
ETAPA 02: REGIME DE COMPETÊNCIA E REGIME DE CAIXA........................... 6
ETAPA 03 \u2013 CONTAS RETIFICADORAS DO PASSIVO, CÁLCULOS DE EXAUSTÃO, AMORTIZAÇÃO E DEPRECIAÇÃO E CALCULO DA PCLD	8
ETAPA 04: CONCEITOS E ELABORAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO	12
FRAUDES CONTÁBEIS.	24
CONSIDERAÇÕES FINAIS	26
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.	27
INTRODUÇÃO
A contabilidade é uma área de grande importância para o sucesso empresarial, uma ferramenta decisiva para á tomada de decisões e que deve ser apurada com total exatidão.
Os demonstrativos contábeis são a base para a decisão sobre o futuro da entidade, como andam as dividas com os fornecedores, se será necessário aumentar o estoque, quais investimentos são vantajosos, se os encargos tributários estão em dia, e se a empresa teve lucro ou prejuízo e como os sócios serão beneficiados. A contabilidade é o espelho da instituição, e através desta imagem os balanços são refletidos, e assim é possível se conseguir recursos para a ascensão da empresa.
Entre estes demonstrativos contábeis o relatório é quem irá conceituar, exemplificar e detalhar estas informações, por exemplo balancete de verificação e Apuração do Resultado, que permitem identificar erros, equilibrar as contas e primar pelo princípio da competência. 
ETAPA 1: BALANCETE DE VERIFICAÇÃO
É uma demonstração contábil e utiliza o princípio do método das partidas dobradas, criado por Lucca Faccioli na idade média. O balancete tem como objetivo averiguar se os saldos das contas contábeis estão equilibrados, por isso sua utilização na escrituração contábil da empresa é tão importante. No balancete de verificação, cada debito equivale a um crédito do mesmo valor, ou seja, a soma dos saldos devedores é igual à soma dos saldos credores.
Esse demonstrativo é utilizado para fins gerenciais, pois possui informações importantes contidas nos registros contábeis, deverá ser assinado por um contador habilitado. Em fim, é utilizado pelos contadores para verificar se os lançamentos contábeis estão corretos.
Tabela 01 \u2013 Balancete de Verificação da Companhia Beta
	Balancete de Verificação
	Contas
	Movimento
	
	Devedor
	Credor
	Receita de Serviços
	 
	477.000,00
	Duplicatas Descontadas (Curto Prazo)
	 
	57.000,00
	Fornecedores (Curto Prazo)
	 
	90.000,00
	Duplicatas a Receber (Curto Prazo)
	180.000,00
	 
	Veículos
	45.000,00
	 
	Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa
	 
	33.000,00
	Despesas com Vendas
	27.000,00
	 
	Duplicatas a Pagar (Curto Prazo)
	 
	54.000,00
	Empréstimos (Longo Prazo)
	 
	45.000,00
	Reserva de Lucros 60.000
	 
	60.000,00
	Despesas de Depreciação
	37.500,00
	 
	Despesas com Salários
	189.000,00
	 
	Despesas com Impostos
	52.500,00
	 
	Capital Social
	 
	294.000,00
	Dividendos a Pagar (Curto Prazo)
	 
	6.000,00
	Móveis e Utensílios
	285.000,00
	 
	Equipamentos
	270.000,00
	 
	Disponível
	30.000,00
	 
	Total
	1.116.000,00
	1.116.000,00
Fonte: O Autor.
A tabela demonstra o balancete de verificação da Companhia Beta. Vale ressaltar, que o balancete contas do ativo possui saldo devedor assim como as despesas, e contas de passivo possuem saldo credor, assim como as receitas, ao final do balancete o saldo devedor e credor possuirão o mesmo montante, frisando que toda conta lançada a débito, possui outra conta lançada a crédito.
Apuração de Resultado do Exercício (ARE) :
É um demonstrativo utilizado para avaliar se a empresa obteve lucro ou prejuízo, para isso compara-se despesas, custos e receitas do período, de acordo com o princípio da competência. Receitas são contas que provem da venda de bens e serviços, custos são as contas referentes ao objeto fim da empresa e despesas são gastos administrativos, por exemplo.
A entidade obtém lucro quando a receita for maior que o custo e a despesa e obtém prejuízo quando a receita é menor que o custo e a despesa.
Em relação ao balancete de verificação (tabela 01), temos as seguintes contas de resultado (que serão zeradas utilizando a ARE como contrapartida):
Razonetes: 
	Receita de serviços
	477000,00
	477000,00
	ARE
	27000,00
	477000,00
	37500,00
	
	189000,00
	
	52500,00
	
	306000,00
	4777000,00
	
	171000,00
 
	Despesas com depreciação
	37500,00
	37500,00
 
	Despesas com Impostos
	52500,00
	52500,00
	Despesas com vendas
	27000,00
	27000,00
	Despesas com Salários
	189000,00
	189000,00
Tabela 02: Apuração do Resultado do Exercício
	Apuração do Resultado do Exercício
	
	
	Contas
	Movimento
	
	
	Devedor
	Credor
	Receita de Serviços
	 
	477.000,00
	Despesas com Vendas
	27.000,00
	 
	Despesas de Depreciação
	37.500,00
	 
	Despesas com Salários
	189.000,00
	 
	Despesas com Impostos
	52.500,00
	 
	Total
	306.000,00
	477.000,00
	Lucro Antes dos Impostos
	 
	171.000,00
Fonte: O Autor.
	De acordo com os dados apresentados a Companhia Beta obteve lucro de R$ 171.000,00, antes do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro.
	Em posse dessas informações, podemos também, calcular o valor do ativo circulante da Companhia Beta, conforme mostra a tabela abaixo:
Tabela 04: Total do Ativo Circulante da Companhia Beta em 31/12/2010
	Ativo Circulante
	Duplicatas Descontadas (Curto Prazo)
	 57.000,00
	Duplicatas a Receber (Curto Prazo)
	180.000,00
	Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa
	 33.000,00
	Disponível
	30.000,00
	Total
	210.000,00
Fonte: O Autor
ETAPA 02: REGIME DE COMPETÊNCIA E REGIME DE CAIXA
O Regime de competência registra os fatos contábeis que correspondem ao patrimônio, desse regime decorre o princípio da competência, sendo o único que é reconhecido pela NBC como análise válida, seu resultado é de forma correta e completa, em demonstrações financeiras ficam bem detalhados os fatos passados, presentes e futuros para que os usuários possam tomar suas decisões com exatidão.
As receitas são contabilizadas no momento em que são geradas, independente do seu recebimento. As despesas são contabilizadas no momento de seu consumo, não dependendo do seu pagamento, pois ainda que não tenham sido pagas serão registradas para serem contabilizadas.
O Regime de caixa é um regime simplificado na contabilidade, no qual as receitas e as despesas são registradas pelas entradas e saídas. É importante esclarecer, que esse regime é aplicado em atividades sem fins lucrativos diferentemente do regime da competência, que é utilizado para atividades com fins lucrativos, ou seja, meio empresarial. As receitas são contabilizadas no momento em que são ganhas, entrando assim dinheiro no caixa. As despesas são contabilizadas no momento de seu pagamento, saindo assim dinheiro do caixa, com a subtração das receitas e despesas encontramos o resultado do exercício pelo o Regime de caixa.
Exemplos de 03 eventos que demonstrem que a sobra de dinheiro no caixa não é sinônimo de lucro:
1-Venda a vista de um item comprado a prazo (compro uma mesa á vista para o escritório no valor de R$ 250,00 e efetivo o pagamento em 2 x parcelas no valor de R$ 125,00).
2-Recebimentos em datas inferiores aos pagamentos (quando o meu cliente efetiva um pagamento no valor de R$ 500,00 anterior ao vencimento da fatura, ocorrendo um aumento no Ativo).
3- Vendas de itens disponíveis em estoque e que já tenham sido pagos em períodos anteriores (Tenho disponível no meu estoque alguns itens que totalizam o valor de R$ 1.788,00, no entanto já foram quitados em outros períodos).
 Etapa 02 - Passo 03.
Ajudar o contador da empresa a contabilizar