A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Historiografia Brasileira_Aulas_06 à 10-Exercícios

Pré-visualização | Página 3 de 5

do passado e a ciência do 
presente: é a forma pela qual o historiador atua na sua época, na sua sociedade, e deve ajudar a explicar o 
social no presente (e, por isto, auxiliar a preparação do futuro). Assim, a escolha de temas de pesquisas 
históricas deve estar atenta as prioridades sociais do momento que se vive (CARDOSO, Ciro Flamarion. Como 
elaborar um projeto de pesquisa. Disponível em: 
http://www.historia.uff.br/stricto/files/CARDOSO_Ciro_Como_elaborar_projeto_pesquisa.pdf) No trecho acima, 
ao citar Lucien Febvre, Ciro Flamarion chama atenção para um aspecto importante trazido pela Escola dos 
Annales para a pesquisa e o conhecimento histórico. Qual aspecto seria esse? 
 
 A ideia de que o conhecimento histórico é produzido a partir de questões do presente. 
 
 7a Questão 
 
 
A Escola dos Annales trouxe inegáveis contribuições para o campo da pesquisa histórica, entre elas: 
 
 
A ênfase numa abordagem próxima à história política. 
 
Uma abordagem de viés positivista. 
 
O contato mais estreito com a historiografia alemã do século XIX. 
 O diálogo com as ciências sociais. 
 
 8a Questão 
 
 
Sobre a influência da historiografia francesa da Escola dos Annales no Brasil, marque a alternativa 
INCORRETA: 
 
 A historiografia dos Annales relaciona-se à chamada vertente inovadora da historiografia brasileira, 
que se contrapunha a uma forma de fazer história de forte cunho político e nacionalista. 
 
A história das mentalidades foi muito bem recebida no Brasil, influenciando diversos autores 
brasileiros, como Laura de Mello e Souza, autora do livro "O Diabo e a Terra de Santa Cruz". 
 
A historiografia dos Annales marcou de forma profunda a historiografia brasileira, seja em seus 
métodos, objetos de pesquisa ou problemas. 
 
A presença no Brasil de Fernand Braudel, que mais tarde veio a se tornar um dos grandes nomes da 
Escola dos Annales, ajudou a fortalecer os laços entre a historiografia brasileira e a historiografia 
francesa. 
 Se até 1930 a historiografia brasileira era profundamente marcada pela produção alemã, com a 
Escola dos Annales, começam os diálogos com a produção historiográfica francesa. 
 
HISTORIOGRAFIA BRASILEIRA - 8a aula 
 
 
 1a Questão 
 
 
Qual dos elementos abaixo NÃO identifica um aspecto próprio da historiografia contemporânea? 
 
 
O diálogo constante com outras ciências e saberes. 
 A tendência à construção de uma história descritiva e factual. 
 
 2a Questão 
 
 
Sobre os caminhos da historiografia contemporânea no Brasil e em outros países, marque a alternativa 
CORRETA: 
 
 
Ela é marcada por uma forte tendência a análises economicistas, o que pode ser explicado pelo papel 
hegemônico do marxismo nos meios acadêmicos atualmente. 
 
O conhecimento histórico vive um momento de intensa crise, pois ciências como a Antropologia, por 
permitir um conhecimento mais seguro, têm conquistado primazia. 
 Nos anos 1940 a 1970, o que temos no Brasil, segundo alguns autores, é o embate entre uma 
historiografia tradicional e positivista e outra forma de conceber o conhecimento histórico, 
influenciada pelos Annales e pelo marxismo. 
 
 
 3a Questão 
 
 
São características da historiografia brasileira a partir dos anos 1980, EXCETO: 
 
 
A maior profissionalização, em virtude do desenvolvimento dos programas de pós-graduação no 
país. 
 
Uma maior problematização em relação ao trabalho do historiador. 
 
A multiplicidade de objetos historiográficos. 
 
O interesse por novos temas e abordagens. 
 O isolamento da história como disciplina. 
 
 4a Questão 
 
 
Em nossas aulas, vimos que a produção historiográfica brasileira foi profundamente marcada, a partir dos anos 
1960, por uma espécie de dialética, de interação e de oposição, entre as vertentes da tradição e as vertentes 
da inovação. Sobre essas duas vertentes, julgue as afirmativas abaixo, destacando qual a alternativa 
INCORRETA: 
 
 
Autores como Gilberto Freyre, Sérgio Buarque e Caio Prado são representantes de uma vertente 
inovadora. 
 
O marxismo e a Escola dos Annales contribuíram para a inovação da historiografia brasileira. 
 A vertente tradicional privilegiava a análise documental e a interpretação dos fatos históricos. 
 
 5a Questão 
 
 
Em nossas aulas, vimos que a historiografia brasileira foi fortemente marcada por duas correntes: a 
historiografia tradicional e a historiografia mais inovadora. Avalie as alternativas abaixo acerca dessas duas 
correntes: I. A historiografia tradicional era profundamente marcada pelo empirismo e por uma narrativa linear 
e essencialmente política; II. Para a historiografia tradicional, a história, enquanto passado, poderia ser 
acessível diretamente pelos documentos. III. A historiografia inovadora está associada à influência do 
marxismo e da Escola dos Analles. Está(ão) correta(s): 
 
 
As alternativas I e III 
 Todas as alternativas acima. 
 
 6a Questão 
 
 
Sobre as tendências da historiografia brasileira no final do século XX, é correto dizer que: 
 
 
influenciada profundamente pela história materialista marxista, a historiografia brasileira, ao longo das 
décadas de 1980 e 1990, privilegiou as análises estruturais econômicas sem se preocupar com o papel 
dos sujeitos na história. 
 
influenciada principalmente pelas análises marxistas da História Social Inglesa a historiografia 
contemporânea brasileira desconheceu a importância da contribuição da historiografia francesa dos 
Annales. 
 
a partir das décadas de 1970 e 1980, realiza-se, na historiografia, uma importante revolução 
metodológica no trabalho, com a eleição de novas fontes e novos objetos de estudo. 
 
 7a Questão 
 
 
Sobre as posições teórico-metodológicas assumidas pela chamada "Nova História" no Brasil a partir da década 
de 1970, podemos afirmar que: 
 
 
a Nova História assumia sua preocupação com a história cultural, negligenciando outros âmbitos da vida 
social como a política e a economia. 
 
tendo em vista o cenário político brasileiro na década de 1970, os historiadores empreenderam análises 
historiográficas notadamente marxistas, com o objetivo de legitimar a revolução brasileira, afastando-se 
da história cultural francesa. 
 
tinha como seu fundamento, duas inspirações básicas, a escola dos Annales e o Marxismo, pautando suas 
análises e interpretações históricas nos métodos da história quantitativa, muito bem-sucedida nos campos 
da história econômica e social. 
 
 8a Questão 
 
 
A década de 1970 foi um momento importante para o desenvolvimento e renovação dos estudos históricos, 
especialmente pelas diversas críticas ao tipo de abordagem dominante até então, essencialmente 
estruturalista e globalizante. São características dessa renovação, EXCETO 
 
 
a maior diversidade de alternativas teóricas e metodológicas para o trabalho do historiador. 
 
o diálogo com a antropologia cultural, a psicologia e a linguística. 
 o abandono do estatuto de cientificidade por parte dos historiadores. 
 
 
 
HISTORIOGRAFIA BRASILEIRA - 9a aula 
 
 
 1a Questão 
 
 
O quantitativismo foi uma das várias correntes que produziram inovações na historiografia, inclusive a 
brasileira, no século XX. Assinale a opção que melhor o define. 
 
 
O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização de 
metodologias relativas para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo 
histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem redutora que era aplicada a toda 
uma vasta área de estudos sócio-históricos. 
 
O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização