A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Historiografia Brasileira_Aulas_06 à 10-Exercícios

Pré-visualização | Página 4 de 5

de 
metodologias igualitárias para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo 
histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem amplificadora que era aplicada a 
toda uma vasta área de estudos sócio-históricos. 
 
O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização de 
metodologias explicativas para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo 
histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem multiplicadora que era aplicada a 
toda uma vasta área de estudos sócio-históricos. 
 O quantitativismo foi uma corrente historiográfica que se caracterizou pela utilização de 
metodologias quantitativas para obter o mapeamento seriado dos mais variados campos do estudo 
histórico, entretanto sempre de forma a constituir uma abordagem quantificadora que era aplicada a 
toda uma vasta área de estudos sócio-históricos. 
 
 2a Questão 
 
 
Ao longo do século XX, especialmente nos anos 1950 e 1960, percebemos um grande diálogo entre a história e 
a economia. Isso pode ser explicado, em parte, pela importância que os assuntos econômicos ganhavam para 
uma Europa que precisava se reconstruir após o impacto da Segunda Guerra. Em sintonia com o crescimento 
da história econômica, desenvolveram-se estudos pautados em análises seriais. Nesse contexto historiográfico, 
 I. A história serial era entendida como uma possibilidade "mais científica" 
PORQUE 
II. Permitia formar séries documentais e criar gráficos que ajudavam o historiador a construir um conhecimento 
mais seguro e acompanhar aquilo que se repetia ao longo do tempo. 
 
 As afirmativas I e II são verdadeiras e a segunda justifica a primeira. 
 
 3a Questão 
 
 
Quais temas a historiografia marxista mais se dedicou a estudar? 
 
 
A história dos movimentos sociais, a história da moda e a história do corpo. 
 
A história do urbanismo, a história cubana e a história dos Estados Unidos. 
 
A história do movimento operário, a história dos partidos políticos e a história das relações de 
gênero. 
 A história do movimento operário, a história das revoltas sociais e os discursos pedagógicos e 
religiosos. 
 
 4a Questão 
 
 
Em relação ao marxismo, analise as afirmativas abaixo: I. O marxismo propõe uma teoria geral da história, 
isto é, procura entender a história como um processo que tem como elemento básico para a sua 
compreensão o conceito de produção. II. O marxismo foi fundamental no processo de constituição da 
história como conhecimento científico. III. No Brasil, o marxismo influenciou bastante a historiografia, 
especialmente a partir da década de 1970, com o desenvolvimento da História Cultural. Est(ão) correta(s): 
 
 
Somente a alternativa II 
 
Somente a alternativa III 
 
As alternativas II e III 
 As alternativas I e II 
 
 5a Questão 
 
 
São autores expressivos do pensamento marxista no Brasil: 
 
 
Caio Prado Júnior, Sérgio Buarque de Holanda e Gilberto Freyre. 
 
Caio Prado Júnior, Ciro Flamarion Cardoso e José Murilo de Carvalho. 
 
Capistrano de Abreu, Caio Prado Júnior e Ciro Flamarion Cardoso. 
 Caio Prado Júnior, Jacob Gorender e Nelson Werneck Sodré. 
 
 6a Questão 
 
 
Qual das alternativas abaixo responde melhor acerca da importância do marxismo para a constituição da 
história como uma ciência? 
 
 O marxismo considerava as estruturas culturais como o cerne da compreensão de uma sociedade. 
 
O marxismo valorizava o estudo dos aspectos político de uma sociedade. 
 
O marxismo propunha uma análise minuciosa acerca do funcionamento dos aspectos micro de uma 
sociedade. 
 O marxismo propunha uma teoria geral do funcionamento das sociedades. 
 
 7a Questão 
 
 
São exemplos da presença do marxismo na historiografia brasileira: 
 
 
Ciro Flamarion Cardoso, Caio Prado Jr, Sérgio Buarque de Holanda. 
 
Ciro Flamarion Cardoso, Nelson Werneck Sodré, Capistrano de Abreu. 
 
Caio Prado Jr, Florestan Fernandes, Sérgio Buarque de Holanda. 
 
Nelson Werneck Sodré, Capistrano de Abreu, Gilberto Freyre. 
 Jacob Gorender, Ciro Flamarion Cardoso, Nelson Werneck Sodré. 
 
 8a Questão 
 
 
Como o materialismo histórico influenciou a historiografia ocidental? 
 
 Ao enfatizar a importância das condições materiais, econômicas e produtivas da A feitiçaria nos 
tempos coloniais a partir dos processos da Inquisição, a história das mulheres, da infância, das 
festas, do cotidiano no período colonial, novas temáticas como as relações entre a história e 
literatura, entre a cultura e o cotidiano. Assim como foi posto em destaque, o cotidiano dos 
trabalhadores em seus espaços de trabalho e de sociabilidade, como a fábrica, o lar, o botequim, as 
habitações populares, as doenças, a vida cotidiana dos escravos. 
 
HISTORIOGRAFIA BRASILEIRA - 10a aula 
 
 
 1a Questão 
 
 
A década de 1970 foi um momento importante para o desenvolvimento e renovação dos estudos históricos, 
especialmente pelas diversas críticas ao tipo de abordagem dominante até então, essencialmente 
estruturalista e globalizante. São características dessa renovação, EXCETO: 
 
 
a expansão do universo de fontes históricas disponíveis para o historiador. 
 
a maior diversidade de alternativas teóricas e metodológicas para o trabalho do historiador. 
 
a expansão de temas, objetos e abordagens de interesse dos historiadores. 
 o abandono do estatuto de cientificidade por parte dos historiadores. 
 
 2a Questão 
 
 
Em um artigo publicado na revista "História: questões e debates", Ronaldo Vainfas afirma: "Foi com o avanço 
da pós-graduação, de um lado, e a crise do regime militar, de outro, que a pesquisa histórica no Brasil pouco 
a pouco se abriu a estes novos campos. A queda do muro de Berlim, em 1989, completa o quadro, libertando 
a pesquisa histórica brasileira dos patrulhamentos esquerdistas. O arejamento do ambiente universitário, 
enfim livre dos compromissos políticos de combate ao regime de exceção e, de quebra, livre das patrulhas 
ideológicas, teve peso decisivo nesta inflexão historiográfica" (VAINFAS, Ronaldo. História cultural e 
historiografia brasileira. História: Questões & Debates, Curitiba, n. 50, p. 217-235, jan./jun. 2009). Quando 
Ronaldo Vainfas menciona a abertura da historiografia brasileira nos anos 80 para "novos campos", ele se 
refere à: 
 
 
História Metódica. 
 
Historiografia marxista. 
 
História Positivista. 
 Nova História. 
 
 
 3a Questão 
 
 
São conceitos fundamentais da chamada Nova História Cultural francesa: 
 
 
Estruturas e luta de classes 
 Práticas e representações 
 
 4a Questão 
 
 
Marque a alternativa que expressa de forma correta a maneira como os atuais estudos historiográficos 
entendem o que é cultura: 
 
 
Os estudos atuais trabalham a categoria cultura a partir de duas dimensões opostas: a de cultura 
popular e cultura erudita. 
 
O conceito de cultura está diretamente associado à produção cultural e artística, como o cinema, a 
fotografia, a pintura etc. 
 O conceito de cultura é entendido no sentido antropológico, como significados partilhados e 
construídos pelos homens para explicar o mundo. 
 
 5a Questão 
 
 
A partir dos anos 1970, a história social francesa, o estruturalismo e o marxismo receberam uma série de 
críticas. Embora muitos autores entendam que esse momento marca um período de "crise" para o 
conhecimento histórico, é inegável que tais críticas abriram caminhos para novas abordagens, novos objetos e 
perspectivas. Qual dos trabalhos citados abaixo é um exemplo do diálogo da historiografia brasileira com essas 
novas abordagens? 
 
 
Visão do Paraíso, de Sérgio Buarque de Holanda.