RESUMO PSICOLOGIA INTERACIONISTA
4 pág.

RESUMO PSICOLOGIA INTERACIONISTA


DisciplinaPsicologia Interacionalista132 materiais107 seguidores
Pré-visualização2 páginas
RESUMO CLARISSA \u2013 NP2
HENRI WALLON (1879-1962)
Para Wallon, o desenvolvimento psíquico é determinado por dois fatores fundamentais, que são:
ORGÂNICO: se refere ao desenvolvimento biológico.
SOCIAL: se refere as relações sociais da pessoa. A linguagem é importante neste fator. De acordo com Wallon, o materialismo dialético é o único meio da pessoa desenvolver o seu social.
*PSIQUE: é formada por conjuntos/campos funcionais com funções distintas e especificas integradas.
IMPORTANTE: Wallon nunca usa outro termo para designar o homem. Para ele, sempre será a PESSOA. Outro ponto a destacar é que os fatores/campos/conjuntos são INSEPARAVEIS E INTEGRADOS. A pessoa sempre será pessoa independente do estágio de desenvolvimento que se encontra. O ser humano está sempre se transformando e agindo. A sua construção é continua e ininterrupta.
E embora Wallon não aborde as psicotapatologias, se questiona sobre o surgimento delas e se estão relacionadas quando há alguma interferência/crise nesta construção do eu psíquico.
Os campos funcionais se caracterizam por:
MOTOR: diz do movimento corporal da pessoa e é o 1º sinal de vida. Os movimentos se dividem em INSTRUMENTAIS e EXPRESSIVOS. Os movimentos instrumentais são uteis, objetivos (para fazer algo) e também comunicam algo. Exemplo: comer, andar, qualquer outra ação desta natureza. Já os expressivos são usados mais para comunicar. Exemplo: feições, gestos, sorrisos etc.
EMOCIONAL: diz do afetivo ou que afeta a pessoa e é o 2º sinal de vida. Se divide em sensações, exterocepção (sentidos de fora), interocepção (sentidos de dentro, ligado aos fisiológico, exemplo: frio, fome etc.) e por fim a propriocepção (a noção de eu no mundo, importante para a construção da subjetividade e consciência). 
COGNITIVO: se refere a inteligência. Como organizamos nossas experiências por meio de todos processos mentais. Ligado ao verbal (palavra, linguagem), raciocínio. 
CONJUNTO DA PESSOA: ligado a personalidade, subjetividade. É o campo dos resultados do processo de constituição da pessoa. É a LIGA de todos os campos funcionais.
Todos os campos funcionais fazem parte do processo de INTEGRAÇÃO DA PESSOA.
IMPORTANTE: a PROPRIOCEPÇÃO é a busca do equilíbrio do corpo. Diz do conhecimento do corpo (espaço, limites etc.) no ambiente e como ele é sentido no mundo. Consciência de si, noção do eu, construção da personalidade. Quem sou eu? Exemplo: como é entrar no mar para você? Como isso te afeta? Quais são as sensações? Proporciona prazer? Seu corpo fica mais \u201cleve\u201d na água?
Outro ponto importante é que nem sempre a INTEGRAÇÃO de todos estes fatores ocorrem de maneira tranquila. Pode haver momentos de crises/quebras.
PSICOGENESE DA PESSOA COMPLETA
Teoria do Wallon que diz da evolução/construção do psiquismo da pessoa, contextualizada na cultura, cujo processo de aprendizado e adaptação é continuo e integralizado.
CAMINHO DO DESENVOLVIMENTO
É a jornada/historia de desenvolvimento que nos diferencia do demais, que vai do SINCRETISMO a DIFERENCIAÇÃO.
IMPORTANTE: cada campo funcional passa pelo processo/caminho do desenvolvimento e que cada passagem de um estagio de desenvolvimento a outro passa por conflitos/crises/quebras e posteriormente se reorganiza. Exemplo: birra permanente.
Sincretismo: situação global, sem diferenciação.
Em suma, Wallon explica que, de acordo com o estágio de desenvolvimento, a pessoa vai do sincretismo (onde não há diferenciação entre uma pessoa a outro) e vai em rumo da diferenciação (pessoas diferentes)
ESTAGIOS DE DESENVOLVIMENTO SEGUNDO WALLON
Impulsivo Emocional (0-1 ano)
Sensório Motor e Projetivo (1-3 anos)
Personalismo (3-6)
Categorial (6-11 anos)
Puberdade e adolescência (11 anos...)
AS DUAS FORÇAS
Há duas forças que segundo Wallon determinam as direções de desenvolvimento do processo da psicogênese da pessoa, são elas:
Centrípeta: direção para dentro. O interesse é voltado no EU. Voltado para o interno. Ligado ao EMOCIONAL. Exemplo: a fase impulsivo emocional é marcada por essa força.
Centrifuga: direção para fora. Interesse no mundo exterior, para o outro e para o mundo. Ligado ao COGNITIVO. Exemplo: a fase sensório motor e projetivo é marcada por essa força.
AS LEIS FUNCIONAIS
Além das forças, existem as LEIS FUNCIONAIS que atuam juntas e comandam o desenvolvimento, que são:
LEI DA ALTERNANCIA: ora o conflito é interno ora é externo, constituindo-se num motor propulsor ao desenvolvimento.
LEI DA PREDOMINANCIA FUNCIONAL: determinado por fatores orgânicos e sociais. O que predomina mais durante o desenvolvimento ao longo do estágio em relação aos outros.Exemplo: o que predomina mais na fase doo personalismo: o afetivo ou o intelectual?
LEI DA INTEGRAÇÃO FUNCIONAL: quando as conquistas nos estágios anteriores se integram e unem as próximas fases.
OS ESTAGIOS DE DESENVOLVIMENTO SEGUNDO WALLON
IMPULSIVO EMOCIONAL (0-1 ANO)
Direção interna/centrípeta: predominância motora e afetiva (sensações internas)
Caracterizado pela INAPTIDÃO e o SINCRETISMO pois necessita do meio social para dar significado/interpretar e trazer respostas as suas necessidades e ainda não há noção de DIFERENCIAÇÃO.
Passa por 2 fases:
1ª FASE: IMPULSIVA (0-3 MESES)
Organismo puro: atividades reflexas, movimentos impulsivos, descargas motoras indiferenciadas.
Sensações de bem e mal estar: tem efeito no meio ambiente, coloca o outro em comunicação, reflexo condicionado.
Funções tônicos posturais: tônicos \u2013 emocionais. Movimentos \u2013 expressões \u2013 comunicação.
2ª FASE: EMOCIONAL (3 MESES \u2013 1 ANO)
Marcada por gestos, atitudes, vocalização = expressão
Linguagem: primitiva e voltada para a emoção.
A linguagem é usada para afetar o outro, contágio afetivo, inicio da vida psíquica (ações + intencionais)
SENSORIO MOTOR E PROJETIVO (1 \u2013 3 ANOS)
Direção externa/centrifuga: predominância intelectual.
Passagem: antes -atividade automática e afetiva agora \u2013 atividade relacional e exploratória da realidade externa e pelo inicio da representação
Uma das principais conquistas ao final deste estágio é a constituição do EU CORPORAL (fase do espelho)
Divide-se em:
Sensorio Motor (1-2anos)
- Andar e linguagem se ampliam e há mais possibilidades de exploração.
- Ajustamento do gesto ao efeito (maior sofisticação dos movimentos corporais).
- Organização dos movimentos são mais uteis.
- Intencionalidade voltado a inteligencia pratica (sem representação) ou inteligencia das situações.
Projetivo (2-3anos)
- inicio da representação (função simbólica)
- o ato mental projeta-se em atos motores
- imitações \u2013 incubação de gestos
- SIMULACRO: exercício ideomotor (pensamentos apoiados em gestos).
PERSONALISMO (3 \u2013 6 ANOS) \u2013se reconhece, identifica, formação da imagem de si.
IMPORTANTE: a BIRRA é necessária para a formação da personalidade pois é uma forma da criança se identificar. Ao negar a vontade do outro, ao se contrapor ao outro, me constituo enquanto pessoa (única, diferente).
Direção interna/centrípeta: predominância afetiva (o que eu sinto/quero)
Principal Tarefa: inicio da constituição do \u201ceu psíquico\u201d (consciência de si)
PROCESSO DE DIFERENCIAÇÃO \u201cEU-OUTRO\u201d
INICIO: uso do pronome pessoal eu/mim e do possessivo meu
HÁ 3 FASES:
Oposição: recusa (não quero, birra) e reivindicação (eu quero)
Sedução: \u201cidade da graça\u201d- exibição \u2013 sistema motor + desenvolvido (quer mostrar suas habilidades, ser reconhecida). AFIRMA O \u201cEU\u201d PELAS SUAS QUALIDADES, PELO QUE SABE FAZER.
Imitação: de personagens/pessoas que admira \u2013 movimento incorporação e exteriorização do outro. IMPORTANTE: não limitar a criança, deixe-a experimentar. O imitar/viver o personagem/pessoa é uma tentativa de compreender o que aquilo significa, experimentar outra forma de ser.
Importância dos papeis: na família, escola, etc \u2013 papéis reais (posição da família, na escola etc) e imaginários/faz de conta (no lugar do \u201cprofessor\u201d, da \u201cmãe\u201d, etc).
\u201cSOCIUS\u201d \u2013 o outro nunca é totalmente expulso de nós.SUPER-EGO: relação direta com