apol teoria de cinema
10 pág.

apol teoria de cinema


DisciplinaTeorias do Cinema25 materiais185 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Questão 1/5 - Teorias do Cinema - ELETIVA
Atente para a seguinte citação: 
\u201cComumente em paralelo aos grandes movimentos cinematográficos, a produção hollywoodiana buscou uma preocupação diferenciada na forma de ver cinema. Hollywood, que se construiu a partir de um cinema de estúdio e de uma ideologia industrial, via o cinema como uma grande forma de repercutir a ideologia norte americana de pensar, consumir e viver\u201d. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: TOLDO, Giordano Schmitz; LOPES, Fernando Dias. Cinema como arte ou entretenimento: Uma visão de seus realizadores e a estrutura organizacional de suas produtoras. REAd: Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 23, n. 2, p. 167-190, Ago. 2017. p. 172. <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-23112017000200167&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 23 abr. 2018.
 
Tendo em vista a dada citação e conforme os conteúdos do texto-base Interpretando os símbolos do ritual cineclubista sobre o surgimento dos primeiros cineclubes, analise as seguintes proposições:
 I. O surgimento dos cineclubes consiste em uma resposta ao padrão estabelecido pelo monopólio do cinema americano.
 PORQUE
 II. O cinema comercial tem por objetivo incontestavelmente o ganho financeiro e, por ter se tornado uma mercadoria da chamada \u201cindústria cinematográfica\u201d, essa forma de cinema se encontra saturada dos diversos padrões \u2013 artísticos, culturais, ideológicos e políticos \u2013 que reproduz. 
A respeito dessas asserções, assinale a alternativa correta:
Nota: 20.0
	A	As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da primeira
Você acertou!
Comentário: \u201cO cinema comercial tem uma finalidade incondicional: a busca pelo lucro. Em outras palavras, a partir do momento em que os filmes se tornam uma mercadoria de uma indústria que produz e reproduz a arte e a cultura, padrões estéticos, ideológicos e políticos, eles já estão impregnados nesta forma de cinema. Logo, os primeiros cineclubes surgiram como uma proposta de reação à intensa padronização que o monopólio do cinema americano estava estabelecendo\u201d (texto-base
Interpretando os símbolos do ritual cineclubista
, p. 9).
	B	
As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa correta da primeira.
	C	
A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.
	D	
A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.
	E	
As asserções I e II são proposições falsas.
Questão 2/5 - Teorias do Cinema - ELETIVA
Leia a passagem de texto a seguir: 
\u201cEssa primeira fase do cineclubismo no Brasil terá um caráter um tanto restrito, já que as discussões aconteciam entre um pequeno grupo de intelectuais dotados de uma expressiva cultura cinematográfica. Mas, ao mesmo tempo, a iniciativa sugere uma nova forma de se relacionar com o cinema, o início de uma reflexão crítica e coletiva\u201d. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: BUTRUCE, Débora. Cineclubismo no Brasil: Esboço de uma história. <http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/140/140>. Acesso em 25 abr. 2018.
 Conforme os conteúdos do texto-base Interpretando os símbolos do ritual cineclubista sobre a concepção de ritual pensada por Turner, analise as seguintes afirmativas: 
I. Rituais podem ser encontrados em quase todas as sociedades humanas das quais se tem notícia, do passado ou do presente, além de se relacionarem às mais diversas atividades humanas.
II. Ritual pode se restringir a um subgrupo da sociedade e pode permitir ou ressaltar um episódio de passagem de caráter social ou religioso.
III. O ritual é entendido pelo senso comum como uma representação ou lembrança de algo que possui qualidades correspondentes ou que a ele se associa por meio de fatos ou pensamentos.
IV. Rituais servem para justificar e tornar vivos os símbolos, reforçam o sentimento de pertencimento, além de constituírem uma cerimônia simbólica adequada para o desenvolvimento e reflexão de valores adotados por uma sociedade. 
São corretas apenas as afirmativas:
Nota: 20.0
	A	I e II
	B	I e III
	C	III e IV
	D	I, II e IV
Você acertou!
Comentário: A alternativa correta é a letra d). As afirmativas I, II e IV são corretas, pois se complementam e correspondem à noção de ritual defendida por Turner (texto-base Interpretando os símbolos do ritual cineclubista, p. 4,5). A alternativa III é incorreta, pois corresponde ao conceito de símbolo pensado por Turner: \u201co símbolo é uma coisa encarada pelo consenso geral como tipificando ou representando ou lembrando algo por meio da posse de qualidades análogas ou por meio de associações em fatos ou pensamentos\u201d (texto-base Interpretando os símbolos do ritual cineclubista, p. 6).
	E	II, III e IV
Questão 3/5 - Teorias do Cinema - ELETIVA
Leia o seguinte fragmento de texto: 
\u201cA produção cinematográfica brasileira foi intensificada durante os anos 1970 e 1980, graças à intensa e direta ação do Estado. Antes de tudo, porque o regime militar, dentro de seus princípios de centralização político-administrativa, instaurou um projeto de institucionalização cultural de extensão nacional\u201d. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: AMANCIO, Tunico. Pacto cinema-Estado: Os anos Embrafilme. <http://revistaalceu.com.puc-rio.br/media/Alceu_n15_Amancio.pdf>. Acesso em 25 abr. 2018. 
Considerando o fragmento de texto dado e conforme os conteúdos do texto-base Ascensão e queda do cinema brasileiro sobre a Empresa Brasileira de Filmes (Embrafilme), analise as seguintes assertivas e marque V para as asserções verdadeiras e F para as asserções falsas. 
I. ( ) A Embrafilme foi criada em 1969 com o objetivo de melhor distribuir os filmes brasileiros.
II. ( ) Em 1975, a Embrafilme foi reformulada pelo governo Geisel, passando a abranger as funções do Instituto Nacional do Cinema, que havia sido extinto.
III. ( ) A Embrafilme instituiu várias medidas protecionistas em grande parte relacionadas à obrigatoriedade de exibir filmes nacionais.
IV. ( ) Em 1990, a Embrafilme foi extinta pelo então presidente Fernando Collor de Mello.
 Agora, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:
Nota: 20.0
	A	V \u2013 V \u2013 V \u2013 F
	B	V \u2013 F \u2013 F \u2013 F
	C	F \u2013 F \u2013 V \u2013 V
	D	V \u2013 V \u2013 F \u2013 V
Você acertou!
Comentário: A alternativa correta é a letra d). As afirmativas I e II são verdadeiras, pois a Embrafilme foi criada em 1969 para \u201cpromover a distribuição dos filmes brasileiros em mercados estrangeiros [...] [e, em] \u201c1975, durante o governo Geisel, a Embrafilme foi reorganizada, absorvendo então as funções executivas do agora extinto INC\u201d (texto-base Ascensão e queda do cinema brasileiro, p. 36). A afirmativa III é falsa, pois corresponde às medidas protecionistas implementadas nos anos 30 no governo de Getúlio Vargas (texto-base Ascensão e queda do cinema brasileiro, p. 35). A afirmativa IV é verdadeira, pois a Embrafilme foi extinta, juntamente com o Concine e a Fundação Brasileira de Cinema, por Fernando Collor de Mello no início do seu governo (texto-base Ascensão e queda do cinema brasileiro, p. 32).
	E	F \u2013 V \u2013 F \u2013 V
Questão 4/5 - Teorias do Cinema - ELETIVA
Considere a seguinte citação: 
\u201cConhecido por ser um dos criadores do expressionismo alemão - caracterizado pela maquiagem carregada, a representação exagerada dos atores e o contraste entre luz e sombra - e por ter discutido a condição humana em seus filmes, além da modernidade, [Fritz] Lang variou do cinema silencioso alemão - com filmes consagrados como Metrópolis (1927), o filme mais caro da época, e A Morte Cansada (1921) - ao advento do cinema sonoro, ampliando o conceito de realismo com outro de seus filmes bastante conhecido, M - O Vampiro de Düsseldorf (1931)\u201d. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: CRUZ, Elaine Patrícia. Cineasta da condição humana e da modernidade, Fritz Lang