DP - Processo Civil Ord-Sum
27 pág.

DP - Processo Civil Ord-Sum


DisciplinaProcesso Civil Ordinário/sumário26 materiais533 seguidores
Pré-visualização9 páginas
UNIP \u2013 UNIVERSIDADE PAULISTA 
Abril de 2017
Graziele Fernanda Bonfim \u2013 T602AB-4
Processo Civil Ordinário/Sumário \u2013 955V
MÓDULO 1
Com relação ao sistema de apreciação da prova:
A - o juiz a apreciará livremente, devendo indicar, na sentença, os motivos que lhe formaram o convencimento. 
B - o laudo pericial vincula o juiz. 
C - a documental sempre prevalece sobre a testemunhal. 
D - o juiz a apreciará atendo-se exclusivamente às alegações das partes, devendo indicar, na sentença, apenas os dispositivos legais em que tiver se pautado. 
E - o juiz a apreciará atendo-se exclusivamente às alegações das partes, devendo indicar, na sentença, os motivos que lhe formaram o convencimento. 
JUSTIFICATIVA: LETRA A Art. 371. O juiz apreciará a prova constante dos autos, independentemente do sujeito que a tiver promovido, e indicará na decisão as razões da formação de seu convencimento. CPC ANTIGO - Art. 131. O juiz apreciará livremente a prova, atendendo aos fatos e circunstâncias constantes dos autos, ainda que não alegados pelas partes; mas deverá indicar, na sentença, os motivos que Ihe formaram o convencimento.
Em relação ao ônus da prova, é correto afirmar:·.
A - Pelo nosso sistema processual civil, as partes têm o dever, a obrigação legal da produção da prova, o autor quanto ao fato constitutivo de seu direito, o réu quanto ao fato desconstitutivo, modificativo ou extintivo do direito do autor.   
B - O ônus probatório incumbe apenas ao autor ou ao réu, não a terceiros que intervenham no processo.   
C - É nula a convenção que distribui de maneira diversa o ônus da prova quando recair sobre direito indisponível da parte ou quando tornar excessivamente difícil a uma parte o exercício do direito.   
D - O sistema processual civil pátrio só admite a inversão convencional da prova, mas não a inversão judicial ou legal.     
E - O sistema processual civil pátrio só admite a inversão judicial ou legal da prova, mas não a inversão convencional.   
 JUSTIFICATIVA: LETRA C. Iversão convencional - A nossa lei permite a iversão do ônus da prova, porém têm as suas exceções. Como preceitua o art. 373, § 3o A distribuição diversa do ônus da prova também pode ocorrer por convenção das partes, salvo quando: I - recair sobre direito indisponível da parte; II - tornar excessivamente difícil a uma parte o exercício do direito.
De acordo com o Código de Processo Civil, é correto afirmar:
A - A parte, que alegar direito municipal, estadual, federal, estrangeiro ou consuetudinário, provar-lhe-á o teor e a vigência, independentemente de determinação judicial.   
B - A parte, que alegar direito municipal, estadual, federal, estrangeiro ou consuetudinário, provar-lhe-á o teor e a vigência, se assim o determinar o juiz.   
C - O ônus da prova incumbe ao réu, quanto à existência de fato impeditiva, modificativa ou extintiva do seu direito.   
D - O ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato constitutivo do seu direito.     
E - n.d.a. 
JUSTIFICATIVA: LETRA D. Art. 369. As partes têm o direito de empregar todos os meios legais, bem como os moralmente legítimos, ainda que não especificados neste Código, para provar a verdade dos fatos em que se funda o pedido ou a defesa e influir eficazmente na convicção do juiz.
 \u201cArt. 373. O ônus da prova incumbe: II \u2013 ao réu, quanto à existência de fato impeditiva, modificativa ou extintiva do direito do autor.
4- No tocante ao objeto e ao ônus da prova, bem como a seus princípios gerais, considere os seguintes enunciados:  
I. Se o processo versar sobre direito disponível das partes, e se não for excessivamente difícil a qualquer delas o exercício do direito, poderão as partes convencionar a alteração das regras naturais de distribuição do ônus probatório.
II. O objeto da prova são os fatos, controvertidos ou não, relevantes para o julgamento do processo.
III. O princípio dispositivo é mitigado no que se refere à produção de provas, pois caberá ao juiz determinar, mesmo que de ofício, as provas necessárias à formação de seu convencimento.
IV. É princípio geral em relação à prova de que não é possível em nenhuma circunstância a prova de fato negativo, que se considera como diabólica. Estão corretos APENAS:
 
A - I e IV.   
B - II, III e IV.   
C - II e IV.   
D - I, III e IV.     
E - I e III.   
JUSTIFICATIVA: LETRA E. Art. 373. O ônus da prova incumbe: I - ao autor, quanto ao fato constitutivo de seu direito; II - ao réu, quanto à existência de fato impeditiva, modificativa ou extintiva do direito do autor. § 1o Nos casos previstos em lei ou diante de peculiaridades da causa relacionadas à impossibilidade ou à excessiva dificuldade de cumprir o encargo nos termos do caput ou à maior facilidade de obtenção da prova do fato contrário, poderá o juiz atribuir o ônus da prova de modo diverso, desde que o faça por decisão fundamentada, caso em que deverá dar à parte a oportunidade de se desincumbir do ônus que lhe foi atribuído.
5-Analise as proposições abaixo e, considerando o Código de Processo Civil, assinale a alternativa correta:
I - Há fatos incontroversos que dependem de prova.
II - Em princípio, é possível que as partes estabeleçam em contrato a inversão do ônus da prova, desde que o direito sobre o qual recaia o encargo probatório seja disponível e que tal inversão não torne excessivamente difícil a uma das partes o exercício do direito.
III - Incumbe a parte que alegar direito municipal, estadual, estrangeiro ou consuetudinário, o ônus de provar o teor e sua vigência, se assim o determinar o juiz.
IV \u2013 Incabível a produção de prova a respeito de direito.
V - Mesmo em relação a questões profissionais, sobre as quais se deve guardar sigilo, a parte deve prestar depoimento, ocasião em que será garantida a tramitação do processo sob segredo de justiça.
 
A - São verdadeiras as proposições I, II e III.   
B - São verdadeiras as proposições I, III e V.   
C - São verdadeiras as proposições II, IV e V.   
D - São verdadeiras as proposições II, III e IV.   
E - São verdadeiras as proposições I, IV e V. 
JUSTIFICATIVA: LETRA A. I - Há fatos incontroversos que dependem de prova. Art. 334. Não dependem de prova os fatos: I - notórios; II - afirmados por uma parte e confessados pela parte contrária; III - admitidos, no processo, como incontroversos; IV - em cujo favor milita presunção legal de existência ou de veracidade. II - Em princípio, é possível que as partes estabeleçam em contrato a inversão do ônus da prova, desde que o direito sobre o qual recaia o encargo probatório seja disponível e que tal inversão não torne excessivamente difícil a uma das partes o exercício do direito. Art. 333. O ônus da prova incumbe: I - ao autor, quanto ao fato constitutivo do seu direito; II - ao réu, quanto à existência de fato impeditiva, modificativa ou extintiva do direito do autor. Parágrafo único. É nula a convenção que distribui de maneira diversa o ônus da prova quando: I - recair sobre direito indisponível da parte; II - tornar excessivamente difícil a uma parte o exercício do direito. III - Incumbe a parte que alegar direito municipal, estadual, estrangeiro ou consuetudinário, o ônus de provar o teor e sua vigência, se assim o determinar o juiz. Art. 337. A parte, que alegar direito municipal, estadual, estrangeiro ou consuetudinário, provar-lhe-á o teor e a vigência, se assim o determinar o juiz.
6- Quanto à prova no processo civil, assinale a alternativa CORRETA:
 A - O ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato constitutivo do seu direito, e ao réu, quanto à existência de fato impeditiva, modificativa ou extintiva do direito do autor. É nula a convenção que distribui de maneira diversa o ônus da prova quando recair sobre direito disponível da parte.   
B - Na ausência de normas jurídicas particulares, o juiz aplicará as regras de experiência comum subministradas pela observação do que ordinariamente acontece e, ainda, as regras da experiência técnica, inclusive para os casos que dependeriam de exame pericial.