A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
67 pág.
Teoria da História (Questionário Completo)

Pré-visualização | Página 14 de 19

que apresenta corretamente os 
elementos definidos pelo autor como fundamentais para a identidade científica da história. 
 Somente crítica interna. 
 Somente crítica externa. 
 Contextualização. 
 Interpretação das fontes a partir da abordagem marxista. 
Certo A abordagem preocupada com o intertexto, com o intratexto e com o contexto. 
 
3a Questão 
O filósofo Russo Mikhail Bakhtin se dedicou a pensar o estatuto dos textos, destacando a sua importância para o 
conhecimento histórico. Assinale, entre as alternativas apresentadas abaixo, aquela que melhor apresenta a proposta 
analítica desenvolvida por Bakhtin. 
Os textos representam o modelo ideal de fontes histórica, pois a partir deles, o historiador consegue compreender 
a "verdade" do passado. 
 Os textos representam a única fonte histórica legítima, pois todas as outras podem levar o historiador ao erro. 
Certo Os textos precisam ser situados em uma rede de intertextualidade, pois todo texto é produto de um conjunto de 
circunstâncias específicas. 
 Os textos traduzem, única e exclusivamente, o funcionamento político de uma sociedade. 
 Os textos traduzem única e exclusivamente as estruturas sociais de uma sociedade. 
 
4a Questão 
"Pode-se afirmar que a micro-história foi um movimento de reação à história social, sobretudo aquela que seguia apenas 
aos moldes da história econômica. Essa metodologia representou uma reação, visando promover a discussão de temas aos 
quais as grandes narrativas haviam deixado de fora da história." Marque a alternativa abaixo que melhor explica o 
fragmento: 
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
Para a micro-história o individual é contraditório ao social por aquele possibilitar a apreensão de aspectos 
diferentes do último. 
A micro-história representou uma reação contra a história social inaugurada pelos Annales, pois estes ao 
trabalhavam com uma metodologia que incluía a política. 
Certo A micro-história possibilita, por meio do jogo de escalas de análise, a apreensão de aspectos que passariam 
despercebidos em escalas macroanalíticas, em análises estruturais, quantitativas e seriais. 
A micro-história não foge das generalizações, dos apegos a contextualizações e explicações, buscando uma análise 
macroscópia investigativa e criteriosa capaz de revelar fatos e personagens que outrora passariam desapercebidos 
 A micro-história, a partir da década de 60 passou a priorizar a narrativa dos grandes acontecimentos políticos. 
 
5a Questão 
De acordo com a investigação histórica na Micro-História, é correto afirmar que: 
Tem como preocupação apenas construir uma história do cotidiano das classes pobres, por isso a preferência pela 
micro-análise da sociedade. 
 Sua principal característica é a utilização de uma leitura histórica total. 
 Utiliza como recurso metodologia a ampliação do escopo de análise. 
Descarta a utilização de diversas fontes históricas em sua análise, dando preferência apenas as fontes oficiais 
políticas. 
Certo Defende uma delimitação temática extremamente específica por parte do historiador, inclusive em termos de 
espacialidade e de temporalidade, mas não se reduz apenas a isto. 
 
6a Questão 
Assinale a alternativa correta. 
Fontes de todos os tipos de suportes têm sido amplamente utilizadas pelos historiadores das últimas décadas, mas um tipo 
específico ocupa inegavelmente uma posição dominante no trabalho dos historiadores. São as chamadas fontes 
Certo Textuais 
 Imagéticas 
 Oficiais. 
 Imateriais 
 Arqueológicas 
 
7a Questão 
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
Em seu livro O Queijo e os Vermes, datado de 1976, o historiador Carlo Ginzburg analisa o cotidiano, a vida e o julgamento 
inquisitorial de um moleiro italiano conhecido como Menocchio, que foi perseguido pela Inquisição por disseminar suas 
ideias, consideradas heréticas, ao povo de sua aldeia. O autor buscou reconstruir a história do moleiro com base na análise 
dos documentos processuais que o condenaram à morte. Ao trabalhar com as fontes documentais do processo inquisitorial 
do moleiro, Ginzburg procura analisar as classes subalternas e acaba desenvolvendo uma hipótese sobre a cultura popular 
naquele período. Seu trabalho se insere em um ramo da história que passou a se desenvolver a partir da década de 1980 e 
se denomina: 
 História Cultural 
 História do Poder 
 Macro-história 
Certo Micro-história 
 História Social 
 
8a Questão 
Sobre a micro-história são feitas algumas afirmações: 
I - É uma prática metodológica que possibilita, por meio do jogo de escalas de análise, a apreensão de aspectos que 
passariam despercebidos em escalas macroanalíticas. 
II - A história oral é uma fonte importante empregada pela micro-história. 
III - Nega a possibilidade do diálogo entre antropologia e história na estrutura textual do trabalho historiográfico se opondo 
a perspectiva narrativa da história. 
São verdadeiras: 
 Apenas a III 
 I e III 
Certo I e II 
 II e III 
 I, II e III 
 
9a Questão 
"De facto, para os inquisidores, sempre tão profundamente desconfiado, qualquer pequena pista podia constituir um 
avanço considerável no sentido da verdade. Não é minha intensão afirmar que estes documentos são neutros ou 
transmitem informação objetiva. Devem ser lidos com o produto de uma inter-relação especial, em que há um 
desequilíbrio total das partes envolvidas. Para a decifrar, temos de aprender a captar, para lá da superfície aveludada do 
texto, a interação sutil de ameaças e medos, de ataques e recuos. Temos, por assim dizer, de aprender a desembaraçar o 
emaranhado de fios que formam a malha textual destes diálogos." 
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
O que Ginzburg deixa exposto nestas palavras: 
As fontes são os únicos materiais que possibilitam aos historiados chegarem a verdade, como elas são imparciais a 
história não se constitui como uma ciência. 
As fontes dos inquisitores são diferentes das tradicionalmente encontradas, por isso estas não transmitem 
informações objetivas. 
As fontes preservadas não dão conta dos amplos setores subalternos sendo possível reconstruir através delas 
somente parte da realidade. 
Certo As fontes são marcadas pelas relações de poder nas quais foram criadas, são produtos do tempo e do lugar onde 
foram produzidas possuindo intensões específicas. 
As fontes nada mais são do que um discurso que enuncia um lugar de poder por isso o historiador não deve 
acreditar na sua imparcialidade. 
 
Aula 08 - HISTÓRIA ORAL, MEMÓRIA E BIOGRAFIA 
1a Questão 
Qual das alternativas define o trabalho de um pesquisador em história social que declara que escreve uma história vista de 
baixo? 
 É uma pesquisa elaborada sem vínculos institucionais, trata-se normalmente de sanar questões pessoais. 
É uma pesquisa que trabalha exclusivamente com os setores subalternos, buscando as ideologias e os líderes que 
os compunham. 
É um pesquisa que usa como fontes relatos elaborados por pessoas ligadas aos setores mais carentes da sociedade 
pesquisada. 
 É uma pesquisa que se debruça sobre áreas periféricas, pensando relações globais de integração e exploração. 
Certo É uma pesquisa construída a partir da vida das pessoas comuns, pensando suas estratégias e diálogos com amplos 
setores sociais como a comunidade e o Estado. 
 
2a Questão 
Para o historiador Pierre Nora, os lugares de memória são interpretados como: lugares materiais onde a memória social se 
ancora e pode ser apreendida pelos sentidos; lugares funcionais porque tem ou adquirirem a função de alicerçar memórias 
coletivas e são lugares simbólicos onde essa memória coletiva se expressa e se revela. São, portanto, lugares carregados 
de uma vontade de