A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Apanhadão de libras

Pré-visualização | Página 8 de 9

aluno e trabalhando com 
eles a mesma metodologia aplicada aos ouvintes (ROSA e ARAUJO, 2012). Trabalhando na 
perspectiva dos ouvintes que adquirem a língua portuguesa como primeira língua as crianças 
surdas ficaram excluídas deste processo uma vez em que a construção da escrita passa pelas 
hipóteses visuais de escrita e não pelas orais auditivas como nas crianças ouvintes. Diante disto, 
pode-se afirmar que as propostas educacionais que visem uma inclusão real do aluno surdo no 
ambiente escolar devem ter por finalidade: 
A) Desenvolvimento de suas capacidades linguísticas na língua de sinais bem como obter contato 
e aprendizagem da língua portuguesa. 
 
149- Semelhantemente as línguas orais, a Libras é dotada de uma gramatica composta por itens 
lexicais, que se estruturam a partir de mecanismos morfológicos, sintáticos e semânticos, os 
quais, embora apresentem especificidade, seguem também princípios básicos gerais. Morfologia 
é o estudo da estrutura interna das palavras ou dos sinais, assim como das regras que 
determinam a formação de determinado sinal. Analisando a estrutura interna dos sinais, Stokoe 
(1965) registrou os primeiros parâmetros da língua de sinais americana. Posteriormente, outros 
linguistas identificaram mais dois parâmetros formacionais das línguas de sinais. ldentifique a 
alternativa que contempla os parâmetros de formação do sinal. 
c) - Configuração de mão, ponto de articulação, expressões faciais/corporais, orientação da 
palma, movimento. 
 
150- Identifique as palavras abaixo nas alternativas a seguir, de acordo com a ordem que são 
apresentadas: 
 
 
c) – I-Amigo, II- Vida, III- Saudade, IV- Prato 
 
151- Após o reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais pela Lei 10.436/02 regulamentada 
pelo Decreto 5626/05 foram implantados diferentes atendimentos especializados para os alunos 
surdos, entre eles: 
I. Intérprete de Libras/língua portuguesa 
II. Instrutor surdo de Libras 
III. Apoio educacional especializado 
IV. Professores especialistas 
V. Classes bilíngues na educação Básica 
Relacione os itens da coluna acima à função de cada profissional ou serviço descrito na coluna 
abaixo dentro de um contexto bilíngue 
( ) Atendimento aos alunos surdos matriculados nas classes regulares no contra-turno. 
( ) Profissional responsável pelo ensino e difusão da língua de sinais no ambiente escolar. 
( ) Profissional ouvinte fluente nas duas línguas (de sinais e língua portuguesa) responsável pela 
acessibilidade do surdo. 
( ) Profissional formado a nível de especialização em educação especial proficiente na língua de 
sinais. 
( ) Atendimento em salas exclusivas de surdos que tenham a língua de sinais como língua de 
instrução e comunicação. 
C) III, II, I, IV e V. 
 
152- [...] O reconhecimento da Língua de sinais traz impactos significativos na vida social e 
política da Nação brasileira. O provimento das condições básicas e fundamentais de acesso a 
Libras se faz indispensável. Requer o seu ensino, a formação de instrutores e intérpretes, a 
presença de intérpretes nos locais públicos e a sua inserção nas políticas de saúde, educação, 
trabalho, esporte e lazer, turismo e, finalmente, o uso da Libras pelos meios de comunicação e 
nas relações cotidianas entre pessoas surdas e não-surdas [...] 
(Extraído do texto: ” Língua Brasileira de Sinais: Uma conquista Histórica” – SENADO FEDERAL, 
Brasília – DF, 2006.) 
De acordo com o texto acima a acessibilidade do surdo dar-se-á em diferentes esferas e níveis 
sociais através do intérprete de língua de sinais. A lei que regulamenta a profissão do intérprete 
de Libras é a Lei nº 12.319/10. A atividade de interpretação ocorre em diversos locais, instituições 
religiosas, congressos, reuniões, instituições públicas e privadas, entre outros. 
Para o exercício da profissão de intérprete de língua de sinais, são necessários três requisitos 
básicos a saber: 
B) Conhecimento sobre a surdez, proficiência na língua de sinais e bom nível cultural. 
 
153- ldentifique a alternativa que corresponde a tradução do sinal abaixo: 
 
C) Nome 
 
154- A Libras (Língua Brasileira de Sinais) é a língua utilizada com o meio de comunicação pelas 
pessoas surdas no Brasil segundo a Lei 10.436101. Trata-se de uma língua que não é universal 
com alto grau de expressividade e complexidade que possui os mesmos níveis linguísticos das 
línguas orais. Cada país possui a sua própria língua de sinais, como por exemplo: (ASL) Língua 
de Sinais Americana, (LSF) Língua de Sinais Francesa, (LSE) Língua de Sinais Espanhola, (LSI) 
Língua de Sinais Italiana, dentre outros. Algumas características diferem as línguas orais das 
Iinguas de sinais e a principal é a modalidade: as primeiras constituem-se em uma modalidade 
oral-auditiva, enquanto as segundas constituem-se em qual modalidade? 
d) - Modalidade gestual-visual pois a forma de emissão são os gestos das mãos e de recepção a 
visão. 
 
155- A fonologia das línguas de sinais estuda as configurações e os movimentos dos elementos 
envolvidos na produção dos sinais. Os estudos linguísticos apontam que na execução do sinal um 
parâmetro é indispensável. O quadro abaixo representa algumas possibilidades de uso deste 
parâmetro. Qual é este parâmetro e qual a sua função dentro do sinal? Observe o quadro abaixo 
e responda: 
 
a) Configuração da mão que corresponde aos diferentes formatos das mãos na execução de um 
sinal. 
 
156- Mapeando as provas de concursos públicos para intérprete de Libras em vários estados 
Brasileiros Camargo (2012) constatou que os conhecimentos sobre o vocabulário da Libras 
somam em média 45% dos conhecimentos exigidos na parte específica da prova. Este fato 
comprova que dominar apenas o vocabulário da Língua de Sinais não traz ao intérprete 
competência linguística para atuar na tradução/interpretação da Libras para o português. A atual 
legislação que regulamenta a educação bilíngue prevê a garantia aos surdos de novas formas de 
avaliação e acesso a concursos e processos seletivos que considerem sua especificidade 
linguística. Dessa forma ao corrigir uma redação de um candidato surdo o avaliador deve levar 
em consideração: 
 
a) Que a escrita para o surdo é uma segunda língua devendo levar em conta o conteúdo (aspecto 
semântico) e não apenas os erros gramaticais e ortográficos. 
 
157- Os sinais apresentam diferentes parâmetros na constituição do sinal. Podemos observar nas 
figuras abaixo que não há repetição de nenhum parâmetro que seja comum a todos os sinais. 
Assinale a alternativa que corresponde respectivamente à tradução em português dos sinais 
abaixo: 
 
c) I-ODIO, ll-HOJ E, lll-EDUCADO, lV-PALESTRA. 
 
158- A língua de sinais apresenta algumas especificidades linguísticas quando comparadas a 
língua portuguesa, como por exemplo, a marcação de gênero, número, grau, quantificação e 
tempo. As formas afirmativas, interrogativas e exclamativas em libras são representadas através 
das expressões faciais. Qual afirmativa descreve a forma afirmativa? 
E) A expressão facial é neutra. 
 
159- Observe a atividade abaixo: 
 
A atividade acima é parte de uma sequência didática do Projeto identidade proposto para uma 
classe bilíngue de alfabetização. No primeiro momento a professora trabalhou o concerto de sinal 
pessoal dos personagens (característica da comunidade surda), a escrita dos nomes no alfabeto 
manual para depois trabalhar a escrita dos mesmos em português. Ao contrário do que muitos 
professores imaginam o conhecimento da língua de sinais não é inato nas crianças surdas. A 
maioria das crianças surdas é filha de pais ouvintes e na maioria das vezes chega a escola sem 
contato com surdos ou com a língua de sinais. A atividade propõe associação dos personagens 
aos seus respectivos sinais e ao nome na língua de sinais para posteriormente o registro deste 
nome na língua portuguesa.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.