A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
contabilidade empresarial unidade 1

Pré-visualização | Página 4 de 8

deve requerer o 
benefício ao sindicato ou órgão gestor de mão-de-obra ao qual está 
vinculado. 
Casos estes trabalhadores estejam recebendo auxílio-
doença, aposentadoria por invalidez e aposentadoria por idade rural, devem 
realizar o seu requerimento no INSS. 
O mesmo vale para os demais aposentados, que também têm direito 
ao salário-família, caso tenham mais de 65 anos de idade, se homem, ou 60 
anos de idade, se mulher, e possuam filhos que se enquadrem nos critérios 
para a concessão. 
A tabela vocês podem consultar no site do INSS 
 
DESCONTOS 
 
Adiantamento de Salários 
São comuns acordos ou normas coletivas determinarem percentual 
de adiantamento de salário. O pagamento é feito num determinado dia do 
mês e descontado no momento do pagamento mensal. 
 
Faltas e atrasos 
É o desconto dos dias ou horas que efetivamente o empregado não 
compareceu e não apresentou nenhuma comprovação que autorizasse o 
pagamento. 
 
 
 
 
 
 
 
14 
 
 
Contribuição previdenciária 
 
É uma contribuição compulsória instituída pelo sistema da previdência 
social, onde todos os empregados estão sujeitos ao pagamento. O valor é 
descontado na folha de pagamento e recolhido, pela empresa, aos cofres 
públicos da União. Segue escalonamento com base na tabela divulgada pela 
Previdência Social, e sua base de cálculo é a remuneração recebida pelo 
empregado. O profissional deve acompanhar a divulgação dessa tabela, já 
que sofre alterações anuais. 
O pagamento é até o dia 15 do mês seguinte àquele a que se refere a 
contribuição 
A tabela de contribuição mensal poderá ser utilizada para consulta 
sobre as faixas de salários e respectivas alíquotas de incidência para o 
cálculo da contribuição a ser paga ao INSS. 
As categorias de empregado, empregado doméstico e trabalhador 
avulso possuem faixas e alíquotas distintas das de contribuinte individual e 
facultativo. 
TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DOS SEGURADOS EMPREGADO, EMPREGADO 
DOMÉSTICO E TRABALHADOR AVULSO, PARA PAGAMENTO DE 
REMUNERAÇÃO A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2019. 
 
SALÁRIO-DE-
CONTRIBUIÇÃO 
(R$) 
ALÍQUOTA PARA FINS DE 
RECOLHIMENTO AO INSS 
até 1.751,81 8% 
de 1.751,82 até 
2.919,72 9% 
 
de 2.919,73 até 
5.839,45 11% 
 
 
 
 
Imposto de Renda Retido na Fonte 
 
Desconto compulsório determinado pelo governo sobre o rendimento 
assalariado. É escalonado de acordo com a tabela divulgada pela Receita 
Federal. Para compor a base de cálculo é permitida a dedução da 
contribuição à previdência social, dependentes e pensão alimentar integral. 
O profissional deve acompanhar a divulgação dessa tabela, já que sofre 
alterações anuais. 
Incide sobre a renda e os proventos de contribuintes residentes no 
País ou residentes no exterior que recebam rendimentos de fontes no Brasil. 
Apresenta alíquotas variáveis conforme a renda dos contribuintes, de 
forma que de menor renda não sejam alcançados pela tributação. 
 
 
15 
 
A base para o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) é a mesma 
utilizada para a apuração do INSS menos o desconto da contribuição 
previdenciária. Por exemplo, se o funcionário tem remuneração bruta de R$ 
3.200 — sobre a qual incide INSS de R$ 352 (11%) —, a base de cálculo do 
IRRF é R$ 2.848. 
Ainda antes de fazer a conta para chegar ao tributo devido, deve-se 
descontar R$ 189,59 do resultado obtido por dependente legal que o 
empregado tenha. Por exemplo, se o funcionário tem a base de R$ 2.848, 
que calculamos acima, e possui um filho menor de 14 anos, ela passa a R$ 
2.658,41. 
Depois, tendo a base real do imposto conhecida, pode-se identificar 
em que faixa de percentual ela se encaixa. 
 
 As faixas são as seguintes: 
 1ª faixa: 7,5% para bases de R$ 1.903,99 a R$ 2.826,65; 
 2ª faixa: 15% para bases de R$ 2.826,66 a R$ 3.751,05; 
 3ª faixa: 22,5% para bases de R$ 3.751,06 a R$ 4.664,68; 
 4ª faixa: 27,5% para bases a partir de R$ 4.664,69. 
Apurado o imposto de acordo com a alíquota da sua base de cálculo, 
um valor padrão é deduzido e reduz o imposto retido. Para cada percentual 
existe uma dedução definida, da seguinte forma: 
 1ª faixa: R$ 142,80; 
 2ª faixa: R$ 354,80; 
 3ª faixa: R$ 636,13; 
 4ª faixa: R$ 869,36. 
Exemplificando a apuração com a base do nosso exemplo acima, 
teríamos a seguinte conta: 
 R$ 2.658,41 x 7,5% = R$ 199,38; 
 R$ 199,38 – R$ 142,80 = R$ 56,58 de tributo retido. 
 
Contribuição Sindical 
 
É devida pelo empregado a contribuição de 1 dia de trabalho no 
exercício anual de sua atividade. O desconto ocorre, normalmente, no mês 
de março de cada ano, porém caso não tenha sido feito o desconto deverá 
ser feito no mês seguinte à admissão. 
 
Vale Refeição 
Caso a empresa forneça vale refeição ao empregado, cujo desconto é 
limitado a 20% do valor entregue. Não há lei que obrigue tal prática, salvo 
existindo acordo ou convenção coletiva. 
 A legislação geral (CLT) não prevê o vale refeição como direito 
obrigatório a todo empregado. 
Contudo, destacamos que o vale refeição ou o vale alimentação 
podem ser concedidos pela vontade do empregador como um “agrado” ou 
incentivo ao seus funcionários. Importante destacar que para não ser 
considerado salário, o empregador deverá se cadastrar no Programa de 
Alimentação ao Trabalhador – PAT e cumprir todas as suas determinações. 
 
 
16 
 
Caso o empregador esteja de acordo com as regras do PAT, o vale 
não é considerado salário e pode deixar de ser fornecido a qualquer 
momento. Estando em desacordo ou não se inscrevendo no PAT o 
empregador assume que o vale refeição tem natureza salarial e o mesmo 
não pode ser suprimido, pois como já vimos, direito concedido pelo 
empregador não pode ser suprimido. 
 
Vale Transporte 
 
É um benefício concedido por força de lei. 
Foi a Lei n.º 7.418 que instituiu o vale-transporte, porém, ele não era 
obrigatório. Com a alteração da Lei n.º 7.619, de 30 de setembro de 1987, 
assinada por José Sarney, tornou-se obrigatório a empresa custear o 
transporte do empregado. 
 O empregador pode descontar no máximo 6% do salário base, se o 
valor entregue for maior, caso contrário, deve descontar apenas o valor 
entregue. Ou seja, do trabalhador será descontado 6% do seu salário. Por 
exemplo, se o salário-base do empregado é R$ 1.000,00 será descontado 
R$ 60,00. E se total dos vales transporte forem inferiores a 6% da 
remuneração o valor descontado deve ser do total dos vales. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
17 
 
Exercício 1 
Com base nos dados abaixo, correspondentes à data do 
encerramento do período, o valor da provisão para férias e para encargos 
sociais sobre férias considerando que esses últimos correspondem, 
hipoteticamente, a 20% do total das férias provisionadas, são, 
respectivamente: 
 
Funcionários N° de Meses Salário-Mensal 
Pedro Silva 5 $ 1.200,00 
Marta Santos 14 $ 2.400,00 
 
A) R$ 2.000,00 e R$ 400,00 
B) R$ 3.600,00 e R$ 720,00 
C) R$ 4.400,00 e R$ 880,00 
D) R$ 3.300,00 e R$ 660,00 
E) R$ 4.800,00 e R$ 960,00 
 
 
Exercício 2 
Em novembro passado a folha de pagamento da empresa Rubi 
Vermelho Ltda. discriminava: 
 Salário e Ordenados: $ 120.000,00 
 Horas Extras trabalhadas: $ 8.000,00 
 INSS Patronal: 20% 
 SAT (Seguro Acidentes de Trabalho): Médio Risco 
 INSS do Empregado: 11% 
 FGTS do Empregado: 8% 
No mês de dezembro não foi computado nenhum reajuste salarial e a 
jornada de trabalho foi absolutamente igual ao mês anterior. Esta folha está 
dividida de tal modo que não há imposto de renda recolhido na fonte. 
 Exclusivamente a partir desses dados, considerando que a empresa 
acima encerra o exercício em 31 de dezembro, podemos afirmar que esta 
folha de pagamento

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.