A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
RELATÓRIO DA BRINQUEDOTECA CANTINHO DA MATEMÁTICA

Pré-visualização | Página 1 de 3

CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI 
 
 
Rodovia BR 470 - Km 71 - n
o
1.040 – Bairro Benedito – Caixa Postal 191 – 89130-000 – Indaial/SC 
Fone (47) 281-9000 – Fax (47) 281-9090 – Site: www.uniasselvi.com.br 
 
 
RELATÓRIO DA ATIVIDADE NA BRINQUEDOTECA 
 
 
 
Acadêmicos: Aline Nazário 
 Gabriela Campos Goulart 
 Indianara B.M.Esmeraldino 
 Jordana de Souza Galdino 
 Larissa Machado Firmiano 
 Viviane F. Brognoli 
 Sameyne Alves Gelmiro 
 
 
Ped: 2381 
 
 
Tutora:Rejane Constantino Barreto Machado 
 
 
Disciplina: Pedagogia da Educação Infantil 
 
 
A data da socialização: 09/10/2019 
 
 
Tema: Cantinho da Matemática 
 
 Introdução 
 
 O homem na antiguidade utilizava a Matemática para organizar a sociedade. 
Como exemplo, pode-se citar a construção das pirâmides, para a agricultura e 
astronomia. Com os egípcios, houve avanço de conceitos e que hoje está 
presente em várias áreas, em diversas circunstâncias cotidianas, como o nosso 
número de telefone, nosso peso e altura, entre outras situações, em que 
recorremos ao sistema numérico. 
 A Matemática é sem dúvida, uma ciência interdisciplinar, abstrata e exata. 
Com isto, a criança precisa compreender não só o sistema numérico, mas seus 
signos e símbolos, que devem fazer sentido para ela. Para a maioria das 
crianças, a Matemática ainda é um desafio e há certa intolerância a essa 
 
 
disciplina na escola, por acreditar-se que é uma ciência de difícil compreensão, 
estigma esse, que vem sendo passado de geração para geração. 
Justifica-se o ensino da matemática pela sua utilidade prática e por suas 
características para a escolha de algumas profissões. Constata-se um ensino 
de regras mecanizadas, o que não favorece o raciocínio lógico. As aulas de 
Matemática, no geral, são ministradas sem sentido para a criança e deve ser 
aplicada em um ambiente livre de ruídos, visando que os diálogos são 
prejudiciais à aprendizagem do conteúdo que vem por meio da memorização e 
fixação das regras, o que traz para a maioria dos alunos, um desmotivador e 
torna a disciplina maçante e de difícil entendimento. 
 É preciso que o educador busque formas de alfabetizar seus alunos com 
relação à Matemática de forma prazerosa e desafiadora, considerando que as 
tecnologias mudam em um ritmo acelerado e as crianças estão cada vez mais 
envolvidas com elas. Pode-se dar como sugestão, inserir o lúdico com a 
possibilidade de promover o pensamento matemático nos alunos, aguçando 
sua curiosidade pelas questões que envolvam sua realidade e o mundo dos 
símbolos numéricos. 
 A introdução dos jogos na alfabetização matemática, faz-se como forma de 
provocar os alunos a ter consciência da inter-relação das operações lógicas 
com as situações cotidianas da criança em seu ambiente sociocultural, 
facilitando a desmitificação da disciplina que é tida como sendo de difícil 
ensino-aprendizagem. 
 
 O ensino de Matemática em uma nova perspectiva 
 
 Hoje, o ensino da Matemática exige muitas capacidades e competências das 
crianças, sendo assim, devem ter habilidades para resolver problemas e 
raciocinar de forma lógica. 
 A aprendizagem da criança na Matemática não se dá por memorização, 
repetição ou exercitando, apenas. A criança não constrói o pensamento 
matemático somente decorando números e os comparando, mas também com 
exercícios que interagem com a sua realidade social. Isto porque, é importante 
que a criança reconheça a Matemática no seu cotidiano e perceba as relações 
que essa ciência estabelece com outras áreas do conhecimento. O ambiente 
em que ela está inserida deve ser propício ao ensino da Matemática. 
 O espaço em que a criança vivencia sua aprendizagem na sala de aula tem 
que ser reconhecido pelos alunos como um instrumento alfabetizador. Como a 
colocação de objetos e materiais que as crianças possam manipular de forma 
espontânea ou em atividades direcionadas, auxilia a construção da autonomia 
e significado numérico, como calendários, varal de atividades, relógios, jogos, 
entre outros. 
 O ambiente alfabetizador deve ser constituído de muitos materiais e 
 
 
atividades que proporcionam uma rica aprendizagem no campo do 
conhecimento, pois, com isso, as crianças podem se desenvolver 
cognitivamente, socialmente, afetivamente e fisicamente. 
 O docente deve trazer para a sala de aula a vivência da criança e planejar 
suas atividades relacionadas ao ensino de Matemática; isso proporciona a ele 
trabalhar diversas práticas metodológicas, a fim de possibilitar a construção da 
autonomia e do raciocínio lógico. 
 O ensino da matemática deve proporcionar à criança na fase de 
alfabetização, sua própria forma de raciocinar, por isso o professor deve intervir 
utilizando-se do erro da criança como construção de conhecimento, 
identificando como ela chegou ao resultado do problema proposto. Por meio de 
quantificações e comparações, o mundo da criança vem se constituindo 
ludicamente. Já as atividades em grupo, na sala de aula, ajudam o aluno a ver 
como existem diversas maneiras de interpretar o sistema numérico. Os jogos 
podem ser importantes aliados na aprendizagem da Matemática, pois 
encorajam os alunos ao raciocínio lógico, interação e discussão sobre as 
formas de jogar e os resultados obtidos. 
 
 Cantinho da Matemática 
 
 A organização e criação de um canto na rotina da Educação Infantil, atende 
de forma dinâmica e a amplia a vivência cultural e social do aluno . 
Portanto, um trabalho com autonomia na organização das rotinas é capaz de 
proporcionar uma aprendizagem eficaz. E é na Educação Infantil, que cabe ao 
docente e a escola oferecer esse processo, visando atender as diversidades 
com compromisso e qualidade, numa visão de busca de novos horizontes para 
o aluno. 
 Por meio das pesquisas consultadas, confirma-se a relevância e o papel do 
lúdico, e também, delimita de forma mais clara e objetiva, a necessidade e a 
importância da organização dos espaços para o bom desenvolvimento e 
aprendizagem das crianças. A organização de um canto é uma proposta 
didática ainda não muito praticada em nosso país. A formação de um cantinho 
favorece a estruturação da personalidade da criança e se torna um ambiente 
atrativo e propício para uma a aprendizagem significativa. 
Oferecer um ambiente lúdico possibilita oportunidades para a criança 
desenvolver sua criatividade e interagir com o mundo em que ela vive. 
 A organização de um ambiente no desenvolvimento infantil deverá estar 
relacionada a concepção educacional, do espaço, com brincadeiras e 
experiências ricas de aprendizagem, oferecendo à criança a possibilidade para 
a construção de sua identidade pessoal, fazendo com que ela desenvolva o 
seu próprio conhecimento, tendo autonomia para escolher onde e com quem 
quer brincar, criando situações imaginarias, interagindo com o ambiente e com 
 
 
os coleguinhas, aprendendo a compartilhar o espaço proposto e a construir 
suas próprias opiniões. 
 O ambiente deve ser bem organizado e pensado, pois é fundamental para 
promover uma aprendizagem qualitativa, pois é a organização que constituiu e 
reflete quem vive no ambiente. Sendo assim, é importante que os espaços 
escolares sejam organizados de maneira adequada e bem clara para que 
possibilitem à criança: autonomia, interação, motivação, equilíbrio, sensações, 
descontração e experiências positivas. 
 O “Cantinho da Matemática” visa valorizar e despertar tanto no 
Professor/alfabetizador como no aluno a produção criativa a partir da realidade 
local, possibilitando o trabalho com conceitos básicos da Matemática, de 
maneira lúdica e prazerosa,