IMUNIZAÇÃO
14 pág.

IMUNIZAÇÃO


DisciplinaClínica em Pedriatria20 materiais78 seguidores
Pré-visualização1 página
IMUNIZAÇÃO
Por: Giselle Barcellos Oliveira Koeppe
Cabo Frio
2017
PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO (PNI)
O PNI foi criado em 1973, pelo Ministério da Saúde, com o objetivo de diminuir a 
morbidade e mortalidade de doenças imunopreveníveis, como por exemplo: 
tuberculose, coqueluche, difteria, tétano, poliomielite e sarampo. 
BASES IMUNOLÓGICAS
IMUNIZAÇÃO é o processo que fornece proteção (imunidade) ao organismo através
de anticorpos de ação específica contra os agentes infecciosos causadores de
doenças.
IMUNIDADE é a proteção contra doenças e infecções que podem atacar o organismo.
Assim, a imunidade consiste num conjunto de mecanismos que defendem o corpo de
agentes infecciosos invasores.
BASES IMUNOLÓGICAS
A imunidade pode ser adquirida de modo ativo ou passivo.
Na imunidade ativa, o organismo adquire a capacidade de produzir anticorpos contra
determinado agente infeccioso.
Essa capacidade pode ser adquirida de maneira natural ou artificial.
A imunidade ativa naturalmente adquirida ocorre pelo contágio com o agente
infeccioso pelo desenvolvimento da doença.
A imunidade ativa artificialmente adquirida ocorre pela aplicação de vacinas.
Na imunidade passiva, o organismo recebe os anticorpos específicos já prontos.
Esta também pode ser natural ou artificial.
Na imunidade passiva naturalmente adquirida os anticorpos são obtidos pela
transferência de mãe pra filho, pela placenta e leite materno.
Na imunidade passiva artificialmente adquirida os anticorpos são obtidos pela
administração de soro e imunoglobulinas.
BASES IMUNOLÓGICAS
VACINAÇÃO
A vacina é o recurso pelo qual pode se desenvolver artificialmente a imunidade ativa. 
VACINAÇÃO
As vacinas são substâncias produzidas a partir de antígenos (vírus ou bactéria) 
inativados ou atenuados, ou pelo produto de antígenos (toxinas), cuja finalidade é 
induzir, no receptor, um estado imunitário específico, protetor e duradouro. 
As vacinas são capazes de induzir imunização ativa.
VACINAÇÃO
ASSOCIAÇÃO DE VACINAS
Vacinação Combinada \u2013 quando dois ou mais agentes são administrados em uma
mesma preparação.
Vacinação Simultânea \u2013 quando várias vacinas são administradas em diferentes
locais ou por diferentes vias.
VACINAÇÃO
TIPOS DE VACINAS
Atenuada \u2013 é aquela em que o agente infeccioso encontra-se vivo porém, sem
capacidade de produzir a doença. Ex: sarampo
Inativada \u2013 É usado agente infeccioso morto. Ex: tétano.
Conjugada \u2013 A vacina é turbinada com proteína, tornando a resosta do organismo
mais potente. Ex : Pneumocócica 10 e meningocócica C.
Recombinante \u2013 Usa vírus geneticamente modificados, manipulados semelhantes
aos que nos atacam, mas que jamais provocam a doença.
Ex: hepatite B.
VACINAÇÃO
CONTRA-INDICAÇÕES GERAIS
As vacinas de microorganismos vivos atenuados não devem ser administradas a:
\uf071 Indivíduos com imunodeficiência congênita ou adquirida;
\uf071 indivíduos acometidos por neoplasia maligna;
\uf071 Indivíduos em tratamento com corticosteroides em doses altas por mais de 2
semanas ou submetidos a outras terapias imunodepressoras, como quimioterapia,
radioterapia, etc;,
\uf071 Gestantes, exceto em situações de alto risco de exposição, como a febre amarela.
VACINAÇÃO
FALSAS CONTRA-INDICAÇÕES
\uf071 Tosse, coriza, diarreia, doenças de pele;
\uf071 História e/ou diagnósticos clínicos pregressos da doença, no que diz respeito à
aplicação das vacinas;
\uf071 Desnutrição;
\uf071 Uso de qualquer antimicrobiano;
\uf071 Vacinação contra a raiva;
\uf071 Doença neurológica pregressa ou estável;
\uf071 Alergias (exceto as que se relacionam com os componentes vacinais);
\uf071 Tratamentos curtos e/ou em doses curtas ou moderadas com corticosteroides;
VACINAÇÃO
FALSAS CONTRA-INDICAÇÕES
\uf071 Prematuridade e baixo peso ao nascer (exceto a vacina BCG);
\uf071 Internação hospitalar .
VACINAÇÃO
ADIAMENTO DA VACINAÇÃO
\uf071 Até 3 meses após o tratamento com imunossupressores ou com corticosteróides
em dose alta.
\uf071 Após transfusões sanguíneas, pois os anticorpos podem neutralizar o efeito
vacinal. Deve-se aguardar 6 a 8 semanas para reiniciar o esquema de vacinação.
\uf071 Em doença aguda febril grave para que os sinais e sintomas da doença não sejam
atribuídos aos efeitos adversos da vacina.