6_DISTURBIOS DE CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO CELULAR E NEOPLASIAS
29 pág.

6_DISTURBIOS DE CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO CELULAR E NEOPLASIAS


DisciplinaPatologia Clínica517 materiais2.842 seguidores
Pré-visualização1 página
DISTÚRBIOS DO CRESCIMENTO E DA 
DIFERENCIAÇÃO CELULAR 
(ASSUNTO 06)
Prof. Katherinne Ferro Moura Franco
Especialista em Fisioterapia Musculoesquelética (ISCM-SP)
Especialista em Fisioterapia Esportiva (SONAFE) e Traumato-ortopédica (ABRAFITO)
Mestre e Doutorando em Fisioterapia (UNICID)
Fisioterapeuta da CBF e GERF
1) Crescimento
\u2022 Entendido como multiplicação celular responsável pela formação do conjunto de células
que compõe os indivíduos
2) Diferenciação
\u2022 Refere-se à especialização morfológica e funcional das células que permite o
desenvolvimento do organismo como um todo integrado
CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO 
CELULAR
CRESCIMENTO CELULAR
CRESCIMENTO CELULAR
CRESCIMENTO CELULAR
CRESCIMENTO CELULAR
DIFERENCIAÇÃO CELULAR
\u2022 Do ponto de vista replicativo, as células podem ser agrupadas em três grandes
categorias:
CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO 
CELULAR
CÉLULAS 
LÁBEIS
CÉLULAS 
ESTÁVEIS
CÉLULAS 
PERENES
\u2022 A replicação das células é estimulada por fatores de crescimento ou por
sinalização dos componentes da matriz extracelular
\u2022 Para alcançar a replicação e divisão do DNA, a célula passa por uma sequência
de eventos estreitamente controlados conhecido como ciclo celular
\u2022 O ciclo celular possui múltiplos controles, particularmente durante a transição
entre as fases G1 e S
\u2022 Esses controles incluem ativadores e inibidores, bem como sensores que são
responsáveis pelos pontos de controle.
CONTROLE DO CICLO CELULAR
\u2022 A população celular global de um indivíduo é mantida através da ação de
elementos que controlam tanto a taxa de multiplicação como a de sobrevivência
das células
\u2022 Fatores de crescimento polipeptídicos
\u2022 Produzidos por diferentes células
\u2022 Capacidade de estimular ou inibir a multiplicação celular
\u2022 Se ligam em receptores específicos, quase sempre localizados na membrana plasmática
REGULAÇÃO DO CRESCIMENTO 
CELULAR
Estimuladores Inibidores
\u2022 Alterações no sistema regulatório da divisão e diferenciação celular podem
resultar em distúrbios:
1) Do crescimento
2) Da diferenciação
3) Do crescimento e da diferenciação simultaneamente
CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO 
CELULAR
CONCEITOS APLICADOS EM 
PATOLOGIA
\u2022 A adaptação, lesão 
reversível ou morte 
celular podem ser 
considerados estágios de 
um dano progressivo
CONCEITOS APLICADOS EM 
PATOLOGIA
\u2022 A adaptação, lesão 
reversível ou morte 
celular podem ser 
considerados estágios de 
um dano progressivo
1) Alterações do volume celular
\u2022 Quando uma célula sofre estímulo acima do normal, aumentando a síntese de
seus constituintes básicos e seu volume, tem- se a hipertrofia
\u2022 Se a célula sofre agressão que resulta na diminuição da sua atividade, ela fica
com menor volume, chamada hipotrofia/atrofia
CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO 
CELULAR
2) Alterações da taxa de divisão celular
\u2022 Aumento na taxa de divisão celular acompanhado de diferenciação normal,
chamada de hiperplasia
\u2022 A diminuição na taxa de proliferação celular é chamada de hipoplasia
\u2022 A ausência na proliferação celular é denominada como aplasia
CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO 
CELULAR
3) Alterações da taxa de diferenciação celular
\u2022 Quando as células de um tecido modificam seu estado de diferenciação celular,
tem-se a metaplasia
CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO 
CELULAR
\u2022 Transformação 
metaplásica do epitélio 
escamoso estratificado do 
esôfago para epitélio 
escamoso. 
4) Alterações do crescimento e da diferenciação celular
\u2022 Se há proliferação celular e redução ou perda da diferenciação, fala-se em
displasia
\u2022 Displasia brônquica gerada pelo cigarro ou Displasia do colo do útero gerada pelo vírus
HPV
\u2022 A proliferação celular autônoma, geralmente acompanhada de perda de
diferenciação, é chamada de neoplasia
CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO 
CELULAR
\u2022 Resultam do desequilíbrio na replicação celular dentro dos níveis homeostáticos.
\u2022 Uma das características principais é a PROLIFERAÇÃO CELULAR
DESORDENADA
\u2022 Neoplasia Displasia
Hiperplasia
NEOPLASIAS
\u2260
Autonomia na proliferação celular
Sofre alteração nos seus 
mecanismos regulatórios da 
multiplicação, adquire 
autonomia de crescimento e 
se torna independente de 
controles externos
\u2022 Divisão rápida e descontrolada das células
\u2022 Acúmulos de novas mutações a cada divisão
\u2022 Mudanças morfológicas, fisiológicas e comportamentais das células que
sofreram as mutações
PROPRIEDADES DAS NEOPLASIAS
PROPRIEDADES DAS NEOPLASIAS
\u2022 Predisposição genética
\u2022 São raros os casos de cânceres que se devem exclusivamente a fatores hereditários,
familiares e étnicos, apesar de o fator genético exercer um importante papel na
oncogênese
\u2022 Fatores ambientais
\u2022 Tabagismo
\u2022 Hábitos alimentares
\u2022 Alcoolismo
\u2022 Hábitos sexuais
\u2022 Medicamentos
\u2022 Fatores ocupacionais
\u2022 Radiação solar
CAUSAS DAS NEOPLASIAS
1) Benigna
\u2022 Geralmente não são letais nem causam sérios transtornos para o hospedeiro
\u2022 Podem evoluir durante muito tempo e não colocam em risco a vida de seu portador
2) Maligna
\u2022 Em geral têm crescimento rápido e muitas provocam perturbações homeostáticas
graves que acabam levando o paciente a morte
CATEGORIAS DE NEOPLASIAS
CATEGORIAS DE NEOPLASIAS
CATEGORIAS DE NEOPLASIAS
Neoplasia Benigna Maligna
Taxa de crescimento Baixa Alta
Número de mitoses Raras Frequentes
Grau de diferenciação Alto Baixo
Atipias celulares Raras Frequente
Degeneração/ Necrose Ausente Presente
Tipo de crescimento Expansivo Infiltrativo
Cápsula Presente Geralmente ausente
Limites da lesão Bem definidos Imprecisos
Efeitos locais e sistêmicos Geralmente inexpressivos Expressivos e as vezes letais
Recidivas Em geral, ausente Presente
Metástases Ausente Presente
CATEGORIAS DE NEOPLASIAS
METÁSTASE
\u2022 Mudança de lugar, transferência
\u2022 É a formação de uma nova lesão tumoral a partir da primeira, mas sem 
continuidade entre as duas
\u2022 Envolve:
\u2022 Destacamento das células através da matriz extracelular
\u2022 Invasão de vasos linfáticos ou sanguíneos
\u2022 Sobrevivência das células na circulação
\u2022 Adesão ao endotélio vascular no órgão onde irão se instalar, saída dos vasos nesse 
órgão
\u2022 Proliferação no órgão invadido
\u2022 Indução de vasos para suprimento sanguíneo
VIAS DE DISSEMINAÇÃO DO 
TUMOR
\u2022 Via linfática
\u2022 Via sanguínea
\u2022 Canais, ductos ou cavidades naturais do organismo
\u2022 Movimentos das vísceras ou dos líquidos dessas cavidades 
NOMECLATURA
\u2022 O critério mais usado para dar nome a um tumor é a o histomorfológico, no qual 
a neoplasia é identificada pelo tecido ou célula que está proliferando
1. Sufixo \u2013 OMA é empregado para denominação de qualquer neoplasia, benigna ou 
maligna
2. A palavra CARCINOMA indica tumor maligno que reproduz epitélio de 
revestimento; se usada como sufixo, sempre indica malignidade (p. ex . 
adenocarcinoma)
3. O termo SARCOMA refere-se a uma neoplasia maligna mesenquimal; usado 
como sufixo, indica tumor maligno de determinado tecido (p. ex . fibrossarcoma, 
lipossarcoma)
4. A palavra BLASTOMA pode ser usada como sinônimo de neoplasia e, quan do 
empregada como sufixo, indica que tumor reproduz estrutura com características 
embrionárias (p. ex. nefroblastoma, neuroblastoma)
NOMECLATURA
\u2022 Teratomas \u2013 são tumores benignos ou malignos originados de células toti \u2013
ou multipotentes que se formam nas gônadas (testículos e ovários)
\u2022 Tumores mistos \u2013 são tumores nos quais há proliferação de mais de um 
tecido