CASOS CONCRETO DE DIREITO PROC DO TRABALHO I ( 2019) 1 A 15
9 pág.

CASOS CONCRETO DE DIREITO PROC DO TRABALHO I ( 2019) 1 A 15


DisciplinaDireito Processual do Trabalho I4.869 materiais58.979 seguidores
Pré-visualização4 páginas
CASOS CONCRETOS DE DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO I
CASO 01 (FGV /OAB) Um estudante de Direito, resignado pelo fato de sua mãe haver perdido uma causa trabalhista, estuda com afinco todos os contornos da lide, a doutrina e a jurisprudência correlatas durante um ano, findo o qual prepara uma ação rescisória, colhe a assinatura de sua mãe na peça e distribui a ação no prazo legal. Considerando a situação retratada e o entendimento consolidado do TST, responda aos itens a seguir. 
A) Analise a viabilidade da demanda proposta, justificando em qualquer hipótese. 
NÃO É POSSIVEL JUS POSTULANDI NA AÇÃO RESCISÓRIA DIANTE DE VEDAÇÃO EXPRESSA DA SUMULA. A PROCURAÇÃO TEM QUE SER EXPECIFICA PRECISANDO DE UM ADVOGADO.
SÚMULA 425, TST-> O jus postulandi das partes, estabelecido no art. 791 da CLT, limita-se às Varas do Trabalho e aos Tribunais Regionais do Trabalho, não alcançando a ação rescisória, a ação cautelar, o mandado de segurança e os recursos de competência do Tribunal Superior do Trabalho.
B) Se a mãe do estudante contratasse um(a) advogado(a) para ajuizar a ação rescisória, como se daria a concessão dos honorários advocatícios sucumbenciais? 
JÁ ESTA PREVISTO OS HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS , ART 791, CLT , FIXADO ENTRE MINIMO DE 5% E O MAXIMO 15% SOBRE O VALOR QUE RESULTAR DA SENTENÇA.
OBJETIVA (INAZ-PARÁ 2018) Situação Hipotética: Maurício ajuizou reclamação trabalhista contra a empresa Panos e Pratos Ltda, pleiteando o pagamento de horas extras e dano moral. Foi expedida citação para a empresa reclamada, pelo correio, porém a entrega foi em endereço errado e distinto da sede da Panos e Pratos Ltda. Contudo, a reclamada, em audiência, apresentou defesa e juntou documentos. Após regular instrução do processo, o magistrado condenou a empresa a pagar todos os pedidos contidos na Petição Inicial. Acerca do caso, pode-se considerar:
E) Pelo princípio do contraditório, a falha na citação é sanada pelo comparecimento espontâneo da reclamada.
CASO 02 Iolanda é oficial de justiça no TRT de uma determinada região e, por conta do acúmulo de serviço, está com uma grande quantidade de mandados de citação para cumprir. Convicta de que não conseguiria realizar o serviço no tempo adequado, Iolanda resolveu pedir ajuda a um técnico judiciário amigo seu que atua em uma Vara do Trabalho. Para tanto, repassou para o técnico em questão metade dos mandados que estavam em seu poder, para que ele os cumprisse e informasse o resultado, de modo que Iolanda certificasse posteriormente. Analisando a legislação em vigor e as atribuições do Oficial de Justiça, responda se a atitude de Iolanda está correta. Fundamente. 
 POR FORÇA DO ARTIGO 791 CLT, A ATITUDE DA OFICIAL DE JUSTIÇA ESTÃO EQUIVOCADOS JÁ QUE TODOS OS MANDADOS DEVEM SER CUMPRIDOS POR ELA.
QUESTÃO OBJETIVA Marque a alternativa CORRETA. O Tribunal Superior do Trabalho é composto por: 
c)27 (vinte e sete) ministro com mais de 35 (trinta e cinco) anos e menos de 65 (sessenta e cinco) anos de idade, nomeados pelo Presidente da República após aprovação da maioria absoluta do Senado Federal. 
CASO 03
Caio sofreu acidente do trabalho em julho de 2003, razão pela qual ajuizou ação de indenização por danos morais e patrimoniais contra sua empregadora, perante a Justiça comum, que possuía competência para processar e julgar a ação na época. Ocorre que, com a Emenda Constitucional (EC) 45, de 8/12/2004, a referida ação foi enviada para a Justiça do Trabalho, ainda na fase de instrução probatória, com laudo médico pericial que concluiu que Caio sofreu sequelas graves que o tornaram incapaz para a mesma função que exercia. O réu está inconformado, tendo em vista que acredita que a Justiça Comum é preventa e competente neste caso concreto. Analisando a legislação em vigor, responda, justificadamente, qual a Justiça competente em razão da matéria para julgar esta demanda? 
A JUSTIÇA DO TRABALHO DE ACORDO COM A SUMULA VINCULANTE 22 STF, COM A AÇÃO DE CAIO AINDA NÃO TEVE DECISÃO DE MÉRITO A JUSTIÇA COMPETENTE É A JUSTIÇA DO TRABALHO.
QUESTÃO OBJETIVA João foi admitido nos quadros funcionais da empresa X Ltda. em 08.12.2017, para exercer a função de operador de produção, tendo sua CTPS assinada no prazo previsto pela legislação trabalhista, além de a empresa ter obedecido aos demais comandos legais para que João se tornasse beneficiário da Previdência Social. No dia 05.04.2019, João sofreu acidente de trabalho ao operar uma máquina por ausência de manutenção por parte de sua empregadora. João ficou com o seu braço direito sequelado. Imediatamente, ajuizou reclamação trabalhista junto a uma das varas do trabalho do local da prestação de serviços, postulando indenização por danos morais em desfavor da empresa X Ltda. Sobre esse caso, assinale a alternativa CORRETA. 
e)A Justiça do Trabalho é competente para processar e julgar a demanda somente em relação ao pedido de danos morais, por força do que dispõe a Súmula Vinculante 22, oriunda do Supremo Tribunal Federal.
CASO 04
"Maria, residente na cidade de Piracicaba, foi contratada na cidade de Indaiatuba para trabalhar como agente comercial de uma empresa de seguros cuja sede é na cidade de São Paulo. Maria estava subordinada à filial de cidade de Campinas. Maria prestava seu labor deslocando-se na venda de seguros entre as cidades de Hortolândia, Americana e Sumaré. Encerrado o contrato de trabalho por culpa da empresa, Maria poderá pleitear judicialmente suas verbas rescisórias. Considere que, em todas as cidades citadas neste hipotético enunciado, existe Vara Especializada da Justiça do Trabalho?. Em regra, em qual cidade com sua respectiva Vara do Trabalho será competente para Maria ajuizar sua Reclamação Trabalhista? A COMPETÊNCIA DA AGENCIA OU FILIAL, UMA DAS VARAS DE TRABALHO EM CAMPINAS O QUE ELA ESTAVA SUBORDINADA. CASO ELA NÃO TIVESSE AFILIADO A NENHUMA FILIAL SERÁ A LOCALIDADE DO DOMICÍLIO DELA.
QUESTÃO OBJETIVA (CS-UFG 2017) R. S., nascido em Salvador BA e residente em Caldas Novas GO, celebrou na cidade de Itumbiara GO um contrato de trabalho com a empresa Lua Cheia, com sede no município de São Luiz dos Montes Belos GO, para trabalhar na cidade de Porangatu GO. A Consolidação das Leis do Trabalho estabelece regras claras quanto à competência territorial a ser observada em possíveis conflitos de interesses exsurgidos da relação de emprego. Nesses termos, considerando o caso relatado,
 A) O juízo da Vara do Trabalho da cidade de Porangatu, local da prestação de serviço, será competente para processar e julgar a lide decorrente da relação empregatícia.
CASO 05
João ingressou com reclamação trabalhista em face da empresa X e empresa Y. As empresas rés possuem advogados distintos. O pleito eram horas extraordinárias e reflexos legais e a empresa Y como responsável subsidiária. Após a instrução probatória a ação judicial foi julgada procedente. Inconformada, a empresa X ingressou com recurso ordinário no oitavo dia útil e a empresa Y ingressou com recurso ordinário no décimo sexto dia útil após a intimação. Ao analisar a admissibilidade, o Juiz do Trabalho, negou seguimento ao recurso ordinário interposto pela empresa Y, sob o argumento que o mesmo estava intempestivo. Inconformada, tendo em vista que compreende que trata-se de litisconsórcio passivo com patronos distintos e o Código de Processo Civil prevê prazo em dobro. Analisando o entendimento legal, bem como do Tribunal Superior do Trabalho, esclareça se a empresa Y possui ou não razão em sua argumentação? NÃO POSSUI RAZÃO A EMPRESA Y, DE ACORDO COM O ENTENDIMENTO NÃO É APLICÁVEL A REGRA DE CONTAGEM DE PRAZO EM DOBRO PREVISTA NO CPC PARA LITISCORSÓTES.
 QUESTÃO OBJETIVA Mercedes ingressou com reclamação trabalhista contra sua ex-empregadora, a Empresa de Alimentos Tudo de Bom Ltda., pleiteando diferenças de verbas rescisórias e danos morais. O processo tramita de modo eletrônico e foi proferida sentença julgando procedente a ação e deferindo as diferenças pretendidas, mas omitindo-se no tocante ao pedido de danos morais. A disponibilização da informação