Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
exercico legislação comercial e trabalhista

Pré-visualização | Página 1 de 3

Iniciado em
	segunda, 11 Nov 2019, 13:32
	Estado
	Finalizada
	Concluída em
	segunda, 11 Nov 2019, 13:40
	Avaliar
	8,00 de um máximo de 10,00(80%)
Parte superior do formulário
Questão 1
Correto
Remover rótulo
Texto da questão
Norma Jurídica é a estrutura fundamental do Direito, na qual estão estampados preceitos que constituirão à ordem jurídica. Ela é o elemento responsável por regular o comportamento do homem, ao mesmo tempo que consolida enunciados determinando em grande medida a organização da sociedade e do Estado. Segundo Reale (2001), Norma Jurídica é:
Escolha uma:
a. São prescrições jurídicas de caráter hipotético e eficácia repetitiva. Elas prescrevem comportamentos para situações descritas em caráter hipotético. Em outras palavras, elas fazem a previsão de condutas a serem adotadas nas situações que descrevem hipoteticamente.
b. quanto à destinação (normas de Direito e normas de Sobredireito), quanto ao modo de existência (normas explícitas e normas implícitas), quanto à fonte (teorias de Kelsen e Savigny, apontando como formas de expressão do Direito ou normas jurídicas, a lei, o costume, a jurisprudência, a doutrina e os princípios gerais do direito), quanto à matéria (normas de Direito Público, normas de Direito Privado e normas de Direito Social).
c. O fundamento das normas está na exigência da natureza humana de viver em sociedade, dispondo sobre o comportamento dos seus membros. As normas são fenômenos necessários para a estruturação ôntica do homem. E como a vida do grupo social está intimamente ligada à disciplina das vidas individuais, elas fundam-se também na necessidade de organização na sociedade, exatamente porque não há sociedade sem normas de direito, que têm por objetivo uma ação humana, obrigando-a, permitindo-a ou proibindo-a.
d. O que efetivamente caracteriza uma norma jurídica, de qualquer espécie, é o fato de ser uma estrutura proposicional enunciativa de uma forma de organização ou de conduta, que deve ser seguida de maneira objetiva e obrigatória. [...] Dizemos que a norma jurídica é uma estrutura proposicional porque o seu conteúdo pode ser enunciado mediante uma ou mais proposições entre si correlacionadas, sendo certo que o significado pleno de uma regra jurídica só é dado pela integração lógico-complementar das proposições que nela se contêm.
A definição de Reale (2001, p. 88) sobre as Normas Jurídicas é: O que efetivamente caracteriza uma norma jurídica, de qualquer espécie, é o fato de ser uma estrutura proposicional enunciativa de uma forma de organização ou de conduta, que deve ser seguida de maneira objetiva e obrigatória. [...] Dizemos que a norma jurídica é uma estrutura proposicional porque o seu conteúdo pode ser enunciado mediante uma ou mais proposições entre si correlacionadas, sendo certo que o significado pleno de uma regra jurídica só é dado pela integração lógico-complementar das proposições que nela se contêm.
e. de expectativas contra fáticas, que se expressam por meio de proposições de dever ser (deve, é obrigatório, é proibido, é permitido, é facultado), estabelecendo-se entre os comunicadores sociais relações complementares institucionalizadas em alto grau (relação meta-complementar de autoridade/sujeito), cujos conteúdos tem um sentido generalizável conforme núcleos significativos mais ou menos abstratos.
Feedback
A resposta correta é: O que efetivamente caracteriza uma norma jurídica, de qualquer espécie, é o fato de ser uma estrutura proposicional enunciativa de uma forma de organização ou de conduta, que deve ser seguida de maneira objetiva e obrigatória. [...] Dizemos que a norma jurídica é uma estrutura proposicional porque o seu conteúdo pode ser enunciado mediante uma ou mais proposições entre si correlacionadas, sendo certo que o significado pleno de uma regra jurídica só é dado pela integração lógico-complementar das proposições que nela se contêm..
Questão 2
Correto
Remover rótulo
Texto da questão
O Direito Comercial interno possui divisões conforme Silva (2001 p 23) “Tradicionalmente o Direito Comercial era divido em terrestre e marítimo, dependendo do meio em que a relação jurídica iria se desenvolver. Posteriormente, foi acrescentado o direito aeronáutico. Fazem parte do Direito Comercial os seguintes direitos:
Escolha uma:
a. Internacional; Falimentar; Concursal.
b. Navegação; da família; Industrial.
c. Bolsística; Cambiário; Penal.
d. Empresarial; Sociedade Civil; Nupcial.
e. Bancário; Transportes; Securitário.
As divisões internas do Direito Comercial ocorrem da seguinte maneira:
a) Teoria geral do direito comercial, que compreende toda parte geral da disciplina, sua conceituação, sua posição no quadro geral das ciências e a delimitação da sua matéria, e, portanto, do seu conteúdo;
b) Direito das empresas e das sociedades, que compreende o estudo do empresário, quer individual - o antigo comerciante em nome individual e os agentes auxiliares do comércio – quer coletivo, que são as sociedades comerciais, nos seus vários tipos;
c) Direito industrial, que modernamente, estuda a teoria jurídica do estabelecimento comercial e a propriedade industrial [...];
d) Direito cambiário ou cartular, que compreende os títulos de crédito;
e) Direito das obrigações mercantis, que compreende o estudo das operações e contratos mercantis, que se subdivide em:
f ) direito bolsístico (referente às operações da Bolsa);
g) direito bancário (referente aos bancos);
h) direito securitário (referente aos seguros); e
i) direito dos transportes (referente aos transportes);
Feedback
A resposta correta é: Bancário; Transportes; Securitário..
Questão 3
Correto
Remover rótulo
Texto da questão
A palavra Direito possui definição complexa, com diversos significados. Muitas vezes, o direito é confundido com a própria lei. Embora sejam intrinsicamente relacionados, distinguem se entre si, pois a diferença entre direito e lei pertence ao âmbito ideológico do Estado. Segundo Reale( 1995), Direito é:
Escolha uma:
a. Todas as regras sociais ordenam a conduta, tanto as morais como as jurídicas e as convencionais ou de trato social. A maneira, porém, dessa ordenação difere de uma para outra. É próprio do Direito ordenar a conduta de maneira bilateral e atributiva, ou seja, estabelecendo relações de exigibilidade segundo uma proporção objetiva. O Direito, porém, não visa a ordenar as relações dos indivíduos entre si para satisfação apenas dos indivíduos, mas, ao contrário, para realizar uma convivência ordenada, o que se traduz na expressão: “bem comum”. O bem comum não é a soma dos bens individuais, nem a média do bem de todos; o bem comum, a rigor, é a ordenação daquilo que cada homem pode realizar sem prejuízo do bem alheio, uma composição harmônica do bem de cada um com o bem de todos.
Todas as regras sociais ordenam a conduta, tanto as morais como as jurídicas e as convencionais ou de trato social. A maneira, porém, dessa ordenação difere de uma para outra. É próprio do Direito ordenar a conduta de maneira bilateral e atributiva, ou seja, estabelecendo relações de exigibilidade segundo uma proporção objetiva. O Direito, porém, não visa a ordenar as relações dos indivíduos entre si para satisfação apenas dos indivíduos, mas, ao contrário, para realizar uma convivência ordenada, o que se traduz na expressão: “bem comum”. O bem comum não é a soma dos bens individuais, nem a média do bem de todos; o bem comum, a rigor, é a ordenação daquilo que cada homem pode realizar sem prejuízo do bem alheio, uma composição harmônica do bem de cada um com o bem de todos.
b. Destaco que o direito não é apenas um conjunto de regras. É muito mais do que isso. As regras, escritas (leis), são um dos instrumentos de aplicação e atuação do direito, que se vale de outros componentes em sua configuração. Temos assim, ao lado das leis, a doutrina, a jurisprudência, os costumes, os princípios gerais, que, somados, compõem o conceito de Direito. E esses elementos, em conjunto, aplicados, buscam atingir o ideal supremo, que é a
Página123