A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Projeto Implantação de um apiário (amador)

Pré-visualização | Página 1 de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO
CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E ENGENHARIAS - CCAE
DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA
LEONARDO NOVAES CAJAIBA
PROJETO APÍCOLA
Alegre
2019
LEONARDO NOVAES CAJAIBA
PROJETO APÍCOLA
Projeto Apícola apresentado ao Departa-
mento de Zootecnia, como parte dos requi-
sitos necessários à obtenção do título de
concluinte da disciplina de Apicultura .
Orientador: Mariana Duran Cordeiro
Alegre
2019
SUMÁRIO 
 
1.0 INTRODUÇÃO.........................................................................................4 
2.0 DESENVOLVIMENTO.............................................................................6 
2.1 Produção do Apiário...................................................................................... 
2.2 Produção da Colmeia/Ano............................................................................ 
2.3 Número de Caixas........................................................................................ 
2.4 Local de Implantação e Características......................................................... 
2.5 Disposição das Colméias.............................................................................. 
2.6 Florada Disponível........................................................................................ 
2.7 Área de Ocupação do Apiário e da Florada................................................... 
2.8 Equipamentos Necessários para o Beneficiamento Apícola......................... 
2.9 Etapas do Beneficiamento............................................................................ 
2.10 Orçamentos dos Materiais e Equipamentos............................................... 
2.11 Comercialização dos Produtos................................................................... 
2.12 Produção de Entressafra............................................................................ 
2.13 Retorno Econômico Alcançado................................................................... 
3.0 CONCLUSÃO....................................................................................................11 
4.0 REFERÊNCIAS.................................................................................................12 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4 
 
1. INTRODUÇÃO 
 
Acredita-se que a atividade apícola teve início em 1839, quando o Padre Antônio 
Carneiro trouxe algumas colônias de abelhas da espécie Apis Mellifera da região 
do Porto, em Portugal, para o Rio de Janeiro. Outras raças da mesma espécie 
foram introduzidas posteriormente, principalmente nas regiões Sul e Sudeste, 
por imigrantes europeus. 
Historicamente, tem-se dados que atribuem como os primeiros criadores de 
abelhas, os egípcios, onde as abelhas eram colocadas em potes de barro. 
Apesar de que os egípcios foram os primeiros criadores racionais, foram os 
gregos que colocaram o nome de colmeia, pois os gregos colocavam seus 
enxames em recipientes com formato de sino feitos de palha trançada, 
chamados de colmo. 
Na Idade Média, as colmeias eram registradas pelo cartório e isso virava bens 
de herança para aquelas famílias que tinhas suas colmeias registradas, e se 
houvesse rouba o crime era tratado como imperdoável, podendo assim ser 
condenado à morte. 
Desta forma, a história da apicultura brasileira pode ser resumida em três etapas: 
• Primeira etapa ou período de implantação da apicultura no país – entre 
1839 a 1955. 
• Segunda etapa ou período de africanização dos apiários e das colônias 
na natureza – iniciou-se intensamente a partir dos primeiros enxames 
africanos, importados em 1956, continuando ao longo dos anos, com 
menos intensidade. 
• Terceira etapa ou período de recuperação e expansão da apicultura 
brasileira – muito marcante, teve início em 1970, quando ocorreu o 
Primeiro Congresso Brasileiro de Apicultura. 
Com a introdução da abelha africana (Apis Mellifera scutellata) em 1956, a 
apicultura brasileira tomou um novo rumo, de forma acidental: essas abelhas 
escaparam do apiário experimental e passaram a se acasalar com as abelhas 
5 
 
de raça europeia, formando um híbrido natural chamado de abelha africanizada. 
A agressividade dessas abelhas causou, inicialmente, um grande problema no 
manejo dos apiários e muitos apicultores abandonaram a atividade. Somente 
após o desenvolvimento de técnicas adequadas, nos anos 70, a apicultura 
passou a crescer e se expandiu para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. 
O objetivo do presente trabalho é a demonstração de como realizar a instalação 
de um apiário em uma propriedade, onde tenha floradas disponíveis e todo uma 
série de requisitos para que ocorra uma boa implementação e com isso, o 
produtor tenha uma lucratividade tanto para pagar os custos que ocorreram com 
a instalação do apiário e para os custos pessoais. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
6 
 
2. DESENVOLVIMENTO 
O apiário será instalado nesse planejamento na região extremo norte do estado 
do Espírito Santo, mais precisamente na cidade de Montanha, latitude: 18° 7' 35'' 
Sul, Longitude: 40° 21' 58'' Oeste, onde se encontra uma flora diversificada, as 
mais utilizadas nessa produção de mel será as de eucalipto que ocorre nos 
messes de abril a setembro, angico nos meses de setembro a outubro e a florada 
do café ocorre em março, setembro e novembro, além de flores da fruticultura 
local que varia durante os meses do ano na localidade. 
A região do extremo norte capixaba apresenta um clima tropical, com a 
temperatura média anual entre 23,8°C. Os meses mais chuvosos estão entre os 
meses de verão em relação aos de inverno. O local da instalação do apiário é 
uma área de aproximadamente 4,7 hectares em uma planície com uma taxa de 
declividade variando de 0,3 a 0,5% com uma área comercial de eucalipto com 
uma dimensão de 40 hectares, a florada de café apresenta aproximadamente 1 
hectare e as demais frutícolas não apresenta valores concretos de seu 
dimensionamento. A área é de fácil acesso a estradas para um manejo ideal. A 
caixa Langstroth estará disponível em círculos com os alvados todos virados 
para leste, onde o sol nasce, pois é o principal guia das abelhas. A água é 
proveniente de um reservatório que é abastecido por um poço artesiano, a 
aproximadamente 100 m do voo de higiene das abelhas, para que não ocorra 
contaminação. 
A produção média da colmeia é de 20 kg/ano, com isso, tendo em vista uma 
produção de 400 kg/ano de mel. Com isso, serão necessárias um total de 20 
caixas, com 10% de reposição passará a ser 24 caixas com produção média do 
apiário será de 480 kg/ano. A reposição serve para caso ocorra alguma 
desestabilidade ou perda nas colmeias, isto é, a porcentagem de reserva poderá 
repor a produção dessas que por algum fator inesperado não produziu o que era 
esperado. Nas entressafras que serão de dezembro a fevereiro e depois de abril 
a junho será produzido a própolis. Serão utilizados 24 caixas para a produção de 
mel, mas também serão utilizadas desse total, 9 caixas para a produção de 
própolis na entressafra citadas antes, onde a produção média da colmeia é de 
7 
 
3,6 kg/ano, como serão usadas 9 caixas para a produção da própolis, no final 
teremos retirado 32,4kg/ano de própolis neste apiário. 
Para a implantação do presente apiário é necessário a aquisição de 
equipamentos para um ideal manejo das colmeias, pois, necessita de ter 
manutenções para que não haja invasores, entre outros que façam as abelhas 
gaste tempo tentando manter a colmeia em ordem e deixem de produzir a 
quantidade esperada, além disso equipamentos para a colheita do mel e 
própolis.